AS DUAS FACES DE GASTÃO VIEIRA E MÁRCIO JERRY AO DEFENDER EX-PREFEITO PRESO POR FRAUDE E CORRUPÇÃO

Os deputados federais Gastão Vieira (PROS) e Márcio Jerry (PCdoB) usaram o Twitter, no último sábado 7, antevéspera da data em que é comemorado o Dia Internacional Contra a Corrupção, dia 9 de dezembro, para defender o ex-prefeito de Cururupu, José Francisco Pestana.

Com três sentenças condenatórias transitadas em julgado, o ex-gestor foi preso pela Polícia Civil do Maranhão no mês passado, para cumprimento de penas que chegam a quase 19 anos de prisão, por apropriação ou desvio de verbas públicas, peculato, fraude em licitação e outros crimes. Está na PRSLZ (Penitenciária Regional de São Luís), antigo Presídio São Luís III, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Para Gastão Vieira, porém, Francisco Pestana não possui qualquer atitude que desabone sua vida pública, e deve apenas ter cometido descuidos na administração pública municipal por pura inocência.

Conheço Francisco Pestana, ex-prefeito de Cururupu, há muito tempo. Nunca teve atitudes que desabonassem a sua conduta. Por boa-fé ou ingenuidade, não teve os cuidados devidos com o encerramento de sua gestão e com os processos. Manifesto apoio, estando ao lado dele e de sua família, publicou.

Em comentário à postagem do colega de bancada e de grupo político, Márcio Jerry reforçou a defesa.

Também o conheço de longas datas e faço minhas também suas palavras solidárias e de confiança”, respondeu o comunista.

De acordo com as três sentenças que condenaram Francisco Pestana à prisão, investigações do Ministério Público do Maranhão, autor das denúncias, apontaram que os crimes foram cometidos por ele durante os exercícios financeiros de 2007 e 2008.

O dinheiro público, ainda segundo o Ministério Público, teria sido roubado pelo ex-prefeito de Cururupu principalmente da verba destinada à merenda escolar, pavimentação de ruas e aquisição de medicamentos e materiais hospitalares, dentre outras ações.

Além das sentenças nas ações penais, ele também possui diversas condenações por improbidade administrativa.

PREFEITO DE DOM PEDRO RECORRE AO “PAI EM NOSSO” APÓS SER VAIADO EM PRAÇA PÚBLICA

A festa de comemoração dos 67 anos da  cidade de Dom Pedro, além de um grande gasto de verba pública em atrações de renome nacional, parece que não deixou a população da cidade muito feliz. A noite de domingo (08),  foi marcada pela demonstração de insatisfação do povo com a gestão do prefeito Alexandre Costa (PSC), que durante a sua fala, foi vaiado vergonhosamente.

O povo dompedrense tem sentido na pele as consequências da atrapalhada gestão do atual prefeito que já foi marcada por diversos pontos negativos, começando da eleição conturbada até problemas de atraso de salários, falta de suprimentos nos postos de saúde e hospitais, e uma polêmica relacionada ao esporte favorito do filho do prefeito, no caso a vaquejada. Esses casos devem ter inspirado a população a se manifestar na forma que pôde naquele momento: Vaiando.

                                                               Assista abaixo o vídeo;

Fonte: Minuto Barra

ENQUANTO OS SERVIDORES PADECEM SEM SALÁRIO, PREFEITO DE TUNTUM QUER GASTAR QUASE R$ 6 MILHÕES EM COMPRA DE MEDICAMENTOS

Pelo visto, a prefeitura de Tuntum comandada pelo prefeito Cleomar Tema não vai deixar faltar medicamentos para os moradores da cidade a partir do próximo ano. É que o governo municipal fechou cinco contratos milionários com cinco empresas de distribuição de medicamentos para o ano de 2020. O primeiro contrato foi feito com a empresa DROGA ROCHA DISTRIBUIDORA, com sede em Teresina, no valor de R$ 1.845,610 ( um milhão, oitocentos e quarenta e cinco mil e seiscentos e dez reais). Só lembrando, que a empresa Droga Rocha inclusive teve seus bens bloqueados por ter entregue medicamento com prazo de validade vencido na cidade de Conceição do Lago Açu. A decisão foi do Juiz federal de Bacabal, Clécio Alves de Araújo, esta semana.

SEGUNDO CONTRATO

O segundo contrato foi com a empresa DISTRIMED COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES, com sede também em Teresina, a referida empresa foi a ganhadora de um contrato de exatos R$ 1.109, 680 (um milhão, cento e nove mil e seiscentos e oitenta reais).

TERCEIRO CONTRATO

O terceiro contrato foi firmado entre a empresa ÓTIMA DISTRIBUIDORA, que também tem sede em Teresina no valor de R$ 859.190 (oitocentos e cinquenta e nove mil, cento e noventa reais).

QUARTO CONTRATO

O quarto contrato a prefeitura de Tuntum firmou entre a empresa A S LUSTOSA com sede em Teresina, ganhou um valor de R$ 1.385,950 (um milhão, trezentos e oitenta cinco mil e novecentos e cinquenta reais)

QUINTO CONTRATO

O quinto contrato que também foi firmado com outra empresa de Teresina. A prefeitura de Tuntum administrada pelo prefeito Cleomar Tema firmou outro contrato gordo com a empresa DIMENSÃO DISTRIBUIDORA, que também é sediada em Teresina, no valor de R$ 1.133, 750 (um milhão, cento e trinta e três mil e setecentos e cinquenta reais)

                                                          Veja os extratos com os valores abaixo

01-EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019A-PP – FMS

EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019A-PP – FMS: CONTRATANTE: Fundo Municipal de Saúde de Tuntum, CNPJ: 10.476.850/0001-14, CONTRATADA: Droga Rocha Distribuidora de Medicamentos Ltda-EPP, CNPJ nº. 05.348.580/0001-26. OBJETO: Aquisição futura de medicamentos para Atenção Básica pertencente a Rede Municipal de Saúde de Tuntum/MA, itens 01, 04, 11, 14, 17, 21, 23, 25, 34, 44, 45, 47, 49, 52, 58, 73, 76 e 81. VALOR DO CONTRATO: R$ 1.845.610,00 (Hum milhão, oitocentos e quarenta e cinco mil, seiscentos e dez reais). PRAZO DE EXECUÇÃO: 12 (doze) meses. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Art. 61 § único da Lei Federal nº. 8.666/93. RECURSOS: 02.09.00 – 10.122.0002.2024.0000; 10.301.0019.2026.0000; 10.301.0019.2027.0000; 10.301.0019.2054.0000; 10.301.0019.2055.0000; 3.3.90.30.00. Signatários: Pela contratada o Sr. Antonio Francisco Rocha de Abreu e pela contratante o Sr. Laecyo Fabricyo Coelho de Sousa, Secretário Municipal de Saúde. Tuntum/MA, 20/11/2019.

02-EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019B-PP – FMS

EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019B-PP – FMS: CONTRATANTE: Fundo Municipal de Saúde de Tuntum, CNPJ: 10.476.850/0001-14, CONTRATADA: Distrimed Comercio e Representações Ltda-ME, CNPJ nº. 08.516.958/0001-41. OBJETO: Aquisição futura de medicamentos para Atenção Básica pertencente a Rede Municipal de Saúde de Tuntum/MA, itens 03, 12, 15, 16, 19, 22, 41, 50, 51 ,56, 59, 66, 71, 80, 82 e 84. VALOR DO CONTRATO: R$ 1.109.680,00 (Hum milhão cento e nove mil seiscentos e oitenta reais). PRAZO DE EXECUÇÃO: 12 (doze) meses. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Art. 61 § único da Lei Federal nº. 8.666/93. RECURSOS: 02.09.00 – 10.122.0002.2024.0000; 10.301.0019.2026.0000; 10.301.0019.2027.0000; 10.301.0019.2054.0000; 10.301.0019.2055.0000; 3.3.90.30.00. Signatários: Pela contratada o Sr. Mario Dias Ribeiro Neto e pela contratante o Sr. Laecyo Fabricyo Coelho de Sousa, Secretário Municipal de Saúde. Tuntum/MA, 20/11/2019.

03-EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019C-PP – FMS

EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019C-PP – FMS: CONTRATANTE: Fundo Municipal de Saúde de Tuntum, CNPJ: 10.476.850/0001-14, CONTRATADA: R. O Carvalho do Nascimento (Ótima Distribuidora), CNPJ nº. 05.577.401.0001-22. OBJETO: Aquisição futura de medicamentos para Atenção Básica pertencente a Rede Municipal de Saúde de Tuntum/MA, itens 06, 07, 13, 18, 30, 38, 46, 54, 61, 63, 64, 68, 69, 83, 85 e 86. VALOR DO CONTRATO:  R$ 859.190,00 (Oitocentos e cinqüenta e nove mil, cento e noventa reais). PRAZO DE EXECUÇÃO: 12 (doze) meses. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Art. 61 § único da Lei Federal nº. 8.666/93. RECURSOS: 02.09.00 – 10.122.0002.2024.0000; 10.301.0019.2026.0000; 10.301.0019.2027.0000; 10.301.0019.2054.0000; 10.301.0019.2055.0000; 3.3.90.30.00. Signatários: Pela contratada a Sra. Rejane Oliveira Carvalho do Nascimento e pela contratante o Sr. Laecyo Fabricyo Coelho de Sousa, Secretário Municipal de Saúde. Tuntum/MA, 20/11/2019.

04-EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019D-PP – FMS

EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019D-PP – FMS: CONTRATANTE: Fundo Municipal de Saúde de Tuntum, CNPJ: 10.476.850/0001-14, CONTRATADA: A S LUSTOSA – EPP, CNPJ nº. 26.142.468/0001-04. OBJETO: Aquisição futura de medicamentos para Atenção Básica pertencente a Rede Municipal de Saúde de Tuntum/MA, itens 05, 09, 20, 24, 26, 27, 29, 35, 40, 42, 48, 53, 57, 60, 70, 74 e 78. VALOR DO CONTRATO: R$ 1.385.950,00 (Hum milhão, trezentos e oitenta e cinco mil, novecentos e cinqüenta reais). PRAZO DE EXECUÇÃO: 12 (doze) meses. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Art. 61 § único da Lei Federal nº. 8.666/93. RECURSOS: 02.09.00 – 10.122.0002.2024.0000; 10.301.0019.2026.0000; 10.301.0019.2027.0000; 10.301.0019.2054.0000; 10.301.0019.2055.0000; 3.3.90.30.00. Signatários: pela contratada a Sr. Alexsandro Soares Lustosa e pela contratante o Sr. Laecyo Fabricyo Coelho de Sousa, Secretário Municipal de Saúde. Tuntum/MA, 20/11/2019.

05-EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019E-PP – FMS

EXTRATO DE CONTRATO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2019– SRP – Contrato Nº. 021/2019E-PP – FMS: CONTRATANTE: Fundo Municipal de Saúde de Tuntum, CNPJ: 10.476.850/0001-14, CONTRATADA: Dimensão Distribuidora de Medicamento Eireli, CNPJ nº. 02.956.130/0001-28. OBJETO: Aquisição futura de medicamentos para Atenção Básica pertencente a Rede Municipal de Saúde de Tuntum/MA, itens 02, 08, 10, 28, 31, 32, 33, 36, 37, 39, 43, 55, 62, 65, 67, 72, 75, 77 e 79. VALOR DO CONTRATO: R$ 1.133.750,00 (Hum milhão cento e trinta e três mil setecentos e cinqüenta reais). PRAZO DE EXECUÇÃO: 12 (doze) meses. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Art. 61 § único da Lei Federal nº. 8.666/93. RECURSOS: 02.09.00 – 10.122.0002.2024.0000; 10.301.0019.2026.0000; 10.301.0019.2027.0000; 10.301.0019.2054.0000; 10.301.0019.2055.0000; 3.3.90.30.00. Signatários: Pela contratada a Sr. Jadyel Silva Alencar e pela contratante o Sr. Laecyo Fabricyo Coelho de Sousa, Secretário Municipal de Saúde. Tuntum/MA, 20/11/2019.

“VAI HAVER GUERRA” DIZ LÍDER INDÍGENA SOBREVIVENTE DE ATAQUE A ALDEIA

Sobrevivente do ataque a tiros no dia 1º de novembro na terra indígena Arariboia, no Maranhão, o “guardião da floresta” Laércio Guajajara, 34, está sob proteção do governo estadual numa cidade maranhense. Sua localização é mantida em segredo.

Ele tem uma bala alojada no corpo e disse à Folha de S.Paulo que vai haver “guerra” se a Justiça não tomar providências para conter a invasão da Arariboia.

O indígena Paulo Paulino, 26, também “guardião”, foi assassinado com um tiro no ataque de novembro.Laércio narrou à reportagem sua trajetória e a situação tensa na região.

Nasci na aldeia do Funil, em Arariboia. Tenho três filhos.Eu tinha uns 16 anos quando ocorreu o assassinato do cacique Tomé [por madeireiros]. Eu não tinha muito interesse em lutar, mas depois que houve isso me deu uma vontade de ajudar na proteção da terra.

Eu via a exploração da terra. Muito caminhão saindo com madeira, com estacas, muita destruição.

Quando começaram os “guardiões”, em 2013, eu me senti forte. Já estava com idade para lutar. Desde o início já começaram as ameaças. Participei da primeira ação dos “guardiões”.

Ocorreu depois que a gente foi à Funai pedir para eles nos ajudarem a defender a terra. Aí algum deles lá falou que a nossa terra “não tinha mais jeito”, que era para nós “largar de mão porque já era considerada perdida”.

Foi quando a gente ficou com muita raiva e decidiu que ia mostrar que na nossa terra também tinha guerreiro e não ia ser perdida como eles estavam dizendo.

A primeira ação foi nas aldeias Mucura e Bacabal, ao mesmo tempo. Pegamos dois caminhões. No primeiro dia quase teve conflito.

Chegamos a pé e numas motinhas velhas. Éramos apenas seis no máximo.

O Paulino também começou nesse dia. Quando abordamos os caminhões, ele chegou. Ele era muito criança [cerca de 15 anos] mas chegou com flechas e todo pintado. Não precisou chamar nem convidar ele.

Ele já teve essa atitude de guerreiro desde menino e nunca mais se separou da gente. Eu também estava com flecha, borduna, espingarda.

A minha vida de lá para cá mudou muito. Não tive mais liberdade para nada, nem de sair do território. A gente evita sair, é ameaçado de morte.

Sempre que um índio procura defender sua terra, vai ser procurado até ser morto pelos pistoleiros.

Isso não vai acabar se a Justiça não tomar de conta. Vai é piorar mais. Acho que vai ter uma guerra no futuro com o branco. Porque nós não vamos entregar nossa terra para eles destruírem. E eles não vão querer desistir de roubar o que é nosso.

Nós sempre falamos que nunca vamos desistir. Porque mais uma vida de um guerreiro foi matada dentro do território por defender a terra. Isso traz muita revolta para nós. Se não tiver Justiça, nós vamos continuar a guerra mesmo se matando com os brancos”.

CORPOS DE ÍNDIOS MORTOS PRÓXIMO A BARRA DO CORDA SÃO ENTERRADOS SOB FORTE EMOÇÃO

O corpo do cacique Firmino Silvino Guajajara, morto a tiros em um atentado a indígenas no Maranhão, foi sepultado no fim da manhã desta segunda-feira (9) na Terra Indígena Cana Brava, no município de Jenipapo dos Vieiras, localizado a 506 km de São Luís. O cacique Raimundo Bernice Guajajara, que também morreu no atentado, foi sepultado também na tarde de ontem.

Sob forte emoção, o sepultamento foi realizado com a presença de familiares e amigos do cacique da aldeia Severino.

Os dois indígenas que ficaram feridos no atentado ainda continuam internados. Um dos índios foi submetido a uma cirurgia no Hospital Macrorregional de Presidente Dutra e encontra-se estável, mas seu estado de saúde é considerado grave, segundo o último boletim emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). O segundo índio que ficou ferido deve ter alta ainda hoje, terça-feira 10.

Um inquérito foi aberto pela Polícia Federal (PF) para investigar o caso. A Polícia Civil do Maranhão encaminhou um relatório à PF e também acompanha as investigações do caso.

 Raimundo Guajajara morreu durante o ataque a índios em Jenipapo dos Vieiras.

Um representante do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos deve realizar ainda nesta terça (10) uma visita a Terra Indígena Cana Brava. De acordo com a Fundação Nacional do Índio (Funai), o crime pode ter relação com os constantes assaltos registrados no trecho da BR-226.

Em um vídeo que circulou nas redes sociais após o ataque, o indígena Nelsi Guajajara, que ficou ferido durante o ataque, contou que foi surpreendido por um veículo de cor branca que disparou diversas vezes contra a motocicleta onde ele e Firmino Guajajara estavam.

PROTESTOS

Por quase dois dias, três pontos da BR-226, na altura das aldeias indígenas Boa Vista e El Betel, localizado entre os municípios de Barra do Corda e Grajaú, ficaram bloqueados pelos indígenas que protestavam pelo atentado. O trecho foi totalmente liberado no final da tarde de domingo (08).

Um congestionamento de veículos de mais de 1,5 quilômetro foi registrado na área. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal do Maranhão (PRF-MA), os índios chegaram a atacar com pedras um ônibus que trafegava pela região. As janelas do veículo foram quebradas e a ação causou pânico e medo nos passageiros.

CARRO ROUBADO É ENCONTRADO ABANDONADO NA ZONA RURAL DE CAXIAS

Um carro com registro de roubo foi encontrado abandonado no povoado Soledade, em Caxias, na manhã desta segunda-feira (9).

A guarnição militar do Esquadrão Águia foi deslocada para verificar a denúncia de um automóvel abandonado na localidade. Chegando ao local, a equipe policial localizou o veículo e após consultar o sistema da Polícia Civil, constatou-se que o veículo era roubado.

O automóvel foi guinchado até à delegacia de Polícia Civil.

Fonte: Noca

SINDEDUCAÇÃO DESMENTE FEDERAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DO MARANHÃO, VEJA A NOTA ABAIXO

O Sindeducação vem a público se manifestar sobre uma nota da Federação dos Municípios do Maranhão – FAMEM, que orienta os gestores municipais a não utilizarem os recursos dos Precatórios do FUNDEF com pagamento de professores. Para o sindicato, a recomendação, além de controversa, desvirtua os princípios contidos na Lei do FUNDEF, n.º 9424/1996, que determina a utilização de pelo menos 60% dos recursos com pagamento de professores e utilização dos outros 40% com ações de manutenção e desenvolvimento da educação básica.

O que diz a Lei do FUNDEF:

Art. 7º. Os recursos do Fundo, incluída a complementação da União, quando for o caso, serão utilizados pelos Estados, Distrito Federal e Municípios, assegurados, pelo menos 60% (sessenta por cento) para a remuneração dos profissionais do Magistério, em efetivo exercício de suas atividades no ensino fundamental público.

Discorre publicação, baseada em nota técnica da Rede de Controle da Gestão Pública no Maranhão, que a destinação dos recursos dos precatórios do Fundef para pagamento de professores é inconstitucional, “no entanto, reconhece a autonomia dos municípios para efetuar os gastos de forma a garantir o interesse público”.

Para a professora Elisabeth Castelo Branco, presidente do Sindeducação e membro da Frente Norte/Nordeste pela Educação, a orientação da Rede de Controle e da própria FAMEM divergem da lei, pois sugerem que os 60% definidos em lei para pagamento de professores sejam utilizados ao “ao gosto dos prefeitos”. “Quando lemos a nota, percebemos que apenas a parte dedicada a pagamento de professores é ilegal segundo a Rede de Controle. Quer dizer que a utilização dos recursos para ações de manutenção da Educação Básica, que a FAMEM orienta e também está prevista na Lei do FUNDEF não é ilegal? O pagamento dos 60% dos precatórios aos professores não é de interesse público? A nota é um ataque aos direitos dos profissionais do Magistério!”, questiona a sindicalista.

De acordo com a dirigente, professores de todos os estados da região Nordeste já receberam valores referentes aos precatórios, mas no Maranhão parece que há uma espécie de “barreira institucional”, que busca “privilegiar o gasto das verbas de forma desordenada”, lamenta a sindicalista.

Recentemente, no último dia 7 de novembro, a Justiça Federal em Alagoas autorizou o rateio de R$ 20 milhões dos recursos dos precatórios para os professores da Rede Municipal de ensino de Arapiraca (AL); em junho de 2018, os professores do município de Itatira, no Ceará, receberam R$ 8,5 milhões de reais, referentes aos 60% dos precatórios. Na Bahia, no último dia 4 de novembro, o Tribunal de Justiça, a pedido do Sindicato dos Professores do Estado – APLB, com parecer favorável do Ministério Público, bloqueou 60% dos recursos dos precatórios do Fundef na conta da prefeitura de Itabela, interior baiano, para garantir a correta aplicação dos valores.

“O Judiciário, o MP e as redes de controle em todo o Nordeste entendem, em sua maioria, acompanhando o julgamento no STF, na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental – ADPF 528, que busca vincular os R$ 90 bilhões dos precatórios do FUNDEF para o Magistério, e que até o momento está de 5 a 2 para os professores, que os 60% são dos professores; mas no Maranhão a Rede de Controle busca criar um entendimento só seu, e que não condiz com a Lei do antigo FUNDEF”, denuncia a professora Elisabeth Castelo Branco.

A Frente Norte/Nordeste pela Educação entende que a subvinculação de 60% para o magistério, além de ser referência constitucional para alocação prioritária dos recursos educacionais, atende a um dos princípios fundamentais do antigo FUNDEF e do FUNDEB atual, que visa garantir um padrão nacional para a valorização dos professores nas escolas públicas.

PREJUÍZO DOBRADO

 À época do FUNDEF o mecanismo para se alcançar o padrão de valorização foi a média do custo aluno per capita, comprovadamente desobedecido pela União. “Ao deixar de repassar os valores corretos para a complementação do FUNDEF, os profissionais do Magistério tiveram dupla perda, a primeira à época dos repasses rebaixados, que lhes tirou parte da remuneração a que tinham direito; e a outra, a partir de 2007, quando o FUNDEF, subestimado serviu de referência para o custo mínimo do FUNDEB, e consequentemente, para a remuneração da categoria em patamares inferiores ao que deveria ter sido, caso o FUNDEF fosse corrigido corretamente”, finaliza a professora Elisabeth Castelo Branco.

Imprensa Sindeducação.

JUIZ DO MARANHÃO É ALVO DE INVESTIGAÇÃO NO GAECO POR SUPOSTA AGIOTAGEM

O juiz Sidarta Gautama, com atuação em Caxias, é alvo de Procedimento Investigatório Criminal aberto pelo Gaeco por suposta participação em organização que pratica agiotagem no Maranhão.

A informação consta de um pedido de providências formulado pela da Corregedoria Nacional de Justiça, órgão ligado ao CNJ, ao Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA).

Gautama ganhou recente notoriedade no caso de uma série de decisões autorizando a transferência de alunos de universidades particulares para o curso de Medicina da Uema.

Por conta disso, é alvo, também, de uma sindicância na Corregedoria-Geral de Justiça do Maranhão (saiba mais)

Fonte: Gilberto Léda