MÁFIA DAS ÓTICAS: FALSOS MÉDICOS E CONSULTAS ILEGAIS PODEM PREJUDICAR A SAÚDE VISUAL DOS MARANHENSES

índice

Imagem meramente ilustrativa

Eles estão em todos os bairros de São Luís e em várias cidades do Maranhão. “Exame de vista a preço popular, ou até mesmo de graça”. “Consulta na hora!”, em Codó também aparece uma vez por outra estas são mensagens que já parecem familiares a todos os maranhenses. Seja uma grande rede de óticas, das várias que temos na Capital, ou mesmo aquelas com nomes femininos, fáceis de encontrar em qualquer bairro das cidades do nosso Estado, a prática é a mesma para atrair os clientes e turbinar a venda de lentes e armações pra óculos.
O Blog do companheiro Blog do Udes Filho apurou que os valores das consultas, com um suposto oftalmologista oferecido pelas óticas é realmente tentador, entre R$ 20,00 e R$ 50,00, mas há casos mais atraentes quando se promete a consulta de graça, caso o cliente faça os óculos na loja.
No esquema, que aparece disfarçado de incentivo à população de baixa renda, os clientes seduzidos pelas supostas vantagens geralmente são atendidos em saletas, nos fundos das próprias óticas. Até ai, tudo bem! Tudo bem nada! A estratégia usada, abertamente, pelas óticas em São Luís e no interior do Maranhão é totalmente ilegal.
Uma grande rede de óticas espalhada em parte do Brasil costuma ser ainda mais audaciosa, chegando às cidades do interior do Estado e além-fronteiras, com um consultório oftalmológico adaptado em um ônibus. E sem medo algum de fiscalização, oferece as consultas e pratica a venda das lentes e armações.

As leis vigentes proíbem qualquer associação de médicos com óticas e vice-versa. Oftalmologistas não podem indicar óticas, preencher receitas sem identificação (nome e registro profissional) ou oferecer vantagens não concedidas a demais clientes. Às óticas, é proibido manter consultório médico, mesmo em outro local. O artigo 16 do Decreto 24.492/1934 detalha que é vedado ao estabelecimento “indicar médico oculista que dê aos seus recomendados vantagens não concedidas aos demais clientes e distribuir cartões ou vales dando direito a consultas gratuitas, remuneradas ou com redução de preço”.

Falsos oftalmologistas consultando nas óticas

A reportagem do Blog do companheiro Udes Filho recebeu denúncia de um médico, que não quis ser identificado nesta matéria, temendo represálias daquilo que ela classifica como “Máfia das Óticas”, informando que existem médicos oftalmologistas agindo de maneira ilegal, consultando no interior das óticas, de graça ou a preços bem fora da realidade do mercado. “O Conselho Regional de Medicina (CRM) do Maranhão sabe de tudo, mas não move uma palha para coibir a ilegalidade”, disse.
O denunciante vai mais além, é afirma que milhares de pessoas podem ter a saúde visual comprometida, já que em muitos casos as consultas ilegais, em parceria com as óticas, são realizadas por profissionais da fabricação de lentes e não, por médicos oftalmologistas. Estes profissionais não são médicos e de forma alguma podem atuar com diagnóstico de doenças visuais e emissão de receitas. “Nestes casos, se caracteriza o exercício ilegal da medicina, pois essas atividades são exclusivas de médicos”, disse.
“Estes técnicos, na verdade, precisam receber a receita de um médico para então fabricarem as lentes, não podem receitar Eles não possuem qualificação para diagnosticar doenças. Ao se submeter a uma ‘consultar’ com um técnico, o paciente pode não descobrir que tem um glaucoma. Os riscos de se consultar e aceitar a receita prescrita um destes profissionais são preocupantes. O cliente, ao pensar que está sendo tratado, pode, na verdade, ter um problema muito maior, chegando até a cegueira”, explica.
O alerta foi dado e o blog espera que a Vigilância Sanitária e o CRM-MA tomem as devidas providencias, para evitar que a saúde visual dos maranhenses seja prejudicada em nome da ganância de alguns empresários.

Fonte: Blog do Udes Filho

Um comentário em: “MÁFIA DAS ÓTICAS: FALSOS MÉDICOS E CONSULTAS ILEGAIS PODEM PREJUDICAR A SAÚDE VISUAL DOS MARANHENSES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *