EM COROATÁ, MP “CHAMA NA GRANDE” O PREFEITO E PEDE FIM DE DECRETO QUE LIBEROU GERAL

O  Ministério Público pede à Justiça de Coroatá que suspenda um decreto do jovem prefeito Luís da Amovelar Filho que liberou academias, cultos de qualquer credo, bares, restaurantes , todo tipo de comércio, churrascarias dentro de Coroatá desde 31 de maio de 2020. De acordo com o documento do MP abaixo, a  Justiça vai intimar o município para se defender, em 72 horas.

O Ministério Público alega que o prefeito não apresentou nenhuma justificativa  comprovada de que a COVID-19 está sob controle na cidade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *