NO SENTIDO DE INTIMIDAR, SECRETARIA DE SEGURANÇA DO MARANHÃO ABRE INQUÉRITO PARA INVESTIGAR BLOGUEIRO

Comandada pelo delegado Jefferson Portela desde 2015, período do qual iniciou o governo Flávio Dino (PCdoB), a Secretaria de Segurança Pública está sendo usada para investigar jornalistas que publicam matérias de interesse público.

Em total afrontar ao entendimento do próprio Supremo Tribunal Federal, que defende a liberdade de expressão e sigilo da fonte, o sistema de segurança do MA abriu um inquérito de número 037/2919, para ouvir a princípio na condição de testemunha o titular do Blog Neto Ferreira sobre uma reportagem que foi ao ar no dia 27 de março deste ano titulada de “gravação revela proposta de R$ 10 milhões e interferências no caso Decio Sá“, e transcreve um áudio de Miranda Alencar, pai do agiota Gláucio Alencar, onde o mesmo revela ter recebido proposta de R$ 10 milhões para assumir a articulação do assassinato do jornalista e acusar o ex-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho, e o juiz Cidarta Gautama como mandantes do crime (reveja)

Mas, diante do interrogatório feito na tarde do dia (12) pelo delegado que chefia um departamento subordinado hierarquicamente ao chefe da SSP, ficou comprovado que o governo está usando das mesmas práticas do governo antecessor que, investigou, também, jornalistas.

E queriam saber qual relação entre o titular do Blog e o ex-deputado Raimundo Cutrim. E mais: se a publicação da reportagem, obviamente de interesse público, foi para direcionar as investigações. Um verdadeiro absurdo!

O que chamou mais atenção, sem sombra de dúvidas, foi a introdução do delegado subordinado de Jefferson Portela, ao referir-se de forma pejorativa a liberdade de expresso e sigilo da fonte, embora o próprio governador Flávio Dino se mostre no twitter um defensor de tais diretos.

Fonte: Neto Ferreira

Um comentário em: “NO SENTIDO DE INTIMIDAR, SECRETARIA DE SEGURANÇA DO MARANHÃO ABRE INQUÉRITO PARA INVESTIGAR BLOGUEIRO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *