LOUVÁVEL: ESCOLA PÚBLICA DE CODÓ COMEÇA A CRIAR UMA NOVA CULTURA DE LEITURA POR MEIO DE LIVROS DOADOS

Codó-2

Leitura

 Os alunos da Escola Municipal Jardim São José, em Codó (MA), começaram o ano com um estímulo a mais ao seu aprendizado: 170 livros infantis doados por cidadãos de todo o país que foram mobilizados pelo professor Carlos Luz,através do site da A+ Educação. Por meio de financiamento coletivo, o professor pediu e ganhou todo o material de leitura e papelaria que está sendo usado em um programa de estímulo à leitura para alunos em fase de letramento.

“Iniciamos esse programa no final do ano passado, com o objetivo de despertar a paixão dos alunos pela leitura. Nossa missão vai além do ensinar a ler e escrever. Precisamos fazer com que as crianças sejam apaixonadas pela leitura! Assim, poderão adquirir sempre novos conhecimentos e nunca vão parar de aprender e crescer intelectualmente”, explica o professor Carlos, que foi o primeiro professor da rede pública de ensino no Brasil a ter um projeto financiado pela A+ Educação.

Já nos primeiros meses de atividades, os resultados da iniciativa foram tão positivos junto aos alunos da escola, que o professor Carlos cadastrou outro projeto no site da A+ Educação. Dessa vez, ele está pedindo um armário de aço e um quadro branco para melhorar a infraestrutura de ensino dentro da sala de aula. Batizado de “Por uma Educação de Qualidade”, o novo projeto já está com 18% do seu valor captado por meio da plataforma de crowdfunding.

“Nossa escola é de periferia. Infelizmente, o ambiente escolar não é tão propício e incentivador como poderia. O material solicitado vai proporcionar uma organização das atividades didáticas e contribuir bastante com o desenvolvimento da ação pedagógica e aprendizagem da criançada”, explica.

Para colher, é preciso plantar

Incentivada pelo exemplo do professor Carlos, a professora Claudihene Lopes da Silva Gonzaga, do Centro Municipal de Educação Infantil Vera Lúcia Simão Salem, também de Codó (MA), cadastrou no site da A+ Educação o projeto “Valores na Educação Infantil: Para Colher É Preciso Plantar”.

“Trabalhamos com crianças de 9 meses a 5 anos na nossa creche e queremos melhorar as atividades de contação de histórias. Por isso, estamos pedindo livros apropriados para essa faixa etária”, explica Claudihene, que trabalha há 15 anos como professora da Educação Infantil.

Todos os funcionários da creche estão envolvidos na captação de recursos para viabilizar o projeto. “Vamos promover várias atividades para mobilização dos pais e da comunidade escolar, com realização de piquenique cooperativo e exposições”, enfatiza a professora.

Contato via redes sociais

Carlos Luz conheceu a proposta da A+Educação por meio das redes sociais. O diretor da ONG, Leonardo Capel, publicou um post apresentando a proposta da A+ em um grupo de professores da Educação Infantil criado por Carlos no Facebook. “A proposta me chamou a atenção, pois nunca tinha visto um site para captação de recursos exclusivamente para projetos de professores da rede pública de ensino. E foi bem fácil conseguir o financiamento, bastou fazer um cadastro simples do projeto no portal,indicando os objetivos e todos os recursos necessários, ajudar a mobilizar doadores e, depois da captação, receber o material na escola”, conta o professor.

Além de Codó, outros três projetos já foram financiados nos últimos meses, dois em Curitiba e um em Colombo, todos no Paraná. Atualmente, outros seis projetos estão inscritos e abertos para captação. “As redes sociais têm nos ajudado muito na divulgação entre os professores. Entramos em mais de 50 grupos de todo o país, apresentando nossa história e divulgando o site.Nossa proposta é promover o financiamento coletivo de projetos criados por professores da rede pública de ensino, para melhorar o aprendizado dos alunos a curto prazo”, afirma Leonardo Capel.

Para participar

Por meio do site www.amaiseducacao.org.br qualquer professor da rede pública pode inscrever seus projetos e qualquer pessoa pode fazer doações a partir de R$ 10,00 (dez reais).

Fonte: É Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *