A POLÍTICA É ARTE DE TORNAR O IMPOSSÍVEL POSSÍVEL, JOÃO COSTELO É UM DOS COTADOS PARA SE ALIAR A FLÁVIO DINO

CASTELO

João Castelo

Em sua primeira aparição em um evento político, o ex-prefeito de São Luís, João Castelo não conseguiu fugir à abordagem dos jornalistas ávidos por saber em que galho o tucano irá pousar. Diga-se de passagem, caso o caxiense resolva pousar na árvore podre do Comunismo maranhense, Flávio Dino terá mais uma dívida a quitar com o padrinho de seu ingresso na política, o ex-governador Zé Reinaldo Tavares, o intermediador da negociação entre o comunista e o tucano.

Castelo foi o único que deu a Reinaldo um cargo público, depois que o mesmo ficou no ostracismo. Nem mesmo Jackson Lago quis colocar o ex-marido da Xandra em seu governo. E Dino é também adepto da política dos ingratos, pois costuma recomendar a sua assessoria que evite fotos aos jornais em que ele aparece ao lado de Zé Reinaldo.

Ainda pouco à vontade diante da possibilidade de sentar no colo de um adversário que tantos impropérios lhe dedicou, Castelo afirmou receber “com naturalidade” os elogios de Flavio Dino. E descreveu o presidente da Embratur com sutileza: “Até que ele teve muito equilíbrio em dizer o que ele disse”. O ex-prefeito sabe como ninguém que Dino é um desequilibrado. Quando perdeu a disputa municipal, em 2008, chorou feito um moleque que tem seu brinquedo tomado e, raivoso, ingressou na justiça para cassar o mandato de Castelo, a quem dizia, enlouquecido, que São Luís havia “escolhido o pior candidato”. Sempre se auto-proclamando o “melhor”.

Pior do que isso, Dino esbravejou aos quatro cantos, chegando a chamar Castelo de “sujo”. Em entrevista às rádios de São Luís, afirmou com o desequilíbrio que sempre lhe foi peculiar: “Castelo venceu de modo sujo e vai governar da mesma forma. Não é preciso desejar sorte ao Castelo porque na verdade ele não deseja isso a si mesmo, afinal, ele é o que é. Sabemos que Castelo será coerente: venceu de modo sujo e vai governar dessa mesma forma”.

Ontem, o ex-prefeito afirmou: “Já tolerei muita coisa na vida”. Eu não sou intransigente, posso fazer política com qualquer pessoa, eu não sou intolerante, pelo contrário. Para mim, é uma honra trabalhar pelo Maranhão”. Caso seja consolidada a aliança castelista-dinista, ambos já terão decretada sua pena de morte da ética e da coerência políti

Fonte Blog do Seu Riba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *