ARTIGO DE JACINTO JÚNIOR: LOBINHO E SUAS ATIRADAS

10294348_306918329464987_7999389150286570278_n

Jacinto Júnior

Por mais que não pareça ser, mas o é. A pré-candidatura de Edinho 30 é uma enorme preocupação para o “Califa das Arábias do MA” (Sarney) que quase vai à loucura quando tomou conhecimento de sua entrevista concedida ao Jornal Valor Econômico. Nela, arremata o seguinte: “que o oligarca estar em fim de carreira política e que iria promover uma auditoria nas contas públicas do estado”; esse discurso na verdade, não contemporaneiza nenhuma eloqüente verdade e nem revela um sentimento de indignação em relação ao atual quadro político e social no estado do Maranhão e, menos ainda, estabelece um contraponto ou ruptura com esse modelo conservador que existe há 50 anos. Tal discurso deveria sim, ser utilizado por seu oponente que seria mais apropriado, razoável e coerente.

O pano de fundo daquela entrevista não contribuiu em nada e não lhe rendeu nenhum dividendo político, ao contrário, o colocou numa “saia justa”, pois, a falta de norte e de maturidade política quase lhe causa a perda do direito à primogenitura política abençoada pelo “Califa das Arábias do MA”. Sua salvação foi o seu genitor que, após ser interpelado (chamado à atenção) pelo “Califa”, imediatamente o procurou para orientá-lo a ser menos eufórico e evitar, assim, um dano maior ao grupo e a si mesmo, não se perdendo em seu insosso, decrépito e atabalhoado discurso reacionário.

Um detalhe nos chama particular atenção: a questão das pesquisas. Vamos analisar passo a passo esse fenomenal crescimento nas intenções de votos ao pré-candidato Edinho 30 representando o velho “Califa das Arábias do MA”. Primeiro ponto: desde a primeira hora a “moça” já vinha articulando o nome de um de seus séquitos colaboradores, a saber: Luis Fernando, o “super-secretário”, o “homem resolução” – e não revolução entendam bem -, para disputar o cargo majoritário no intuito de suceder a atual gestora e dar continuidade ao domínio do clã das “Arábias do MA”; felizmente, todas as tentativas para blindar o nome em questão e fazê-lo despontar na opinião pública foram em vão e inúteis. Ora, convenhamos e venhamos se, de um lado, a “moça” com toda sua inigualável habilidade política em compor arranjos, deu com o “burro n’água”; imagine uma candidatura meteórica e zonza como a do Edinho 30. E, de repente, numa incrível superação inimaginável o novo nome sugerido pelo clã das “Arábias do MA” em apenas dois meses de pura mídia já superou o patamar invejável de 25% (tal afirmação é garantida pelo próprio “Califa”). Isto de fato, denota uma capacidade de mobilidade política sem precedência na nossa sofrida e humilhada história; temo que essa pré-candidatura ganhe uma dimensão espacial extrapolando a estrosfera em menos tempo do que se possa pressupor; semelhantemente a um cometa de Halley que ocorre de setenta em setenta anos numa velocidade astronômica. Notável esse fenomenal crescimento do Edinho 30. Mas, vejamos o segundo ponto dessa análise: a rejeição ao nome do pré-candidato abençoado pelo clã “Califa das Arábias do MA”, tem sido motivo para que o seu inimigo interno (Ricardo Murad) sugerisse a sua imediata substituição. Tal articulação obrigou o grupo a se reunir publicamente e o pré-candidato desdizer tudo que havia dito antes, além de crucificar os blogueiros oposicionistas como os principais responsáveis por todo tipo de ilações postadas.

Edinho 30 é a síntese da manutenção do atual quadro manifesto desde a década de 1960. Não representa nenhuma mudança, ao contrário, sustentará o pilar draconiano conservador que permanece por mais tempo na história – o “Califa das Arábias do MA”- no controle político de um estado.

Arvora-se detentor de uma influência imbatível, talvez seja esse o pensamento torpe e quasímodo do pré-candidato neoliberal Edinho 30, internalizado como válvula de escape para reafirmar sua permanência na disputa do aparelho de estado dirigido pela “moça” e, ao mesmo tempo, forjando uma circunstância inexistente para fraudar o verdadeiro sentimento que impera nas entranhas de cada cidadão/ã maranhense ávido por mudanças estruturais. Além disso, o egocentrismo imanente sugere sua aparição a todo o momento com uma falsa informação nos meios de comunicação de massas para criar fatos políticos que o projete como um excelente político capaz de promover uma grande reforma na estrutura intocável do estado combalido e fragilizado ante o modelo conservador instituído historicamente.

Outro discurso apregoado pelo pré-candidato filhote do neoliberalismo (cujas raízes o alcunhara de Edinho 30) é que já conseguiu arregimentar – segundo o próprio pré-candidato – mais de 2/3 dos gestores municipais do estado. Mas, de fato, será que essas alianças ‘por cima’ são eficazes, são determinantes? Ou ele esquece que os maiores colégios eleitorais (Imperatriz, São Luiz, Caxias, Timon, Codó) são oposição a ele e ao seu patriarca “Califa das Arábias do MA”? Na verdade, vejo com outro olhar essa tática, pois, considero que a soma de todos os líderes e caciques que estão se unindo à pré-candidatura do Lobinho 30% não será suficiente para impedir sua fragorosa derrocada e apagar do mapa essa tragédia chamada Sarney e Cia. A história fará justiça consigo mesma.

O destrambelhado membro da matilha Lobão e pré-candidato ao governo do estado tenta imprimir um estilo que não lhe é peculiar, na busca de se firmar como político forte e influente, contudo, o que tem feito é apenas retratar o seu verdadeiro método: a baixaria. Recordemos que, recentemente, numa entrevista concedida a uma rádio local em São Luis, ofereceu uma quantia (R$ 20.000,00) significativa e atraente para qualquer cidadão que lhe apresentasse provas documentais sobre a passagem do pré-candidato oposicionista na EMBRATUR insinuando que a mesma fora marcada pela “depredação”, “desvio de verbas” e etc. Esse comportamento denuncia e prenuncia como serão os programas televisivos durante o processo eleitoral e o estilo marcante da direita de fazer a politicalha. Antes de qualquer coisa, a comunidade maranhense precisa acreditar e renovar suas esperanças e que assim seja. Por um grande Maranhão a todos os oprimidos e excluídos historicamente!

Por Jacinto Júnior

 

6 comentários em: “ARTIGO DE JACINTO JÚNIOR: LOBINHO E SUAS ATIRADAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *