EM COROATÁ, PROFESSORES RECLAMAM QUE ESTÃO SENDO PERSEGUIDOS POR TEREZA E RICARDO MURAD

20150505_180039

Professores em reunião na ultima terça feira (05)

 No município de Coroatá, cerca de 200 professores estão sendo perseguidos pela prefeita Tereza Murad e seu esposo, o ex-secretário de saúde do Estado, Ricardo Murad. A denúncia foi feita ao Blog do de Sá na tarde da última terça-feira, dia 05. Os professores alegam que a prefeita da cidade estaria perseguindo a categoria por conta das greves realizadas em busca da garantia de seus direitos. Na pauta de reivindicações os educadores tem cerca de 26.32 no ano de 2013 e ainda um reajuste de 8.2 do ano passado que nunca foi repassado aos professores, mais o reajuste de 13,01 deste ano, que também não foi repassado.
Os professores sabem que isso é legal para a categoria, a partir da lei que ampara esses direitos constituídos. “Esse reajuste é lei e deve ser dado todos os anos e aqui em Coroatá está com muito tempo que a gente não tem esse reajuste” Revelou o professor Celso Soares presidente do núcleo do SIMPROECEMA de Coroatá.

20150505_180117

Reunião da ultima terça dia (05)

PLANO DEFASADO DESDE 1998.
O plano dos professores da cidade de Coroatá, de acordo com Celso Soares, está defasado. Ainda de acordo com o presidente do SIMPROECEMA de Coroatá, a categoria está sendo prejudicada em cerca de 800 à 900 Reais por mês, isso cada professor, e tudo devido ao plano que não foi implantado pela prefeitura de Coroatá. “Por falta do plano, nós não temos gratificação de difícil acesso para os professores que vão para a zona rural, nós não temos gratificação por titulação, nós não temos gratificação por especialização,mestrado, doutorado e por ai vai. São várias gratificações vantagens e adicionais” disse revoltado Celso Soares.

PREFEITA VEM AMEAÇANDO A CATEGORIA COM RELATÓRIOS

Por conta dos manifestos realizados pelos professores, a Prefeitura de Coroatá vem ameaçando a categoria com relatórios em relação ao estágio probatório dos professores, colocando nos relatórios que os professores vem participando de greves e atividades políticas partidárias. Mas os professores revelam que a prefeitura está avaliando de forma errada. “Eles estão tentando exonerar principalmente as lideranças para que os demais calem-se e não busque seus direitos. Por isso estamos buscando uma assessoria jurídica para que possamos nos defender”, frisou Celso Soares, presidente do SIMPROECEMA.

QUANDO PROCURAM A PREFEITA, ELA NÃO ATENDE.

Por diversas vezes os professores revelam que já procuraram a prefeita Tereza Murad, mas ela nunca atendeu a categoria. Já protocolaram diversos documentos e em nenhum momento os professores foram recebidos. Celso Soares revelou ainda ao titular do Blog do de Sá que nem mesmo a secretária de educação tem dado ouvindo aos reclames deles.

HOMEM É PRESO ACUSADO DE TOMAR CELULAR DE UMA MULHER DENTRO DO BANCO DO BRADESCO DE CODÓ

20150506_101448

Amarante Sousa Leles

Um homem, identificado por Amarante Sousa Leles, de 42 anos,foi preso na manhã desta quarta-feira (06) dentro da agência do Banco do Bradesco de Codó, acusado de ter tentando tomar um celular de uma mulher que estava na fila do Banco. O mesmo, depois de ter praticado a ação delituosa, foi contido pelo segurança da agência, que depois chamou a polícia e o levou preso para a Delegacia Regional da cidade.
Na delegacia, o acusado disse à polícia que é morador da Rua Nossa Senhora de Fátima no Bairro São Francisco, e disse ainda que não praticou delito algum, e que não queria comentar sobre o caso. Em conversa com o titular do Blog do de Sá, o senhor Amarante Sousa Leles disse que não é usuário de droga e que nunca foi preso, e que aquela estava sendo a primeira vez. Mas, de acordo com a polícia, o senhor Amarante já tem outras passagens pela delegacia de Codó.

POR FRANCISCO MENDES: A CIDADANIA DO POVO BRASILEIRO E OS PROTESTOS CONTRA OS POLÍTICOS E A CORRUPÇÃO NO PAÍS

 

 

 

images

Francisco Mendes

O conceito de Cidadania tem a sua origem na Grécia Clássica, sendo usado então para designar os direitos relativos ao cidadão, ou seja, o indivíduo que vivia na cidade e ali participava ativamente dos negócios e das decisões políticas. Cidadania pressupõe assim, todas as implicações decorrentes de uma vida em sociedade.
Ao longo da história da humanidade, o conceito de cidadania foi ampliado, passando a englobar um conjunto de valores sociais que determinam o conjunto de deveres e direitos de um cidadão. A Cidadania seria, portanto, o direito de ter direito.
O termo cidadania em nosso País pode ser compreendido racionalmente pelas lutas, conquistas e derrotas do cidadão brasileiro ao longo da história nacional, a começar pelo período imperial ao republicano, na medida em que a relação indivíduo-cidade ou indivíduo-Estado passou a expressar um conjunto de direitos que dá ao cidadão no Estado democrático e de direito a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Assim no Brasil, a cidadania fundamenta-se na concessão do Estado ao Cidadão, das garantias individuais de vida, liberdade e segurança.
Em uma clara manifestação de Cidadania, os protestos realizados no Brasil no mês de junho de 2013, também chamados de “manifestações dos 20 centavos”, e nos meses de março e abril de 2015 com manifestações populares que ocorreram em centenas de cidades brasileiras, as quais levaram milhões de brasileiros para as ruas, com os objetivos principais de protestar contra o Governo da Presidenta Dilma Rousseff e contra a Corrupção no País e em favor de uma reforma política ampla que contemple a participação efetiva dos brasileiros, exemplificam uma nova forma de organização plural e em rede. Tais manifestações ou movimentos populares, foram consideradas as maiores mobilizações no país desde o início da Nova República em 1985.
Segundo o jornal “ Folha de São Paulo”, o “Movimento Brasil Livre (MBL)”, O “Grupo Revoltados Online” e o “Movimento Vem pra Rua” foram os principais responsáveis pela mobilização e pelas manifestações populares ocorridas no dia 15 de março de 2015, que tinham como objetivos: O Fim da corrupção, o Impeachment ou renúncia da Presidenta da República, a Prisão dos responsáveis pelo Escândalo de Corrupção na PETROBRÁS, em favor de uma ampla Reforma política. Em geral, esses grupos organizados via internet em redes sociais, não apresentam um único líder, ainda que partam de movimentos. Essa característica de formação em rede desestabilizou comportamentos e ações cristalizadas na sociedade brasileiras. A organização de tais movimentos são estabelecidas e atualizadas nas redes sociais (facebook, twiter, Wattzap..), ou seja, por meio de relações horizontais entre os cidadãos e utilizando a Internet como espaço de mobilização para novas ações. Pois nos tempos de internet, os cidadãos brasileiros aprenderam a utilizar instrumentos próprios para se auto-organizar e exercer sua cidadania de forma plena e sem o auxílio de pseudo-lideranças políticos partidárias, sindicais ou associativas.
Da análise e da leitura dos movimentos e protestos que ocorreram em Junho de 2013, e nos meses de Março e abril de 2015, observamos que tais movimentos estão vinculados a reinvidicações de diversos segmentos da sociedade brasileira objetivando mudanças mais radicais na estrutura econômica, social e política do País e por uma melhor definição das prioridades governamentais. Pelo visto os movimentos ocorridos tem como ponto principal a Reforma política, de maneira que o Estado Brasileiro possa ter condições de combater a corrupção, o abuso do uso do dinheiro público, o desemprego, o analfabetismo, a falta de acesso a educação e a saúde, o aumento da violência em milhares de cidades brasileiras e tantas outras mazelas sociais que ocorrem diariamente no Governo Federal, nos Estados e nos Municípios brasileiros.
Portanto, se almejamos um melhor funcionamento das Instituições brasileiras, e o pleno exercício da democracia e da cidadania e nosso País devemos exigir muito mais de nossos políticos. Porém, também temos que participar mais ativamente dos movimentos sociais, manifestar, protestar, reivindicar caso seja necessário. Pois somente por meio da organização e mobilização da sociedade organizada será possível construirmos um País mais livre e democrático para todos os brasileiros.
Diante de tais fatos podemos afirmar, portanto, que é de responsabilidade dos governos e de toda a sociedade brasileira lutar por uma reforma política ampla que contemple a participação efetiva de milhões de brasileiros, uma vez que, apesar das extraordinárias conquistas dos direitos de cidadania na Constituição de 1988, verificamos que o pleno exercício de tais direitos ainda está muito distante de muitos brasileiros, pois mesmo com a conquista de diversos direitos políticos, sociais e civis, a nossa realidade não consegue ocultar o drama de milhões de pessoas em situação de miséria, altos índices de desemprego, da taxa significativa de analfabetos e semianalfabetos, da falta de acesso a educação e saúde de qualidade e sem falar do drama nacional das vítimas da violência particular e oficial. São situações como estas relatadas que levam milhões de cidadãos e cidadãs deste País, em muitas ocasiões a se sentirem desprotegidos e desamparados pelo Estado Brasileiro, que tem o dever e a obrigação de protegê-los.

*Francisco Mendes de Sousa – É Advogado, exerce o Cargo de Conselheiro Estadual da OAB/MA e Presidente da Comissão de Apoio Comunidade da OAB- Subseção de Codó-MA, Sócio Fundador da Associação Cultural “Antônio de Almeida Oliveira”, e da Academia Codoense de Letras, Artes e Ciências –ACLAC.

POR ROSINA BENVINDO: É FÁCIL FALAR, DIFÍCIL É FAZER

DSC_1127(1)

Rosina Benvindo

É lamentável ver a imprensa codoense, representada por pessoas tão competentes, distorcer informações ou, ainda, não se certificar das mesmas para poder fazer um julgamento correto ou no mínimo justo com as pessoas que estãoliderando ações relevantes em nosso município.
O que se espera de nossos colegas jornalistas, que são tão queridos, ouvidos e assistidos, é que a veracidade dos fatos narrados ou denunciados seja respeitada, o que só é possível quando se usa da imparcialidade. Espero e desejo que nossos colegas possam ler maissobre Tucídides, um grande historiador grego que foi reconhecido pelos críticos como imparcial em suas narrativas, porque relatava os fatos com concisão e procurava explicar-lhes as causas. Isto acontecia porque ele se preocupava com a verdade e certamente em ser justo.
O que me motivou a escrever foram as repetidas críticas, denuncias e falas infundadas, sem buscar explicação para as causas. Mas o que me inquietou mesmo foi um artigo postado no blog do Acélio Trindade (profissional que tenho muito respeito e admiração) dia 21 de abril de 2015 que tem como título: Construção de 18 escolas parou e Codó também tá fora da erradicação das escolas de taipa.
Quero informar a todos que se interessam pela educação de nosso município que Codó aderiu sim ao Programa Escola Digna do governo estadual. A adesão foi feita por mim, Rosina Benvindo, através do site da SEDUC, antes do prazo final (13/03/15).A documentação exigida foi entregue em mãos (SEDUC- S.Luís) pela técnica da SEMED Maria do Carmo Pires no dia (20/03/15).Como fizemos adesão de 30 escolas e a quantidade de documentos exigidos era enorme, os documentos que restaram foram entregues no dia(27/03/15), como comprova o protocolo de recebimento em anexo.Portanto, quero ratificar a adesão do município de Codó ao programa Escola Digna.
Quero informar também que Codó tinha 76 escolas de taipa até o ano de 2013. Em 2014 foram nucleadas 11 escolas, restando 65 escolas de taipa. Destas 65 restantes, elas estão solicitadas para construção da seguinte forma: 17 estão informadas e aprovadas pelo PAR (Plano de Ações Articuladas) esperando liberação de recursos do FNDE; 18 estão conveniadas com o Estado do Maranhão e 30 aderiram ao Programa Escola Digna. Como já foram construídas 5 escolas do convênio com o Estado do Maranhão, restam portanto 60 escolas de taipa e não mais 76 como foi informado no blog.
Quanto ao convênio celebrado com o governo do Estado e a prefeitura de Codó, representada pelo prefeito Zito Rolim em 27 de dezembro de 2013 para a construção de 18 escolas, ficou acordado que o Estado passaria R$1.600.000,00 (Hum milhão e seiscentos mil Reais), só que até o momento o governo do Estado, na gestão passada,repassou somente R$480.000,00 (Quatrocentos e oitenta mil), recurso este que foi empregado na construção de cinco escolas, restando apenas 13 das 18 conveniadas.É bom saber que este recurso que o Estado ficou de repassar para os municípios é um recurso mais que justo, pois quando o mesmo municipalizou o Ensino Fundamental (Escola ClodomirMilet e Escola João Ribeiro) repassou somente os alunos para o município. No entanto, o valor aluno do ano de 2012 ficou no censo do Estado, então o município ficou apenas com o ônus. Para amenizar a problemática, o Estado resolveu celebrar este convênio e o prefeito Zito Rolim achou por bem construir escolas no campopara diminuir as mazelas existentes na educação da zona rural de Codó. Antes mesmo de o fantástico divulgar os problemas das escolas precárias na zona rural de Codó já havia a preocupação em tentar amenizar as dificuldades da educação do campo. Tanto é verdade que o convênio foi celebrado em 27 de dezembro de 2013 e o fantástico divulgou as imagens em 09 de março de 2014.
Ademais, quem é codoense é conhecedor da extensão territorial do município de Codó, dificultando assim ações exitosas, visto que as demandas são enormes. O prefeito atualherdou de gestões passadas uma quantidade enorme de escolas de taipa e de escolas em estado de deterioração. O que ele fez ao longo destes 6 anos e 5 meses de gestão foi desconstruir escolas de taipa e construir escolas de alvenaria, além de reformar e ampliar outras tantas.
Além dos codoenses, o próprio MEC também é conhecedor dessas dificuldades da educação do campo existentes em Codó. Para se ter uma ideia, dos 5.570 municípios brasileiros, somente 81 tem uma quantidade expressiva de escolas de taipa, e infelizmente Codó é um deles. E dos 217 municípios maranhenses, 11 demonstram esta triste realidade, e Codó lidera esta lista. Por conta deste triste panorama da educação do campo no Brasil, foi que o MEC criou em 2013 o Programa Pronacampo, para poder, através do PAR, dar suporte aos municípiosno sentido de atender os alunos do campo no mesmo padrão dos alunos estudantes da cidade.
A imprensa pode divulgar sim informações, mas informações fidedignas que não maculem a imagem de pessoas que não merecem!

Rosina de Araújo Benvindo -Pedagoga (UFMA) – Especialista em Supervisão Educacional (FAESPI) e Secretária Municipal de Educação.

VEREADOR MAX TONY AFIRMA QUE CODÓ ADERIU AO PROGRAMA ESCOLA DIGNA DENTRO DO PRAZO

ecola

Ver. Max Tony

O Vereador Pastor Max (PT do B) dedicou seu tempo na tribuna do legislativo para esclarecer dados sobre a educação no campo, que foram divulgados na semana passada, e informar o que está sendo feito a respeito das obras em toda a zona rural de Codó, por meio de convênios e programas. O edil mais, uma vez, comentou sobre os convênios feitos entre o Município e o Estado para o ensino fundamental no campo, mas lamentou a falta de projetos que visem o ensino médio nas zonas rurais do municípios.
“Já discutíamos aqui a descontinuidade da construção das 18 escolas conveniadas com o Estado e que foram paralisadas, porque o governo estadual não enviou o restante do convênio, além tantos outros problemas que afetam o campo no que diz respeito ao ensino fundamental. Claro que é importante tratarmos essas problemáticas e buscarmos as soluções, mas ninguém diz nada com relação ao ensino médio no campo”, indagou.

GESTÕES PASSADAS DEIXARAM O CAMPO PARA TRÁS

O Vereador pastor Max fez uma breve retrospectiva da história de Codó e observou que os governos foram optando por um modelo de gestão em que o campo sempre foi ficando com as sobras. “Quando se comprava uma cadeira nova para a sede, a velha iria para as escolas do campo. Ao longo do tempo esses governos foram construindo ou permitindo a construção de escolas de taipa para justificar interesses meramente políticos sem pensar nas consequências futuras ou na qualidade do ensino para aquelas crianças”, lamentou.

FOCO NO ENSINO MÉDIO NA ZONA RURAL

Max argumentou que além de toas as dificuldades para erradicar o histórico legado das escolas de taipa, para melhorar a educação no campo e erradicar os transportes irregulares, o município de Codó ainda arcava com as despesas de transportes de alunos do ensino médio, o que seria uma competência do governo estadual. O parlamentar declarou é uma grande evolução os investimentos da atual administração no ensino fundamental do campo, mas que era preciso pensar propostas para o ensino médio da zona rural também. “Na verdade o que o jovem do campo quer é garantia a uma vida digna, é qualificação técnica e, principalmente, o acesso à educação pública de qualidade. Tudo isso contribuirá para que esses jovens permaneçam em seus territórios, de onde eles têm saído por falta de oportunidades”, explicou o edil.

CODÓ ENVIOU DOCUMENTAÇÃO NO PRAZO PARA O ESCOLA DIGNA

Outro assunto abordado pelo parlamentar foi o questionamento sobre a adesão do município de Codó ao Programa Escola Digna, do Governo do Estado. Max pediu cuidado quando forem colocadas informações na imprensa ou em plenário, sem a devida constatação do fato. “Apesar de o município de Codó não está elencado entre os 30 municípios contemplados com o programa,isso foi critério do governo estadual. A Secretaria de Educação enviou a documentação necessária, e essa documentação foi enviada no dia 27 de março, quando a data limite estabelecida pelo governo do Estado era o dia 30. Agora peço aos senhores que tem proximidade com o governo que nos ajudem para que Codó seja verdadeiramente contemplada a construção dessas escolas no campo e por fim vejamos extintas as famigeradas escolas de taipa”, finalizou.
Ascom

ENTENDA: PREFEITO DE SÃO MATEUS ESTÁ EM MAUS LENÇÓIS

hqdefault

Prefeito Miltinho Aragão

Depois do resultado parcial da operação conjunta do Ministério Público do Maranhão, por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), e a Polícia Civil, apresentado nesta terça-feira (5), que culminou nas prisões dos prefeitos de Bacuri, Richard Nixon dos Santos, e de Marajá do Sena, Manoel Edvan Oliveira da Costa, vários objetos, cheques e documentos foram apreendidos pela polícia nas residências e empresas de envolvidos.
A investigação foi desencadeada depois da morte do jornalista Décio Sá, em abril de 2012, para apurar a participação de prefeitos e outros agentes públicos no crime de agiotagem. No total, 42 prefeituras maranhenses estariam envolvidas.

sao-mateus-e1430864440987

Cheque da prefeitura

Os desdobramentos atingiram em cheio a Prefeitura de São Mateus, pois um dos cheques encontrados nas buscas no valor de R$ 106 mil, foi assinado pelo prefeito Hamilton Nogueira Aragão (PSB), o Miltinho, como é conhecido.
Agora o gestor público terá que explicar a procedência do cheque que foi assinado no dia 30 de abril.
Segundo o MP, a organização criminosa promovia desvio de recursos públicos, corrupção, lavagem de dinheiro, fraudes em licitação e falsidade ideológica. Esses crimes foram praticados a partir de 2009.
O Gaeco e Polícia Civil darão continuidade nos próximos dias à Operação contra Agiotagem no Maranhão cumprindo mandados de prisão pelo interior do Estado.

Fonte: Blog do Minard

SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE CAXIAS É REFERÊNCIA NO MARANHÃO

11220945_806971389386831_4603822361755182655_n

Serviço de assistência social

A supervisora do Serviço de Proteção Social de Alta Complexidade da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, Josenilde Nogueira, e o técnico da Superintendência de Proteção Social Especial da mesma pasta, Rodson Salazar, estiveram visitando alguns equipamentos do Serviço de Proteção Social de Alta Complexidade do município de Caxias, a exemplo da Residência Inclusiva e das Casas de Acolhimento para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop) e para Crianças e Adolescentes.

O objetivo da visita foi o monitoramento do Serviço de Acolhimento Institucional. Os dois ficaram bastante impressionados com o que viram. “Gostamos muito do que vimos aqui. Os equipamentos extremamente estruturados, muito organizados. Com as instalações excelentes para atendimento às famílias e indivíduos”, relatou Josenilde Nogueira.

Antes de visitar os equipamentos de Proteção Social Especial, eles estiveram reunidos com a secretária de Assistência Social de Caxias, Fátima Liguori, e com a supervisora da Proteção Social Especial, Bianka Garcia.

ENTENDA

11148429_806971469386823_8923118730624398866_n

Serviço Social de Caxias

São considerados serviços de Proteção Social Especial de Alta Complexidade aqueles que oferecem atendimento às famílias e indivíduos que se encontram em situação de abandono, ameaça ou violação de direitos, necessitando de acolhimento provisório, fora de seu núcleo familiar de origem.

Esses serviços visam garantir a proteção integral de indivíduos ou famílias em situação de risco pessoal e social, com vínculos familiares rompidos ou extremamente fragilizados, por meio de ações que garantam o acolhimento em ambiente com estrutura física adequada, oferecendo condições de moradia, higiene, salubridade, segurança, acessibilidade e privacidade. Os serviços também devem assegurar o fortalecimento dos vínculos familiares e/ou comunitários e o desenvolvimento da autonomia dos usuários.

PARTICIPE DA ENQUETE: VOCÊ É CONTRA OU A FAVOR NO FECHAMENTO DE FESTAS E BARES MAIS CEDO EM CODÓ?

Índice

Imagem meramente ilustrativa

O blog do de Sá resolveu fazer uma enquete para saber da população codoense sobre as novas normas da Delegacia Regional de Codó, concernentes ao funcionamento de bares e festas na cidade. A votação pode ser feita no lado direito de seu computador aqui no Blog do de Sá. O resultado divulgaremos na semana quem vem deixe sua opinião.