ARTIGO DE MARCOS MONTEIRO: UMA REFLEXÃO SOBRE A CONJUNTURA POLÍTICA ATUAL DE CAXIAS

1557591_673879382679297_8288620013278315097_n

Marcos Monteiro

Apregoa-se aos quatro cantos da cidade que Léo Coutinho está se saindo como um dos menos populares políticos da região dos cocais, comparado a ele só Paulo Marinho e Ezíquio Barros. Tudo isso devido ao seu péssimo desempenho diante da população, onde Léo Coutinho parece mais próximo da Lua do que do Povo. Mais isso não significa dizer que Léo Coutinho não possa retornar a sua popularidade anterior onde foi agraciado com seus 40 mil votos, lhe conferindo na época um fenômeno eleitoral.

QUEM GANHA COM A QUEDA DE LÉO?

Muitos atribuem que o fracasso de Léo será uma dádiva ao grupo Marinho, ledo engano, pelo menos na nossa avaliação. Vejamos nossa analise! Todos sabemos que os Marinhos detém no seu alforje eleitoral uma bagatela significativa de votos 25 mil votos para ser exato, com o declínio de Léo Coutinho os Marinhos não conseguem adentrar ao nicho eleitoral dos Coutinhos o que significa que tem que surgir um nome para atrair os votos perdidos dos Coutinho e conquistar o dos Marinho para poder destronar os Coutinhos. Se não for por esse caminho teremos que suportar mais outros logos anos dos Coutinhos.

E O NOME QUEM SERIA?

Por incrível que possa parecer esse nome tem que ter alguns requisitos para derrubar o atual grupo. Vejamos:
Primeiro o nome tem que ser leve a ponto de conquistar à população eleitoral de Léo Coutinho e de quebra atrair os eleitores dos Marinhos;
Segundo o nome tem que ter livre trânsito com os vereadores, pois é ai onde reside à força do mandatário. Pois os vereadores são de uma forma ou de outra os verdadeiros cabos eleitorais do governante.
Terceiro o nome tem que ter uma soma considerável de recursos financeiros, para poder lograr êxito ao oponente atual, sem esses requisitos é mera filosofia.

Por Marcos Monteiro

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *