CODÓ: NOTA DE ESCLARECIMENTO DA CHAPA “POR RENOVAÇÃO NA ORDEM”

É de conhecimento público, que em 14 de novembro do ano em curso, foi publicado em um blog da cidade, uma matéria informando sobre o “indeferimento” da chapa por renovação da ordem, que segundo relatado na matéria, a comissão eleitoral teria encontrado irregularidades quanto a composição da chapa.

Esclarecemos que tudo não passa de uma manobra encabeçada pela atual presidência desta subseção, para que o poder não fuja de suas mãos, tentando, deste modo, de todas as formas gerar um descredito por parte da classe para com a nossa chapa.

É imperioso trazer à baila que no pleito do ano de 2015, a chapa que apoiava o atual presidente da época, a saber o Dr. José Mendes, também tentou impugnar a chapa de oposição, encabeçada pelo o advogado Dr Ulisses Neto, contudo, não logrou êxito. Em seu despacho o MM. Magistrado, reconheceu que havia indícios de fraude na criação do conselho, uma vez que constava em sua lista pessoas mortas, juízes, promotores e até servidores do judiciário. Para acessar as informações supraditas, seguem os links (http://www.blogdoacelio.com.br/01/?s=juiz+federal+garante+parti&x=0&y=0) e

(https://www.blogdodesa.com.br/x/esculhambacao-na-oab-de-codo-ate-advogado-que-ja-morreu-iria-votar/).

Comportamentos dessa natureza podem ser classificados com desafiadores a justiça, uma vez que é inadmissível um agente defensor da lei, tente por ganancia ao poder, dribla-la, sem que nada, absolutamente, lhe seja imposto como forma de sanção pelas transgressões cometidas.

O atual grupo tenta a todo custo se manter no poder para não perder as regalias de que desfruta através de várias ilegalidades cometidas em suas gestões.

O Conselho Seccional do Maranhão, em 20 de dezembro do ano 2015, em referência ao ofício nº 91/2016 – OAB subseção de Codó, respondeu que constava na Comissão de Orçamentos e Contas, processo de análise de supostas divergências nas contas prestadas pela subseção deste município, tais como a compra, apenas nos 08 primeiros meses do ano de 2016, de mais de 29 mil copos descartáveis para água, 27 mil copos descartáveis para café, 415 litros de água sanitária, 570 pedras sanitárias para banheiro e 105 vassouras.

Tudo isso mostra uma gestão irresponsável com os interesses da classe, colocando em primeiro lugar suas próprias vontades, e usando de todos os artifícios para se perpetuar no poder, o que não é inaceitável.

Lançamos a chapa por “renovação na ordem”, por acreditarmos que estamos no momento de renovarmos a gestão de nossa querida subseção. Como todos sabemos, A OAB é uma instituição extremamente relevante para a efetivação da democracia e é muito mais do que uma instituição de classe.  A razão maior da existência da Ordem é defender os advogados, promovendo a defesa permanente de suas prerrogativas, o aperfeiçoamento jurídico constante e conquistar benefícios para a toda a classe, e não somente de alguns.

Do ponto de vista estatutário, no entanto, a função da OAB extrapola o conceito de entidade de classe, tendo entre suas finalidades a defesa da Constituição, do Estado democrático e da justiça social. Portanto, para que a Ordem desempenhe com plenitude seu papel institucional deve estar atento aos temas da sociedade afetos à cidadania e à transformação social, para isso é necessária renovação, pois os anos se passaram, e nossa subseção tem deixado de verdadeiramente trabalhar por melhorias aos seus inscritos, bem como, tem se comportado de forma omissa quanto as mazelas que assolam nossa sociedade.

Para que todo esse quadro seja mudado é necessária a renovação, que é alcançada por meio da alternância de poder, conceito ligado diretamente à democracia, condenando a perpetuidade de quaisquer classes no poder, pois tal fato desvirtua o caráter popular de uma gestão. É exatamente esse desvirtuamento dos ideais que pode pôr em perigo as conquistas de uma classe.

Ainda, a alternância de poder é imprescindível para que novos métodos políticos e administrativos sejam introduzidos. Assim, contra possíveis desmandos de um dirigente/presidente que esteja confortável na sua condição, é sempre democrático que a classe de tempos em tempos escolha um novo representante, a fim de que não exista a perpetuação de uma gestão, visto que isto causa um mal inimaginável a classe.

Deste modo, como aconteceram em pleitos anteriores, o atual grupo tenta indeferir nossa candidatura, pois sabem que representamos um conjunto de ideias novas que certamente se desdobrarão em ricos benefícios para a toda classe de advogados de nossa cidade, bem como para a sociedade como um todo.

Assim sendo, esclarecemos a todos que, estamos buscando os meios jurídicos para assegurar de forma legítima e democrática a nossa participação na eleição desta subseção, e certo de que como aconteceu no passado, a justiça e a democracia irão prevalecer sobre a tirania. Asseguro a todos os colegas de classe e a população codoense, que movido pelo sentimento de mudança e renovação na ordem, continuamos juntos, nossa candidatura se mantem, jamais baixaremos a cabeça para as calunias que nos sãos levantadas, certamente a justiça fará prevalecer a democracia.

Codó – MA, 22 de novembro de 2018

Thiago Antônio Maciel Lima

Chapa 47“ Por renovação na Ordem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *