EM CODÓ, AGENTES FUNERÁRIOS RECLAMAM QUE NÃO ESTÃO SENDO VACINADOS CONTRA COVID-19

Imagem meramente ilustrativa

Coveiros e agentes funerários de Codó reclamam que não estão recebendo a dose da vacina contra a covid-19. Os coveiros e os agentes funerários são do grupo de risco e em Codó eles reclamam da inércia do governo “CIDADE DE TODOS” no tocante à vacina. “De Sá, nós temos um plano nacional de vacinação,  de acordo com o Ministério da Saúde ele comtempla essa profissão de agentes funerários como público alvo da vacinação. Então nós estamos dentro da definição desses trabalhadores da área da saúde”, disse um agente funerário de Codó ao BLOG DO DE SÁ.

VÍNCULO COM SAÚDE

Quem deve ser imunizado são os profissionais que apresentam algum vínculo com serviços de saúde, para poderem tomar a dose da vacina. Porém, para isso, de acordo com o Ministério da Saúde, é necessário que o trabalhador apresente algum documento que comprove isso.  Vale ressaltar que dentro do grupo de trabalhadores em são inclusos pelo Ministério de Saúde, estão inseridos profissionais de outras áreas, mas que atuem dentro de instituições de atendimento à saúde, como recepcionistas, seguranças, pessoal da limpeza, cozinheiros e auxiliares, como motoristas de ambulâncias e até agentes funerários.

CODÓ

Segundo relatos feitos ao BLOG DO DE SÁ, muitos profissionais que trabalham como agentes funerários já entraram em contato com a secretaria de saúde e nunca  obtiveram respostas sobre o assunto. “Ficam jogando de um lado para o outro, procuramos uma pessoa ou outra secretaria, mas até agora não conseguimos resolver. Primeiro que a gente não encontra a pessoa responsável para resolver. A agente trabalha com corpos potencialmente infectados e também com óbitos; como acontecem em domicílio que a gente não sabe se estão infectadas ou não”, disse o denunciante que pediu sigilo. O BLOG DO DE SÁ está à disposição da secretaria de saúde caso queira se manifestar a respeito desta matéria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.