JOVEM DE CODÓ DIZ QUE FOI ESTUPRADA POR UM ESTUDANTE DA ESCOLA JOÃO RIBEIRO

o-VTIMA-ESTUPRO-COLETIVO-RIO-facebook

Ilustrativa

Uma estudante menor de idade foi encontrada por Policiais Militares no terreno da antiga Fábrica Têxtil, no bairro São Sebastião, parcialmente despida e sob efeito de alguma substância alucinógena alegando ter sido estuprada. O suspeito teria sido um também estudante da escola João Ribeiro, conhecido por Edinho.

Entenda o caso

Na tarde desta sexta-feira, uma estudante da escola Senador Archer, deu entrada no Hospital Geral Municipal – HGM, desacordada após ter sido apresentada pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU que atendeu a ocorrência de um suposto estupro.

Por volta das treze horas da sexta – feira, três estudantes da escola Senador Archer resolveram não assistir aula e mantiveram contato com outros três alunos da escola João Ribeiro, em seguida marcaram um encontro em um local e por lá começaram a consumir bebida alcoólica e uma substância entorpecente  conhecida por “loló”, conversa vai, conversa vem, decidiram entrar na parte interna do terreno da antiga fábrica do bairro São Sebastião, atrás do quartel do 17º BPM. Percebendo a movimentação estranha, populares acionaram a PM para averiguar a situação. Após a chegada ao local, os policiais realizaram incursões, conseguindo localizar a menor que passou a denunciar aos policiais que fora estuprada por uma pessoa de nome Edinho, estudante da escola João Ribeiro. Imediatamente o SAMU e Conselho Tutelar foram acionados e chegaram ao local alguns minutos após.

Detalhe do caso

Uma das colegas da jovem afirmou que não houve estupro e que todos haviam entrado na fábrica em pouco tempo antes da chegada da Polícia Militar, tempo este não suficiente para a realização de qualquer ato de conjunção carnal, porém a mesma colega não soube explicar os motivos que levaram a suposta vítima estar nua no momento em que a PM chegou ao local.

No HGM, a jovem reafirmava que teria sido estuprada, o fato agora deverá ser levado ao conhecimento do delegado de plantão que tomará as providencias que o caso requer.

Fonte: Blog do Bezerra

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.