IDENTIFICADO NÚMERO DE RESPONSÁVEL POR DIVULGAR FALSA LISTA DE GAROTAS DE PROGRAMA

garotas-de-programa

Imagem Ilustrativa

A Polícia Civil já identificou pelo menos um número telefônico de um dos responsáveis no Maranhão por divulgar uma lista de contatos que traz os nomes e telefones de mulheres apontadas falsamente como garotas de programa. O arquivo circula por redes sociais e traz contatos de vários estados, como Minas Gerais, Rio de Janeiro, Maranhão e São Paulo.

De acordo com o delegado Odilardo Lima Filho, do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos, os autores responderão pelo crime de difamação.

“Já temos um número que foi localizado e identificado como um dos primeiros que adentrou a lista no Maranhão. Vamos procurar o cadastro desse número e responsabilizar criminalmente essa pessoa. A lista, que veio de fora do estado, foi acrescida de números telefônicos de vítimas que, em geral, trabalham com eventos publicitários”, afirmou o delegado.

Pelo menos três vítimas do Maranhão já denunciaram à Delegacia de Combate a Crimes Tecnológicos de São Luís que tiveram seus nomes incluídos na lista, segundo informações da Polícia Civil do estado. As denúncias foram feitas na última sexta-feira (5).

Uma das vítimas falou sobre o caso. A mulher, que tem 23 anos, mostrou a lista onde constam 90 números com DDD 98 (referente a municípios do Maranhão).

“Há mais ou menos um mês, eu já vinha recebendo mensagens de DDDs diferentes. Era um por semana, às vezes de dois em dois dias. Sempre questionava como sabiam meu número e acabava bloqueando. Soube na quarta-feira passada, quando comecei a receber mensagem a tarde toda. Comecei a chorar e fiquei me tremendo todinha. Estragou o meu dia”, revelou.

De acordo com o delegado Odilardo Lima Filho, alguns cuidados podem ser tomados para evitar passar por situações semelhantes.

“Esses aplicativos têm um ícone ‘privacidade’, onde você pode deixar sua foto, por exemplo, apenas para que os contatos do seu aparelho possam visualizar. Assim também pode ser feito em redes sociais fixas, como o Facebook”, alertou.

(Com informações do G1MA) Via Luis Pablo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *