VEJA A MENSAGEM DE PAZ, AMOR E SAÚDE DO CENTRO MÉDICO RAD IMAGEM CODÓ

Um novo ano se aproxima , e neste momento muitas pessoas oferecem  PAZ,   AMOR e SAÚDE  para aqueles que amam.

No CENTRO MÉDICO RAD IMAGEM   Trabalhamos constantemente para transformar estes três desejos em realidade o ano todo , através do calor humano em nossas ações e do compartilhamento do conhecimento . E assim continuaremos em 2020 , pois conhecendo mais, a gente cuida melhor.

 Família Rad Imagem agradece à todos os clientes e amigos . Um feliz Natal e próspero ano novo.

                                                             Assista ao vídeo abaixo:

 

ESTADO DEVE RESSARCIR FAMÍLIA DE ADOLESCENTE MORTO POR CHOQUE ELÉTRICO EM ESCOLA DE ESPERANTINÓPOLIS

Uma sentença proferida pelo Poder Judiciário da Comarca de Esperantinópolis condenou o Estado do Maranhão a indenizar a família de um adolescente que morreu eletrocutado após tocar em uma grade de proteção de uma quadra esportiva de uma escola.

Após esgotados os recursos, a sentença determina que deverá o Estado pagar à parte autora, a título de indenização pelos danos morais causados, a quantia de R$ 300 mil, bem como pagar, a título de indenização por lucros cessantes, pensão mensal correspondente a 2/3 (dois terços) do salário-mínimo nacional até a data em que o adolescente completaria 25 (vinte e cinco) anos e, posteriormente, reduzida para o valor correspondente a 1/3 (um terço) do salário-mínimo vigente até que este completasse 65 (sessenta e cinco) anos de idade ou até o falecimento da autora, no caso, a mãe do estudante.

A sentença, assinada pela juíza titular Urbanete de Angiolis, é resultado de uma Ação Indenizatória por Danos Morais e Materiais movida pela mãe, tendo como parte requerida o Estado do Maranhão. Na ação, a mãe relata que, na data de 23 de dezembro de 2016, seu filho de 16 anos de idade estava jogando futebol na quadra de esporte do Centro de Ensino Antônio Corrêa, em Esperantinópolis, quando sofreu choque elétrico, vindo a falecer em função da forte descarga.

Afirma a autora que, naquele dia, seu filho saiu de casa para jogar futebol com seus amigos na quadra de esportes do Centro de Ensino Antônio Corrêa, escola estadual de ensino médio localizada em Esperantinópolis. Relata, ainda, que a vítima teria entrado em contato com a grade de proteção da quadra, recebendo um forte choque elétrico que lhe causou o óbito.

Detalha ainda a inicial que, devido à intensidade da descarga elétrica, o jovem ficou preso ao alambrado e alguns colegas, ao tentarem socorrê-lo, também receberam descarga elétrica. Afirma, também, que após algumas tentativas os colegas conseguiram desgarrar a vítima da grade e tentaram reanimá-la. Como não conseguiram, levaram o adolescente com urgência para o hospital local, mas devido à forte descarga elétrica recebida, o jovem já estava sem vida.

Na ação, a autora pretendeu que o Estado fosse condenado a pagar-lhe indenização por danos morais e materiais pelas despesas realizadas com funeral, jazigo e luto da família, bem como por lucros cessantes, este último em forma de pensionamento. Em contestação, o Estado alegou inexistência de responsabilidade civil.

OMISSÃO

 “No presente caso, a autora argumenta que houve omissão do Estado quanto a realização de obras de manutenção e reparo na rede elétrica da quadra de esportes de uma das escolas pertencentes a sua rede de ensino. O Estado, por sua vez, se exime da responsabilidade, alegando a falta de provas quanto ao nexo causal do evento danoso e que a morte da vítima tenha sido em decorrência da falta de manutenção dos equipamentos de seu estabelecimento educacional. Pois bem. Inegavelmente, o pedido formulado na exordial é, ao menos em parte, procedente”, pondera a juíza ao fundamentar a sentença.

E segue: “Não bastassem essas provas documentais anexadas ao processo, nos autos constam o depoimento pessoal da autora e a inquirição de 03 (três) testemunhas oculares do evento danoso, sendo que 02 (duas) delas asseguraram que o defeito elétrico que ocasionou a morte do adolescente era antigo e crônico, sendo do inteiro conhecimento do diretor do estabelecimento de ensino”.

Para a Justiça, por tudo que foi demonstrado, ficou clara a responsabilidade civil do Estado, na medida em que ficou provado nos autos que a morte de um adolescente de apenas 16 anos de idade ocorreu pelo absoluto descaso do requerido em manter condições mínimas de segurança na quadra de esportes frequentada por inúmeras pessoas.

POLÍCIA DE VARGEM GRANDE PRENDE TRIO QUE REALIZAVA FURTOS NA ZONA RURAL

A equipe de policia civil, sob o comando do DPC Bruno Sobreira, ontem quarta feira (11), realizou no povoado “LEITE” uma operação que visava apurar denúncias sobre a atuação de uma quadrilha que realizava furtos naquela localidade. O produto desses crimes era direcionado a conhecidos receptadores no Povoado Leite. Após localizar um dos suspeitos do furto, OUROFRAN COSTA, que confessou o crime e resolveu colaborar nas investigações e diligências realizadas no Povoado Leite, a EQUIPE da PCVG conseguiu capturar e prender em flagrante: MARIA LUCILENE DOS SANTOS, por RECEPTAÇÃO e POSSE DE ARMA DE FOGO e de FRANCISCO DAS CHAGAS SILVA MAGALHÃES, por RECEPTAÇÃO QUALIFICADA e POSSE DE ARMA DE FOGO. Com FRANCISCO DAS CHAGAS, foram encontrados 51 sinalizadores reflexivos, popularmente conhecido como “Olho de Gato”, resultado do crime de DANO QUALIFICADO contra o patrimônio da União (BR-222). Boa parte do produto dos furtos foi recuperada, apresentada e apreendida na Delegacia de Vargem Grande.

POLÍCIA DE BARRA DO CORDA PRENDE GUAJAJARA ACUSADO DE MATAR UMA ÍNDIA DE 14 ANOS EM ARAME

A Polícia Civil do Maranhão, através da 15º Delegacia Regional de Barra do Corda, elucidou um crime de homicídio qualificado, ocorrido na madrugada do dia 01 de dezembro de 2019 do corrente ano, na Aldeia Cururu, Zona Rural da cidade de Arame/MA, tendo como vítima o indígena Jose Rosa Avelino Guajajara de apenas 14 anos de idade.

Após o crime, a polícia passou a efetuar diligencias e identificou o autor do homicídio, bem como representou pela prisão preventiva de Clovis Sousa Guajajara.

De posse do mandado, a Polícia Civil de Barra do Corda com o apoio da equipe de captura da Delegacia de Arame/MA, prendeu Clovis Guajajara e o encaminhou para a UPR de Grajaú/MA, onde ficará à disposição da Justiça.

Ascom: Polícia de Barra do Corda

POLÍCIA CUMPRE MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO NA CIDADE DE BURITI

Uma ação conjunta das Forças de Segurança Pública envolvendo a Polícia Civil, a Polícia Militar e a Guarda Municipal deflagrou nesta quarta-feira 11/12 uma operação Policial na cidade de Buriti/MA. Esta operação contou com a participação de Policiais Civis da Regional de Chapadinha (3ª DRPC), Policiais Militares do 16º Batalhão de Polícia Militar, além da Guarda Civil de Buriti/MA.

O objetivo da ação policial foi dar cumprimento à mandados de busca e apreensão domiciliar e mandados de apreensão de menor infrator, todos expedidos pelo Meritíssimo Juiz de Direito da Comarca de Buriti, atendendo à solicitação do Delegado Polícia Civil da cidade com parecer favorável do Promotor de Justiça.

As diligências se concentraram no Bairro Bacuri, local onde foi apreendido o menor E.B.S (17 anos), sendo encontrado em sua residência duas armas de fogo, o que gerou também o flagrante do padrasto do menor, o Senhor Antônio José Eugênio da Conceição Silva (34 anos), pelo crime de posse irregular de arma de fogo de uso permitido. Foi arbitrado fiança, o que foi pago, possibilitando a imediata soltura do autuado. Já em relação a apreensão do menor, este será encaminhado ao Centro de Juventude Canaã, na cidade de São Luís/MA, onde ficará à disposição da Justiça para responder pelos atos infracionais praticados.

CÉSAR PIRES COBRA MAIS RECURSOS À SAÚDE AO VOTAR A LDO 2020

O deputado César Pires propôs o remanejamento de recursos da Secretaria de Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap) para a área da saúde ao apresentar destaques ao projeto de lei que estima receita e fixa despesas do Estado para 2020. Com a iniciativa, o parlamentar defendeu a destinação de R$ 10 milhões para a política de sangue e derivados e para o Fundo Estadual de Combate ao Câncer, mas a base governista rejeitou as duas emendas.

Na emenda 230, César Pires propôs que R$ 3 milhões do orçamento de R$ 76 milhões da Secap para 2020 fossem remanejados para a política de sangue e derivados. “Há sempre muita carência de sangue para atender as pessoas que precisam se submeter a cirurgias, por exemplo. É uma prestação de serviços à população que necessita de mais recursos, um atendimento muito mais prioritário que a propaganda do governo”, justificou ele.

César Pires também propôs que do milionário orçamento da Secap – R$ 76 milhões previstos para 2020 – fossem remanejados R$ 7 milhões para o Fundo Estadual de Combate ao Câncer, que poderiam ser aplicados em diversas ações e serviços de prevenção e de assistência aos pacientes oncológicos no Maranhão. O orçamento da Comunicação aumentará R$ 13 milhões. Não é mais urgente destinar R$ 7 milhões para combater o câncer no nosso estado?”, questionou ele.

Durante a votação do orçamento do Estado para o próximo ano, César Pires destacou que, apesar de 88,4% da população do Maranhão não terem acesso a rede de esgoto, e de 47,3% dos maranhenses viverem sem água tratada em suas casas, o governo Flávio Dino reduzirá em 30,4% os recursos da Caema (de R$ 225 milhões para R$ 156,6 milhões) e diminuirá de R$ 532,3 milhões para R$ 399,7 milhões os recursos destinados à infraestrutura.

Enquanto a população sofre com a demissão de funcionários nas UPAs e com o fechamento de hospitais, o governo só acrescentará um pouco mais de R$ 1 milhão ao orçamento da saúde em 2020. Mas para fazer propaganda, o governo aumentará muito mais seus gastos, de R$ 63,5 milhões para R$ 76,6 milhões, um acréscimo de R$ 13 milhões. É uma total falta de respeito e de humanidade com a população do Maranhão”, concluiu César Pires.

Apesar de todos os argumentos dos deputados César Pires, Adriano e Wellington do Curso,  todas as emendas da oposição ao Orçamento do Estado para 2020 foram rejeitadas na votação do projeto do Executivo, no plenário da Assembleia Legislativa, e a matéria foi aprovada.

PREFEITO DE LAGO VERDE BAIXA DECRETO E PÕE QUILO DE CARNE COM OSSO A R$ 12 E SEM OSSO A R$ 15

O prefeito Francisco Clidenor (Cidadania), de Lago Verde, no interior do Maranhão, baixou decreto para fixar o preço da carne bovina nos açougues de sua cidade de cerca de 16 mil habitantes. Na canetada ele decidiu que a carne com osso não pode ser vendida acima de R$ 12 o quilo, enquanto a maciça não pode ultrapassar R$ 15.

O secretário de Fazenda do município Geyson Aragão explicou ao Estado que é uma ‘questão cultural’ somente dois preços para a carne bovina. E que todos os açougues do município – cerca de oito – cobram o mesmo preço.

Nós sempre temos reuniões para definir a questão do preço”, disse Aragão. “Mas por meio de reunião, nunca de decreto”.

Ele se espantou quando soube da decisão, e afirma que está ausente do município por problemas de saúde. Por isso, não deu seu consentimento para a assinatura da medida. “Eu falei que ele (prefeito) não poderia ter feito isso por decreto.”

Geyson irá se reunir com o alcaide para sugerir a revogação da medida. “Até porque está sendo repercutido no Maranhão todo, mas ninguém está cumprindo no município.”

O secretário nega que os motivos para o aumento no preço da carne na cidade sejam os mesmos do restante do País. Isso porque Lago Verde se encontra numa região de fazendas com grandes rebanhos.

Geyson contou. “Conversei com os donos de açougue, e não está tendo boi. Os criadores não vendem a carne. E quando vendem, é com um preço alto. Por isso os açougueiros não conseguem baixar o preço.”

O decreto existe, afirma o secretário, mas o prefeito não tem poder para mandar fiscais aos açougues verificar se ele está sendo cumprido. “A população fala: ‘Vocês não têm moral, ninguém está cumprindo’. Só que não temos como.”

Fonte: Neto Ferreira

“OITENTA” É PRESO EM CAXIAS APÓS SER SENTENCIADO POR ASSALTO

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Regional de Caxias, efetuou a prisão de José Luís da Conceição Araujo, vulgo Oitenta, 32, em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido pelo Juízo da 1 Vara Criminal de Caxias, Dr. Paulo Afonso. Oitenta foi sentenciado a 06 anos de reclusão, pela prática de roubo majorado. O mesmo possuí várias passagens criminais, por roubos, furtos e lesão corporal dolosa, sendo.l, também, ligado a uma facção criminosa.