POR JACINTO JÚNIOR: O SUBMUNDO DA POLÍTICA VELHA E O SOFISMA DA MUDANÇA RADICAL

O culto à imagem do ‘eu’ tem sido a grande aposta da velha guarda política objetivando a manipulação, o poder com ênfase no discurso modernizante da mudança social radical. Entretanto, é de bom tom que estabeleçamos uma distinção entre o que é, de fato, a essência desse intrépido discurso burguês-conservador.
O primeiro ponto a ser desmistificado é separar o ‘joio do trigo’. E, isto, implica na seguinte sentença política:

a) De um lado, temos uma fração – tendência – política heterogênea em permanente conflito na disputa pelo poder político local. Esse conjunto heterogêneo pertence a uma mesma classe social: a burguesia – só que subdividida, fracionada por interesses particulares. Ela compreende que o mecanismo de manipulação, controle e força ideológica em todos os setores sociais, constitui o principal foco da dominação; e, desse modo, investe no poder econômico visando à destruição de todo e qualquer movimento social que não seja conforme seus interesses particulares.

b) De outro, a grande massa dispersa e subjugada historicamente. Tal realidade empodera de forma sistêmica a elite local, induzindo fortemente sua influência sobre os incautos cidadãos – incautos…, será que são mesmos? Isso reflete sobremaneira, no nível de desorganização e retração da classe trabalhadora na conjuntura social e política atual. É visível a apatia dos setores protagonistas diante da ofensiva conservadora, parece que não estão sendo violentamente explorados e seus direitos expropriados sumariamente através de medidas como a reforma trabalhista e a terceirização irrestrita. Temos na realidade um histórico político com perfil já definido – a tradição política substituindo os processos dinâmicos, democráticos e protagonistas – expondo o modelo sustentado na falsa ideia do pleno desenvolvimento social e justiça para todos. A grande mística burguesa tem sua perspectiva na percepção do “eu”, do “individualismo”, na “livre concorrência” para gerar emprego e renda (lembre-se do chavão infalível da meritocracia).

c) Quando olhamos para essa balela verificamos que o tão proclamado nível de desenvolvimento econômico-social tem apenas um túnel: aquele que transfere a riqueza produzida para o capitalista, enquanto o verdadeiro produtor da riqueza recebe humilhantemente migalhas permanecendo pobre e miserável. O capitalista, portanto, ficando cada vez mais rico. A pergunta que não quer calar: que tipo de desenvolvimento é esse que não atribui igual justiça para os trabalhadores? A evidência se manifesta no quanto o capitalista decrepito mantem uma acelerada concentração/acumulação de capital e o inverso ocorrem com a classe trabalhadora. Por isso mesmo, o discurso modernizante é contraditório e mentiroso, pois não promove a divisão igual da riqueza produzida. Até quando a classe trabalhadora continuará a aceitar esse imbróglio nas relações de produção?

d) A política velha permanece atual sob o ponto de vista da exploração e da manipulação ostensiva contra o trabalhador/produtor.

Esse modelo constrange e humilha a dignidade, e fere brutalmente a condição humana em sua máxima cidadania. O resultado disso tudo é a criação dos grotões de miseráveis que, por sua vez, demanda o crescimento periférico desordenado das polis modernas. A origem das crises no mundo capitalista tem sua sustentação no próprio sistema cavalar. O propósito das crises tem apenas uma finalidade: atender aos interesses do lucro exacerbado impelidos por grandes corporações credoras, rentistas e financistas do mercado.

Partindo desse pressuposto, é necessário que voltemos nosso olhar protagonista para a nossa cidade focando o que é necessário e o que é essencial para seu desenvolvimento pleno.

O discurso modernizante promete originar emprego e renda, porém, tal proposição ainda não se tornou realidade, ao contrário, o nível de desemprego permanece elevadíssimo. Tratando-se especificamente de nossa cidade o problema estrutural do desemprego nem sequer tomou forma para ampliar/gerar postos de trabalho. Não é justo e nem constitui tática aplicável acusar a crise internacional como entrave fulminante que impede a geração de emprego e renda aos trabalhadores de nossa cidade.

A grande massa trabalhadora de nossa localidade representa uma mão de obra desqualificada – pois, essencialmente temos um contingente excessivo de trabalhadores que sequer terminaram o Ensino Fundamental e, ou, o Ensino Médio, portanto, são trabalhadores horistas e que percebem uma remuneração mínima que, para o empregador constitui um elevado custo para sua empresa. Apesar de todas as benesses e proteção do Estado o empregador ainda se diz lesado pelo governo. A elite dominante quer sim, estatuir um modelo de gestão que dispense a presença do governo para que o mercado concorra ao seu centro natural de desenvolvimento e proporcione a riqueza total para o bolso do proprietário dos meios de produção.

A tirania do mercado invoca a miséria como fator preponderante na perspectiva do desenvolvimento econômico e social. Essa situação é tremendamente dramática e horripilante!

Bom, o que importa é pensar no futuro de nossa cidade, de nosso povo, principalmente no aspecto da cidadania – ou melhor, na valorização da dignidade humana e, isto, exige uma capacidade singular para incrementar um projeto político que se volte para o conjunto da sociedade civil como um todo e, estabeleça mecanismos eficientes para superar os gigantescos entraves sociais que perduram por mais de um século e duas décadas.

O maior erro que a sociedade civil comete é eleger o mandatário e, depois disso, esperar os resultados. Essa formula apolítica de não participação social provoca a inercia que acaba contribuindo para o congelamento integral das possíveis e necessárias atuações dos setores e atores sociais estratégicos da comunidade no enfrentamento direto dos problemas sociais que campeiam nossa cidade.

Quais seriam as medidas estruturantes que o governo poderia apresentar para reintegrar o pleno desenvolvimento social e econômico de nossa cidade?

Entendemos que a sociedade reclama por melhores dias!

A questão central que deve ser pontuada na perspectiva do desenvolvimento é a construção/elaboração e a participação popular de um Plano Diretor com projeção de vinte anos. Nele se pensaria a cidade de forma democrática e aberta – com a contribuição dos movimentos sociais e entidades de base e etc. – e, assim, garantir uma cidade sustentável em plena ebulição social.

Não é possível pensar o desenvolvimento integral – estratégico – sem antes não compreender sua história e sua vocação. Pressupor o desenvolvimento apenas cumprindo as políticas públicas (quando as executam) com o ‘ralo e parco recurso legal’ – constitucional e discricionário – é imaginar andar para trás. Portanto, o que se prevê é mais um governo sem novidade e sem programa reestruturante para modernizar e transformar nossa cidade. Um ano já se passou e, certamente, pouco se realizou em relação às políticas públicas! Codó não pode ser medida por obras faraônicas como se as mesmas fossem a ponte do iceberg do desenvolvimento social estruturalmente falando.

Codó precisa urgentemente apresentar alternativas para superar a crise do desemprego endêmico e recuperar seu atraso cultural, social e econômico!

O crescimento econômico só tem uma via: a instalação de um Parque Industrial. Creio que, a partir desse mote é possível pensar uma política macroeconômica para nossa cidade, oferecendo condições para que os grandes grupos econômicos venham instalar suas filiais aqui, já que a economia doméstica ganha nova perspectiva, através dos indicadores oficiais: safras de grãos com elevada produtividade (30%) e, consequentemente, a exportação, juros baixos – SELIC (7%) e inflação abaixo da meta estabelecida (2,95%) (g1.globo.com) acessado em: 10.01.2018.

A nossa cidade é extremamente pobre e carece urgentemente de políticas públicas estruturantes para reduzir drasticamente esses dados estatísticos apresentados pelo IBGE:

MAPA DE POBREZA E DESIGUALDADE – CODÓ (2003)

Incidência de Pobreza 59,37%
Limite inferior de Incidência de Pobreza 50,67%
Limite superior de Incidência de Pobreza 68,08
Incidência Pobreza Subjetiva 64,13%
Limite inferior de Incidência da Pobreza Subjetiva 56,73%
Limite superior de Incidência da Pobreza Subjetiva 71,54%
Índice de Gini 0,40
Limite inferior do Índice de Gini 0,39
Limite superior do Índice de Gini 0,43
Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 e Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF 2002/2003.

Esses indicadores nos dá uma clara dimensão da pobreza e da desigualdade social existente. Diante dessa realidade cruel torna-se imprescindível uma avaliação acurada e propositiva com a finalidade de debelar progressivamente estes indicadores profundamente negativos. Mas, a exigência dessa avaliação requer, atitude e rapidez objetivando recompor o tempo perdido e o atraso em vários setores fundamentais.
Precisamos repensar Codó numa perspectiva progressista-desenvolvimentista e, isto, nos remete a um caminho diferenciado, em que os valores positivos passem a inverter a lógica do comodismo e reincorpore o sentido da esperança num instrumento possível de mudança. Portanto, é fundamental a pesquisa cientifica para fornecer elementos concretos na resolutividade dos problemas mais imediatos como: a geração de emprego e renda, educação com qualidade e equidade social, valorização do magistério público, construção de novas unidades escolares, fomento à agricultura familiar e a pesca como forma de incentivo aos pequenos produtores ingressarem no mercado e fortalecer a economia interna, gerando mais divisas para o município. Para Codó só há uma alternativa: enfrentar com responsabilidade os históricos problemas que, ao longo do tempo, proporcionaram seu atraso social. A ideia é encerrar esse pernicioso ciclo de engessamento. A ver!

TRAGÉDIA: MÉDICO MORRE ATROPELADO QUANDO FAZIA PAGAMENTO DE PROMESSA A SÃO JOSÉ DE RIBAMAR

O médico Luíz Carlos Cantanhede, morreu na manhã deste domingo (25), ao ser atropelado por um veículo na Estrada de Ribamar. O urologista estava se dirigindo a cidade de São José de Ribamar junto com sua família para pagar uma promessa, após a cura de um câncer.

Cantanhede estava caminhando quando foi surpreendido por um Celta prata que estava sendo conduzido por Gilson Carlos Barros Ferreira, residente do bairro da Cidade Operária. O causador da morte do médico apresentava claros sinais de embriaguez e estava em alta velocidade.

Gilson Carlos foi conduzido para o Plantão do Maiobão, onde prestou depoimento e deve ser conduzido ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas ainda neste domingo (25). O primeiro teste de alcoolemia feito na delegacia apontou para positivo para a presença de álcool no organismo.

Luiz Carlos Cantanhede ainda foi socorrido e levado ao Hospital São Domingos. Na unidade hospitalar foi atendido pelo próprio filho que estava de plantão, mas não resistiu.

Fonte: Diego Emir.

 

POLÍCIA PRENDE DOIS ENVOLVIDOS NA INVASÃO DA UNIDADE DA PRF EM AÇAILÂNDIA

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), com a participação de outras forças policiais, realiza uma verdadeira caçada a uma quadrilha responsável pela invasão da Unidade Operacional da PRF no município de Açailândia, quando seis homens armados chegaram efetuando disparos tendo um policial militar como escudo.

De acordo com os levantamentos iniciais, os criminosos objetivavam adquirir armas e coletes balísticos para serem usados em arrombamento de caixas eletrônicos e roubo a bancos. Dois deles foram presos e confessaram participação na ação criminosa.

Entenda o caso

Por volta das 22h50 de sexta-feira, 23 de março de 2018, a Unidade Operacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Açailândia-MA, localizada na BR 222, foi alvejada por tiros de arma calibre 12 e por tiros de pistolas, disparados por seis homens encapuzados que invadiram o posto usando como escudo um policial militar.

Poucos minutos antes de atirar na UOP, os seis assaltantes, invadiram uma base da Polícia Militar localizada na BR 222 em Pequiá, no município de Açailândia, e levaram refém um policial militar que estava no local. Em seguida, dirigiram-se para a UOP PRF.

Após a invasão da Unidade, que quase nada rendeu aos assaltantes, eles fugiram no sentido decrescente da via (Açailândia para Buriticupu), mas abandonaram a viatura da PM e uma picape branca, deixando para trás o refém.

Logo em seguida, um grande aparato policial foi montado, com equipes do Maranhão e do Pará, juntamente com a Polícia Militar do Maranhão. Deu-se início a caçada aos assaltantes, sendo o deslocamento de algumas equipes realizado por estradas vicinais ou mesmo a pé pelo mato.

Por volta das 8h da manhã do dia seguinte ao ocorrido (24) uma equipe, após seguir rastros no chão molhado, chegou a uma casa localizada no bairro Plano da Serra, no município de Açailândia/MA. Os policiais relataram a situação e solicitaram entrada na casa, a qual foi autorizada pelo proprietário. A equipe adentrou no imóvel e encontrou um dos acusados e, com ele, algumas roupas e botas molhadas, bem como um Iphone quebrado no quintal, que apurou ser da vítima da Saveiro. Posteriormente a equipe, juntamente com a PM e o conduzido foram na casa de um segundo envolvido, seu vizinho, onde foram encontradas um espingarda calibre 32 e uma réplica de pistola.

Os outros envolvidos continuam sendo procurados pelas equipes da PRF e da PM. Um dos indivíduos presos admitiu que através de seu comparsa teve contato com outros quatro bandidos que vieram de Goiânia-GO e estavam tentando arrecadar armas e caminhonetes para roubarem caixas eletrônicos. Informou ainda que faz um mês que saiu da prisão, onde cumpria pena por porte ilegal de arma de fogo. Os conduzidos foi encaminhados para autoridade policial para as providências devidas.

Fonte: PRF.

 

GOVERNO DO MARANHÃO INAUGUROU NESTE SÁBADO TRECHOS DA MA-034 QUE INTERLIGA BURITI BRAVO A BREJO DE SÃO FÉLIZ

A Região dos Cocais recebeu neste sábado (24) a implantação de dois trechos rodoviários da MA-034 interligando Buriti Bravo a Brejo de São Félix e Brejo de São Félix a Café Buriti. Ao todo somam 87 quilômetros de rodovia com investimento de R$ 73,1 milhões que inclui preparo do solo, drenagem, implantação asfáltica e sinalização horizontal e vertical.
“O Governo Flávio Dino investe de forma séria e racional os recursos públicos promovendo a integração, o desenvolvimento e a geração de emprego, renda e mais oportunidades para todos com a construção e melhoramento de nossas rodovias”, enfatizou o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto.
A entrega dessa nova rodovia que recebe pela primeira vez serviços de pavimentação asfáltica atende o pedido da população de toda a Região Leste depois de décadas de abandono e isolamento. Com a nova estrada são diretamente beneficiados os produtores agrícolas do grande plantio de arroz, milho, feijão, abóbora, melancia e cana-de-açúcar e criadores de gados e caprinos – ponto forte da economia regional -, além da indústria de bebidas e beneficiamento de grãos e frutas. São melhores condições de escoamento da produção que vão aquecer o mercado e gerar emprego e renda.

Com o investimento melhora também o acesso aos municípios circunvizinhos como Timon, Colinas, Mirador, Passagem Franca, Nova York, Matões e Paraibano. O trecho também é importante por integrar outras estradas como a MA-262, MA-132 e MA-282, interligando a Região Leste às microrregiões de Caxias e da Chapada do Alto Itapecuru. Além disso, também será possível utilizar a MA-034 como uma alternativa para chegar a Balsas, interligando o Leste ao Sul do Maranhão.

MAIS INVESTIMENTOS

Em Buriti Bravo os investimentos vão além da entrega da estrada. No sábado o Governo também entregou obras de pavimentação asfáltica de vias urbanas na Praça José Costa Sobrinho, revitalização do Farol do Saber Aricéya Moreira Lima da Silva e vistoria das obras que serão reiniciadas na MA-282 que liga o município Lagoa do Mato ao povoado Gavião.
Também foram anunciados novos investimentos na região. Em Parnarama o Governo assinará a ordem de serviço para implantação asfáltica da estrada vicinal que liga a MA-034 ao povoado Paiol do Centro e em Passagem Franca será firmado um convênio com a prefeitura para revitalização de uma praça pública.
Hoje domingo a agenda continua em São Benedito do Rio Preto com a assinatura da ordem de serviço para início das obras de pavimentação asfáltica nas ruas e avenidas do município no valor de R$ 1 milhão de reais.

Ascom: Governo do Maranhão

 

POR EDSON VIDIGAL: ESQUEÇAM O LULA

Edson Vidigal

Entre o Estado em dívidas e a Nação dividida, de um lado o ativismo da intolerância barulhenta e do outro o silêncio quase omissivo de uma maioria que só olha de lado, até parece que os eflúvios da próxima semana, a semana santa, sonegarão desta vez a corações e mentes os sentimentos da misericórdia que na reflexão destes dias nos elevam perante Deus e a nós mesmos como cristãos.
O Supremo Tribunal Federal não pautou para a sessão plenária de quarta-feira algo como que, revolvendo o dilema bíblico que a turbinha de Caifás atirou no colo de Pilatos, tenha que optar entre conceder a ordem de habeas corpus unicamente a Cristo ou a Barrabás.
No presente caso, como uns gostam de escrever em seus relatórios e votos, trata-se de um réu já condenado em segunda instância, o qual será imediatamente recolhido à prisão tão logo sejam rejeitados, ou seja, na próxima segunda feira, os embargos de declaração opostos por sua defesa perante o Tribunal Regional Federal-4, sediado em Porto Alegre, RS.
Como lembrou Celso Láfer em artigo no Estadão do último domingo (Incerteza Jurídica, pág. A-2), a propósito de o Supremo Tribunal Federal (STF) ser o guarda da Constituição, a Corte, no entanto, no exercício dessa função, “não vem construindo a autoridade de uma instituição colegiada”.
“Essa auctoritas, no meu entender – esclarece o Professor Láfer – tem um feitio de poder moderador. Resulta de uma contínua e coerente ação conjunta, voltada para supervisionar a manutenção da independência e harmonia dos outros Poderes da República, impedindo seus abusos e mantendo o seu equilíbrio, concorrendo dessa maneira para o bem estar nacional”.
Nem tanto quanto na Argentina, onde a Corte Suprema resvalou para dividir-se em vários Supremos no qual cada Ministro atua como se concentrasse em si todo poder constitucional atribuído à instituição, o nosso Supremo Tribunal Federal, certamente pela carência de uma maior coesão interna, tem se arranhado muito nas divergências que seriam naturais e até enriquecedoras como as que, no começo das coisas, travaram Pedro Lessa, um luminar paulista extremamente vaidoso, e Enéas Galvão, um gaúcho de admirável cultura jurídica que transpirava humanismo.
Os duelos que esses verdadeiros titãs do oficio de julgar – Pedro Lessa e Enéas Galvão – travavam, incansáveis quando a Corte era convocada a decidir sobre o direito à liberdade, moldaram o habeas corpus como instituto garantidor da cidadania contra ilegalidades ou abusos de poder.
O que está posto em questão é a interpretação que se deve dar corretamente a um mandamento da Constituição da República, inscrito no Art. 5º, Inciso LVII, – “ninguém será considerado culpado antes do trânsito em julgado de sentença penal condenatória”.
Então o Estado Democrático de Direito por seus Juízes sentencia e muito antes do transito em julgado da condenação prende o acusado a título de cumprimento provisório da pena e isso é possível se não há ainda a culpa formada?
Quer dizer que no nosso Estado Democrático de Direito é licito prender quem não é ainda culpado?
O que o Supremo Tribunal Federal vai decidir logo mais, se não houver pedido de vista, é se o que está prescrito na Constituição da República (Art.5º, Inciso LVII) vale como de fato e de direito se conclui lendo ou se a maioria formada por apenas um voto a mais, ao entender diferente, é quem está certa.

Edson Vidigal

 

EM SANTO ANTONIO DOS LOPES, CÂMARA DE VEREADORES REALIZA SESSÃO ESPECIAL DE INAUGURAÇÃO DE REFORMA DO PRÉDIO

Em sessão especial realizada na manhã de sexta-feira 22, a Câmara Municipal de Vereadores de Santo Antônio dos Lopes, além votar os requerimentos, indicações e discutir melhorias para a população do Município, também foi inaugurada a ampla reforma feita no prédio da casa legislativa, que deixou o prédio de cara nova com todas as instalações modernas e bonita de se ver como explica o Presidente Rauricio da Lagoa Nova. “Era um desejo nosso fazer essa reforma e melhorar toda as estruturas do prédio, pois as condições já não eram ideias para estimular o trabalho dos colegas vereadores, e muito menos de atender com o conforto e as condições que o nosso povo precisa e merece, mas hoje graças a Deus e ao apoio dos vereadores dessa casa, estamos inaugurando uma reforma que garantiu melhorias em todos os aspectos, mas garantindo a legalidade constitucional de aplicação correta de cada centavo aplicado.” Afirmou o presidente

A vereadora Vânia Barbosa, elogiou o presidente pela reforma que deixou o prédio moderno, confortável e bonito de ver. “Já estava precisando que fosse feito realmente uma reforma para melhorar as condições físicas da estrutura, trocar os moveis, as bancadas dos vereadores, colocar assentos confortáveis para as pessoas vem prestigiar as sessões e criar uma cara nova para esta casa, e hoje graças a Deus e a boa vontade do nosso presidente, estamos vendo a realização de um trabalho que agradou a todos.” ressaltou a vereadora
Segundo o vereador Henrique Paiva, a sessão foi muito especial porque além de votar os requerimentos e discutir as indicações em benefício da população, ouvir secretários Municipais prestar esclarecimentos em relação as suas ações, também tivemos o privilégio de participar com o povo e com o nosso presidente, da inauguração dessa importante reforma. “Essa casa legislativa precisava dessa reforma, tendo em vista a importância dela no desenvolvimento do nosso município, pois é aqui onde votamos e aprovados com muita responsabilidade os projetos que norteiam o desenvolvimento em prol da nossa gente.” Disse o vereador

Ascom: Câmara de Santo Antônio dos Lopes

 

INFORMAÇÕES ATUALIZADAS SOBRE AÇÃO QUE ALVEJOU COM TIROS UNIDADE DA PRF EM AÇAILÂNDIA

Por volta das 22h50 de sexta-feira (23) a Unidade Operacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Açailândia, localizada na BR 222, no sudoeste do estado do Maranhão, foi alvejada por tiros de arma calibre 12 e de pistolas disparados por seis homens encapuzados que invadiram o posto usando um refém policial militar como escudo.

COMO TUDO ACONTECEU

Poucos minutos antes de atirar na UOP, os seis assaltantes, invadiram uma base da Polícia Militar localizada na BR 222 em Pequiá, em Açailândia, e levaram refém, na viatura da PM, o único policial que estava no momento do assalto. Em seguida se dirigiram para a UOP PRF de Açailândia, quando chegaram no posto atropelando cones e descendo com o PM servindo de escudo.
Um outro policial militar, que, de folga, passava no instante, achou estranho uma viatura da PM chegar daquela forma atropelando os cones, e parou seu veículo. Os assaltantes desceram usando o policial militar como escudo e avançaram em direção ao interior do posto PRF, enquanto o refém pedia para os PRFs não atirar, pois ele era policial e estava como refém. Quando os bandidos atiraram, o policial militar que estava de folga, e por se encontrar em um ângulo favorável, sacou da pistola e efetuou disparos contra os bandidos. Sem poder atirar, por conta do policial refém, os PRFs se abrigaram no interior das instalações da UOP, enquanto os assaltantes entraram e levaram um colete, um cinto de guarnição com um carregador com munição para pistola PT 100 .40. Em seguida, na viatura da PM, deixaram o local sentido Buriticupu, levando o refém. Mais na frente, ainda no município de Açailândia, tomaram uma picape branca de assalto. O veículo pertence a uma empresa da região. Estouraram os pneus da viatura da PM e a abandonaram. Mais na frente pegaram a esquerda e se dirigiram para uma plantação de eucalipto e, ali, também abandonaram a picape e o refém, que ficou preso no interior do veículo, mas não ficou ferido.
Várias equipes da PRF, de diferentes regiões, se deslocaram para dar apoio na ocorrência e tentar prender os assaltantes. São reforços de São Luís, Imperatriz, Santa Inês, Dom Eliseu (PA), Belém (PA) e de outros locais. A Polícia Militar também mobilizou seu efetivo e equipamentos em toda a região.
As investigações já foram iniciadas na tentativa de identificar, localizar e prender a quadrilha de assaltantes.

Fonte: PRF

EX-PRESIDENTE DA CÂMARA DE CODÓ, CHIQUINHO DO SAAE, SE MOBILIZA PARA AS ELEIÇÕES 2018

Chiquinho com Sarney Filho

O ex Vereador e Presidente da Câmara Municipal de Codó, Chiquinho do SAAE, esteve ontem, 23 de março de 2018, em evento no Quilombo Soledade, na cidade de Caxias – MA, a convite do Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, do Prefeito Municipal de Caxias, Fábio Gentil e do ex Deputado José Gentil, para entrega de 8 mil recibos do CAR (Cadastro Ambiental Rural) para pequenos agricultores e integrantes de povos e comunidades tradicionais do Cerrado.
Além de representantes das comunidades contempladas, autoridades e lideranças locais, o evento contou com a presença da embaixadora do Reino Unido, Ana Gutierrez, do ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, e do diretor-geral do Serviço Florestal, Raimundo Deusdará.
A mobilização, que resultou nas inscrições dos imóveis no CAR, foi viabilizada pelo Projeto Cerrado Federal, que também promove ações de assistência técnica, prevenção e controle de incêndios e proteção de unidades de conservação nas áreas de Cerrado de sete estados brasileiros (Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Maranhão). O projeto tem como financiador o governo do Reino Unido, por meio do Ministério do Meio Ambiente, Alimentação e Agricultura (da sigla em inglês, Defra), e gestão financeira do Banco Mundial.

Ascom: Chiquinho do SAAE

DANIELA TEMA PODERÁ SURPREENDER MUITOS CACIQUES DA POLÍTICA NA REGIÃO CENTRAL DO MARANHÃO

A primeira dama do Município de Tuntum, na Região Central do Maranhão, é uma das fortes pré-candidatas a deputada estadual nas eleições deste ano, com um cabo eleitoral fortíssimo que é o prefeito de Tuntum e presidente da FAMEM Federação dos Municípios do Maranhão, Dr. Tema, Daniela Tema poderá ser uma grande surpresa nas eleições de 2018. Vários motivos podem transformar essa expectativa em realidade. Primeiro, Daniela Tema é simpática e sabe como fazer política, coisa que aprendeu com o marido que é um político experiente e respeitado em todo estado do Maranhão. Segundo, tem serviços prestados na Região Central do Maranhão e principalmente na cidade de Tuntum. Terceiro, tem uma boa estrutura, coisa que poucos pré-candidatos possuem para vencer nas eleições deste ano. Além desses requisitos tem muitos outros que fazem de Daniela Tema uma mulher forte em busca de uma vaga na Assembleia.

DEIXANDO ALGUNS PRÉ-CANDIDATOS COM OS NERVOS A FLOR DA PELE

Na Região Central do Maranhão existem inúmeros pré-candidatos sem muita expressão, e, além disso, que não apresentam as qualidades de Daniela Tema, como exemplo disso podemos citar o filho do prefeito de Presidente Dutra, o jovem Ciro Neto, que sonha com uma vaga na Assembleia nas eleições deste ano, mas em meio ao desastre administrativo do pai dificilmente chegará a se eleger.

NOVIDADES DE DANIELA EM PRESIDENTE DUTRA

De acordo com informações que chegaram ao Blog do de Sá na tarde desta sexta-feira (23), a pré-candidata Daniela Tema fechou com um grande líder político da cidade de Presidente Dutra, a informação será anunciada na próxima terça-feira (27), na cidade de Presidente Dutra, pela própria pré-candidata e seu esposo, o prefeito de Tuntum, Dr. Tema.

 

ASSEMBLEIA REALIZA SESSÃO SOLENE PROPOSTA POR CÉSAR PIRES EM HOMENAGEM AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAL

 Os 25 anos de fundação do Curso de Formação de Oficiais (CFO), implantado na Universidade Estadual do Maranhão (Uema) em parceria com a Polícia Militar (PMMA) foram comemorados quinta-feira na Assembleia Legislativa, em sessão solene proposta pelo deputado César Pires. Cadetes, oficiais e outras autoridades da PM, do Corpo de Bombeiros do Maranhão e da Uema lotaram a galeria e o plenário Deputado Nagib Haickel, numa das mais concorridas solenidades realizadas no Legislativo estadual.

César Pires salientou a importância do reconhecimento à contribuição que o CFO tem dado ao Maranhão, por meio da formação de oficiais para a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Embora tenha sido criado em gestão anterior, somente no período em que César Pires ocupou o cargo de reitor é que o CFO foi reconhecido e equiparado aos demais cursos de nível superior, dando aos seus alunos a oportunidade de acesso a outros níveis de formação acadêmica.
“Tenho o orgulho de ter contribuído para a consolidação dessa importante iniciativa, pois o CFO foi reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação em 2000, durante a minha gestão como reitor da Uema. Não há como negar a excelência da formação que têm recebido todos aqueles que concluíram esse curso, ao longo desses 25 anos”, ressaltou César Pires.

O reitor da Uema, professor Gustavo Pereira da Costa, parabenizou a Assembleia Legislativa e, em especial, o deputado César Pires, pela iniciativa de comemorar o aniversário de fundação do Curso de Formação de Oficiais. De acordo com informações do reitor, o CFO foi reconhecido por meio da Resolução 195/2000-CEE, de 25 de maio de 2000, fruto do convênio UemaA/PMMA/CBM. Tem duração de quatro anos, com carga horária de 4.860 horas aulas.
Ao término do CFO, atendendo a todos os requisitos e exigências legais, o cadete PM é declarado aspirante a Oficial PM, recebendo a estrela de aspirante Oficial como símbolo da autoridade e da responsabilidade que terá diante da sociedade no sentido de defendê-la e promover todos os esforços para o seu engrandecimento, tendo a honra de pertencer à Polícia Militar do Estado.

“O Maranhão rompeu com as tradições históricas de outros estados. Oficialatos daqui do Maranhão se deslocavam para Natal e para o Rio de Janeiro, e a Uema abriu este horizonte permitindo que hoje grande parte dos tenentes-coronéis, dos coronéis, dos majores, dos capitães fosse formada pelo CFO. Hoje muitos mestres, alguns estão fazendo doutorado”, discursou César Pires.

A sessão solene contou também com a presença do comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Célio Roberto, do subcomandante da Polícia Militar, coronel Jorge Luango, do subcomandante do Corpo de Bombeiros, coronel Isaac Muniz Matos, do comandante da Academia de Polícia Militar Gonçalves Dias, coronel Raimundo Nonato Sá, do capitão Paulo França, do 24º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS) e de diversos outros oficiais.