GOVERNO ENCERRA RODÍZIO E VEÍCULOS PODEM VOLTAR A CIRCULAR NA GRANDE SÃO LUÍS

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), encerrou o rodízio de veículos em São Luís e está liberada a circulação total dos carros.

O comunicado foi feito nas redes sociais do gestor nesta sexta-feira (15).

Na publicação, Dino disse ainda que o lockdown (bloqueio total) continua até domingo (17), na Região Metropolitana de São Luís, que é integrada pela capital maranhense e as cidades de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

E a partir de segunda-feira (18) voltará a entrar em vigor o decreto anterior ao confinamento obrigatório que abrange medidas em todo o Maranhão.

O governador adiantou ainda que na próxima quarta-feira (20) irá editar um novo decreto como medida de combate ao novo coronavírus.

“Sobre o regime preventivo:
1. Ontem encerramos rodízio de veículos.
2. Hoje é feriado (em todo o Estado).
3. Lockdown segue até domingo (na Ilha)
4. Segunda volta o decreto anterior, com rol mais amplo de atividades essenciais.
5. Dia 20 haverá novo decreto para todo o Estado.”, publicou o governador do Maranhão.

Entre as principais medidas do decreto anterior ao lockdown estão o fechamento do comércio não essencial, a paralisação das aulas das unidades de ensino público e privado, o controle de acesso ao supermercados e farmácias, a suspensão de eventos de lazer, o fechamento de bares, restaurantes, que poderão funcionar apenas com serviço de entrega, a suspensão de eventos esportivos entre outros bloqueios a atividades não essenciais. Além disso, permanece a obrigação do uso de máscara em ambiente coletivo e segue proibida qualquer tipo de aglomeração.

Fonte: Neto Ferreira

CASOS DE COVID-19 AUMENTAM MARANHÃO A DENTRO E PREFEITOS SÃO PRESSIONADOS

O avanço do novo coronavírus (Covid-19) pelo interior do Maranhão tem sido um ponto de pressão sobre as gestões de prefeitos em todo o Estado.

Desde o mês passado, por força de decreto, o governador Flávio Dino (PCdoB) decidiu segregar o território maranhense basicamente em duas regiões: a Grande Ilha, compreendendo os quatro municípios da Região Metropolitana de São Luís; e o continente, com os demais 213 municípios.

Na primeira, definiu regras mais duras para funcionamento das atividades comerciais, como forma de reduzir a circulação de pessoas – o que culminou com uma decisão judicial determinando o bloqueio total (lockdown) e um posterior decreto pela instituição de um rodízio de veículos.

No interior, deixou aos gestores municipais a possibilidade de definir regras mais brandas, ou rígidas, de acordo com a realidade de cada cidade.

Na prática, até agora, apenas dois prefeitos decretaram lockdown no continente: Raimundo Neto, em Nina Rodrigues, e Jully Menezes, em Arame. Nos demais, as medidas seguem mais frouxas que na capital.

Mas os novos casos da doença interior adentro começaram ser maiores que na Região Metropolitana de São Luís. Boletim epidemiológico emitido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) na quarta-feira, 13, por exemplo, aponta que houve 138 registros da Covid-19 nos quatro municípios da Ilha, contra 551 no continente. Um dia antes, na terça-feira, 12, os números já havia sido parecidos: 166 novos casos em São Luís e entorno, contra 420 do interior.

Em entrevista ao programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM, na manhã de ontem, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, admitiu preocupação com essa mudança de panorama, mas garantiu que o governo tem se preparado para a virada.

A gente tem um plano de ação para modificar o perfil das nossas unidades [no interior]. A gente vai modificar o perfil de Pinheiro, Santa Inês, Coroatá, Imperatriz para colocar essas unidades macrorregionais exclusivas para coronavírus. Barreirinhas já tem uma ala, Peritoró já tem metade do hospital voltado para o cuidado com a Covid-19, vamos inaugurar em Lago da Pedra e Santa Luzia do Paruá”, disse.

Ele acrescentou que o Estado pretende inaugurar mais unidades, mas admitiu problemas com o fornecimento de oxigênio. E deu mais detalhes sobre novos hospitais que devem ser inaugurados em breve.

A gente tá com um problema hoje que é sobre rede de oxigênio, não estamos conseguindo empresas que queiram fazer, colocar o tanque ou a usina de oxigênio, para fornecer oxigênio aos hospitais. Nesse momento há uma demanda muito elevada de todos os estados da federação, mas a gente está lutando pra isso. Aí o quanto antes inaugurar Santa Luzia do Paruá e Lago da Pedra, também os dois nesse momento exclusivos para Covid-19. No sábado eu estarei em Açailândia, para inaugurar o Hospital da Vale, hospital de campanha de Açailândia em parceria com a Vale e a prefeitura municipal. Ele já está pronto. A gente já entrega os primeiros 20 leitos dele, sendo quatro leitos de estabilização, no sábado 10h da manhã”, completou.

Fonte: O Estado

 

APÓS RECEBER QUASE UM MILHÃO PARA COMBATER A COVID-19, EM CAPINZAL DO NORTE FALTA TUDO, ATÉ MESMO OS EPIs

André, prefeito

Mesmo a prefeitura de Capinzal do Norte tendo recebido exatos: R$ 957.551,79 (novecentos e cinquenta e sete mil, quinhentos e cinquenta e um reais e  setenta e nove centavos), como mostra o print abaixo, os moradores da cidade não sabem o que está sendo feito com esse dinheiro. “Aqui está faltando até mesmo o teste rápido para quem deseja saber se está com o Coronavírus ou não, tem gente que está pagando R$ 370,00 (trezentos e setenta reais) para ir até a cidade de Pedreiras e fazer o teste particular.  Aqui em Capinzal, meu amigo De Sá, o prefeito não comprou sequer um ventilador mecânico”, concluiu um morador da cidade.

BARREIRAS MAL ORGANIZADAS

No sentido de “tapar o Sol com a peneira” (expressão usada para designar quando alguém finge resolver o problema), a secretaria de saúde do município fechou todas as entradas da cidade, o que não está errado, está corretíssimo. Porém, os próprios profissionais da saúde, que estão para orientar as pessoas que chegam na cidade, estão sem usar os equipamentos recomendados pela a OMS  (Organização Mundial de Saúde). O material utilizado para fazer o isolamento das entradas da cidade, são cercas feitas com madeira, algo altamente perigoso e sem sinalização alguma.

DENÚNCIA DO HOSPITAL

No hospital do município, os profissionais não estão tendo também os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). “Tenho amigos que trabalham lá no hospital, meu amigo De Sá, eles falam que lá eles trabalham na cara e na coragem e em meio a essa pandeia o prefeito não explica nada, não disponibiliza nem mesmo as informações necessárias por meio das redes sociais”, afirmou o leitor (a) do BLOG na cidade.

VALORES RECEBIDOS

Os moradores de Capinzal do Norte estão a se perguntar sobre os valores que já citamos acima no primeiro parágrafo, valores esses que a prefeitura recebeu para o combate ao Covid-19 no município. Eles estão perplexos com o número de casos confirmados e divulgados pelo município, pois os moradores acreditam que existem mais pessoas contaminadas com o vírus do que os dados da secretaria mostram, mas a secretaria de saúde não está acompanhando, e faltam também equipamentos de proteção para executar esse acompanhamento, segundo os moradores. Em Capinzal do Norte, quem procura a secretaria de saúde do município não recebe informações de como proceder diante de qualquer suspeita da doença. O blog está a disposição da prefeitura caso queira se manifestar a respeito desta postagem. Veja abaixo o valor que Capinzal recebeu para combate ao Coronavírus.

MARANHÃO TEM MAIS DE 10 MIL CASOS DE CORONAVÍRUS E SE APROXIMA DAS 500 MORTES

O Maranhão registrou nas últimas 24h, 938 novos casos de infecção pelo novo coronavírus e chegou a 10739 infectados nesta pandemia. São 496 mortos e 2591 recuperados da doença em 176 municípios afetados diretamente, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgados na noite desta quinta-feira (14).

A secretaria informou ainda que nas últimas 24h, mais 26 mortes foram confirmadas por conta da Covid-19. Foram 17 ocorrências em São Luís, duas em Brejo e as outras em Raposa, Buritirana, Morros, Pedreiras, Timon, Paço do Lumiar e Lago da Pedra.

Quanto aos leitos de UTI e enfermarias da rede pública estadual exclusivos para o tratamento de paciente com a Covid-19, em São Luís a lotação máxima se aproxima. São 201 UTIs disponíveis com 193 ocupadas, e 531 enfermarias com 498 ocupadas. No domingo (17), o governo prometeu colocar em funcionamento o hospital de campanha em São Luís, que vai adicionar mais 200 leitos a rede pública.

No interior do estado, um hospital de campanha também foi prometido pelo governo do estado para começar a funcionar no sábado (16). No interior, os leitos de UTI são 105 com 86 ocupados. As enfermarias são 268 com 134 ocupadas.

Fonte: Neto Ferreira

EM CODÓ, MAIS DE 5 MIL FAMÍLIAS PODEM TER O BENEFÍCIO DESCONTO NA TARIFA DE ENERGIA

Estar cadastrado na Tarifa Social de Energia Elétrica é o principal pré-requisito para ter o benefício que isenta os consumidores de baixa renda do pagamento do consumo de energia e do ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, entre 1º de abril e 30 de junho. A Medida Provisória (MP) do Governo Federal informa que o desconto de 100% se aplica para quem tiver classificado na Tarifa Social e consumir até 220 kWh/mês. Diante do cenário da Covid-19, o Governo do Maranhão também publicou uma resolução que isenta o ICMS para o mesmo período e segue os mesmos pré-requisitos. Tem direito a esse benefício as pessoas que possuem o NIS – Número da Identificação Social ou o BPC (Benefício da Prestação Continuada) válidos e indígenas (que possuam RANI) e quilombolas. No Maranhão, quase 800 mil famílias já estão recebendo o benefício da Tarifa Social Baixa Renda automaticamente em suas contas de energia elétrica.

 Como fica a conta do consumidor baixa renda – Com essas medidas o cliente baixa renda não pagará seu consumo de energia e nem o tributo estadual ICMS, restando apenas o pagamento dos outros tributos, do consumo que exceder os 220 kWh/ mês e possíveis parcelamentos anteriores, juros e multas, caso o cliente tenha.

400 mil famílias podem ter o benefício – No Maranhão aproximadamente 400 mil famílias são potenciais beneficiárias da Tarifa Social de Energia Elétrica Baixa Renda, ou seja, elas têm o NIS e só falta atualizar o cadastro junto a Equatorial Maranhão. A cidade de Codó está entre os 10 municípios com o maior número de famílias com NIS – Número de Inscrição Social válidos, que ainda não estão com os cadastros atualizados junto a Equatorial Maranhão e podem também ter o benefício da Tarifa Social.

Confira o ranking dos municípios:

Munícipios Famílias que podem receber o desconto
SAO LUIS 47.769
IMPERATRIZ 11.891
SAO JOSE DE RIBAMAR 10.629
TIMON 8.698
CAXIAS 8.437
CODO 5.684
BACABAL 5.241
PACO DO LUMIAR 5.113
BARREIRINHAS 4.910
BALSAS 4.890

 Como se Cadastrar – Com sua conta de energia e seu NIS – Número da Identificação Social ativo em mãos, entre em contato com a Equatorial Maranhão pelo WhatsApp (98) 2055-0116, Central 116 ou pelo site www.equatorialenergia.com.br e solicite a opção de cadastro na Tarifa Social baixa renda. Caso você não seja o titular da conta, tenha em mãos também: nome completo do titular da conta, CPF, RG, data de nascimento e o nome da mãe.

Quando o desconto virá – Essa solicitação será enviada para o banco de dados do Governo Federal e após a checagem e validação dos dados, o desconto será imediatamente aplicado para as faturas emitidas no período de 01 de abril a 30 de junho. Para as contas que já foram pagas antes do cadastro ter sido efetuado, os descontos serão creditados nas próximas faturas.

Assessoria de Imprensa Equatorial Maranhão

 

GOVERNO DO MARANHÃO PREPARA RETOMADA DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO ESTADO

Enquanto aguarda o fim do lockdown, no dia 17 de maio, e o vencimento do prazo de validade de um decreto que endureceu as regras para abertura de estabelecimentos comerciais e indústrias, no dia 20, o governo Flávio Dino (PCdoB) prepara a retomada das atividades no Maranhão.

Desde a semana passada, o secretário de Estado de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo (SD), tem realizado reuniões com empresários maranhenses para tentar estabelecer protocolos sanitários que possibilitem a abertura gradativa de atividades econômicas no Maranhão.

O governador citou, em recente entrevista coletiva, a data de 21 de maio como marco para a retomada. O secretário, contudo, prefere não falar em datas.

Não está nos planos do governo promover reabertura neste momento e essas reuniões não tratam disso. O que estamos fazendo é planejamento de protocolos que garantam a segurança das pessoas quando a pandemia for enfraquecida e o momento se mostrar amistoso a uma abertura gradativa”, explicou Simplício.

Neste momento o diálogo é mais importante do que nunca, pois não há ainda previsão para a volta das atividades, mas quando houver a possibilidade da volta, não poderemos mais ter interrupção no funcionamento do comércio, indústria e escolas, afinal, pior que não voltar, é voltar e ter que parar de novo. Por isso esses protocolos precisam ser construídos e respeitados por todos”, completou.

Araújo tem defendido que aquilo que aparenta ser um “quadro de excepcionalidade” hoje, na verdade é o nascimento de uma rotina de cuidados que se tornará hábito de agora em diante. E que precisa ser levada a sério antes da reabertura das atividades, para que vire rotina.

Temos que entender que não estamos vivendo um quadro de excepcionalidade, mas de um novo tempo. O que vivemos em 2019 não voltará, temos que buscar retomar a atividade econômica com toda a responsabilidade com a vida das pessoas”, finalizou.

Fonte: Gilberto Léda