PREFEITO DE ESPERANTINÓPOLIS NEGA ENVOLVIMENTO EM PRÁTICA CRIMINOSA, MAS DOCUMENTOS MOSTRAM AO CONTRÁRIO

Esperantinópolis está entre os 17 municípios investigados no Inquérito Policial, instaurado pelo 2º Departamento de Combate à Corrupção (2º Deccor) em atuação conjunta com o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), que apura possível organização criminosa com atuação na venda de veículos, principalmente ambulâncias, para prefeituras do Estado do Maranhão, mediante fraude e possível desvio de verbas públicas, com a participação de empresários, despachantes e servidores públicos.

A prática criminosa consistia na compra de ambulâncias com valor bem acima do mercado, ou seja, superfaturada. Na nota fiscal do veículo, consta como novo, mas o carro já veio emplacado como sendo do estado de São Paulo (veja na foto abaixo). Compraram como se fosse novo, mas o veículo era de segunda mão, inclusive emplacado no estado de São Paulo, o prefeito licitou; pagou e recebeu o veículo como se fosse novo, pra piorar com valor superfaturado. Um esquema malicioso para tentar enganar a população, mas veio à tona esta semana, envergonhando  a todos.

Após o término do inquérito policial, o Ministério Público vai oferecer denúncia contra os gestores que participaram da organização criminosa, dentre eles o prefeito Aluisinho do Posto (PTB), aquele que se autointitulava honesto, probo e incorruptível.

                                                        VEJA OS DOCUMENTOS ABAIXO:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *