EM ESPERANTINÓPOLIS, O EX-INIMIGO DO ATUAL PREFEITO COMEÇOU A SENTIR O PESO “CHIBATA” DE ALUISINHO

Seria até cômico se não fosse muito trágico para o ex-prefeito de Esperantinópolis Dr.Raimundinho a sinuca de pico que se meteu nos últimos meses, principalmente por contrariar todos seus aliados e fiéis amigos ao declarar apoio político ao prefeito Aluisinho do Posto, seu rival nas duas últimas disputas eleitorais à prefeitura do município.

Em sentença assinada pela juíza Urbanete de Angiolis Silva, titular da comarca de Esperantinópolis, condenou o ex-gestor a suspensão dos direitos políticos pelo período de quatro anos; multa civil de cinco vezes o valor das remunerações recebidas à época dos fatos; e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios e incentivos fiscais pelo prazo de três anos, resultado de uma Ação Civil Pública movida pela prefeitura de Esperantinópolis administrada com mais de ferro por Aluisinho. A ação indica irregularidades na prestação de contas em convênios celebrados junto às secretarias de Estado da Saúde e de Cultura.

Médico renomado, Dr.Raimundinho tem, mais uma vez, seu nome em evidência nos principais veículos de informação do Maranhão, sendo motivo de chacota por aliados do prefeito. Com isso, parece que o prefeito Aluisinho conseguiu humilhar seu novo aliado, que inclusive deve fazer a indicação da esposa, ex-primeira dama Irene Arruda, como vice na chapa para as eleições deste ano. Mas este é o modus operandi do prefeito e assim se projetou politicamente: envergonhado aliados, usando-os e depois descantando-os por não conseguir cumprir com a palavra. Raimundinho se encontra do estágio dois, e após as eleições, independentemente do resultado, sentirá na pele o estágio derradeiro. Desde o início de sua gestão, o atual prefeito tratou de cavar a cova política do seu antecessor, mas o que ninguém esperava era que o ex-prefeito se jogaria nessa cova. Pelo menos ninguém o acompanhou!

O ex-prefeito deve recorrer às vias recusais para tentar reverter a sentença emitida pela juíza de Esperantinópolis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *