GAECO E MP INTERDITAM EMPRESAS DE TIMON ACUSADAS DE LAVAGEM DE DINHEIRO E TRÁFICO DE DROGAS

Como desdobramento da Operação Mormaço, o Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão interditou, no dia 16 de junho, as arenas Alto da Cruz, Placar e Terceiro Tempo, localizadas em Timon, além da loja Modelo Veículos, em Teresina.

A ação contou com a parceria do Gaeco do Piauí, Polícia Civil do Maranhão e Instituto de Criminalística de Timon (Icrim). As interdições cumpriram decisões da Justiça, proferidas a pedido do Ministério Público do Maranhão. Todos os estabelecimentos pertencem a pessoas presas na primeira etapa da Operação Mormaço, realizada no dia 10 de junho.

O objetivo da operação foi desarticular uma facção com atuação interestadual. Foram alvos pessoas físicas e jurídicas em Teresina (Piauí), Timon e Caxias, no Maranhão.

Iniciadas há cerca de um ano, as investigações mostraram que a organização criminosa tem um sistema de lavagem de dinheiro sofisticado, com a utilização de empresas para o escoamento dos valores resultantes de negócios com drogas ilícitas, armas de fogo, veículos e peças de automóveis, além de outras atividades.

A Operação Mormaço contou com a participação de seis promotores de justiça do Maranhão (sendo cinco do Gaeco), dois promotores de justiça do Piauí (do Gaeco) e 14 servidores do MPMA, além de 84 policiais civis e seis peritos do Icrim.

Fonte: Neto Ferreira

EM CAXIAS, APRESENTADOR DE TV DE 44 ANOS MORRE VÍTIMA DE INFARTO

Na manhã desta segunda-feira (21), o comunicador Arailton Santana da Silva, de 44 anos, morreu após sofrer um infarto em sua residência, localizada no Residencial Cidade Jardim, próximo a Vila Paraíso.

De acordo com informações do Portal Guanaré, sua casa estava em obra e os pedreiros que acompanhavam a construção relataram que Arailton começou a passar mal.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada, mas quando chegou ao local o comunicador já estava sem vida.

Arailton Santana trabalhava no Sistema Guanaré de Comunicação como repórter, apresentador no Programa Comando Popular e locutor na Rádio Guanaré FM.

Fonte: Noca

POLICIAIS SÃO INVESTIGADOS EM PRESIDENTE DUTRA APÓS MORTE DE JOVEM DOENTE MENTAL

Um inquérito apura a morte de um jovem baleado por policiais civis na última quinta-feira (17), no povoado Calumbi, no município de Presidente Dutra.

Segundo uma nota divulgada pela Polícia Civil do Maranhão, a equipe saiu para atender a uma ocorrência de ameaça e apologia ao crime. A nota diz que “os policiais foram ameaçados pelo suspeito que estava de posse de uma arma branca (faca)”.

Os policiais civis atiraram para conter a situação, afirma ainda a nota. Um dos disparos acertou o jovem, que foi socorrido, mas não resistiu.

                          Leia na íntegra a nota da Polícia Civil:

A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) informa que na última sexta-feira (17) (sic), após denúncias de moradores, atendeu a uma ocorrência de ameaça e apologia ao crime em uma residência no povoado de Calumbi.

Quando chegaram ao local, os policiais foram ameaçados pelo suspeito que estava de posse de uma arma branca (faca). Para conter a situação, os agentes atiraram e um dos disparos atingiu ao rapaz, que foi socorrido pelos policiais, levado ao hospital com vida, mas acabou vindo a óbito.

A Polícia Civil do Maranhão lamenta profundamente o fato e se solidariza com a família. Pontua, ainda, que um inquérito policial foi instaurado para apurar as circunstâncias da ocorrência.

Uma equipe da Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDIHPOP) está acompanhando o caso.”

O jovem foi identificado como Hamilton Cesar Lima Bandeira, de 23 anos, e tinha deficiência mental, segundo a família. Os parentes disseram ao Imirante.com que o rapaz não estava armado no momento da ação policial.

O pai de Hamilton, Antônio Bandeira, disse que o filho tinha chegado de um campo, almoçou e se deitou e, em seguida, apareceram os policiais. “Não tinha maior sentido do mundo deles chegar lá assassinando ele. E ele não usava ferramenta nenhuma. A polícia não falou nada, quando chegou lá foi metendo bala, que quase matou um idoso de quase 100 anos”, relatou. A avó e uma tia que moram na mesma casa estavam em Presidente Dutra.

O pai contou ainda como era o filho no dia a dia com a comunidade. “Ele tinha acabado de chegar do campinho com as crianças que andavam mais ele. Ele não fazia um pingo de medo em sociedade alguma. Ele era meninão. Tinha 23 anos, mas o sentido era de criança”, relatou Antônio.

Hamilton morava com o bisavô Pracio Ribeiro. “Ele não era agressivo, ele não era saliente, ele não queria nada de mal pra ninguém… Só que pelo problema dele mental… Quando vinha aquela coisa na cabeça dele, ele falava as coisas que não era pra falar”, acrescentou o pai de Hamilton.

A tia de Hamilton, Cristiane Bandeira, também contou ao Imirante que o sobrinho era sossegado e tranquilo. “Nunca me respondeu mal, só tinha perturbações mentais, onde ele encontrava carinho, ele se apegava”, declarou.

Os vídeos que tenho dele, são vídeos engraçados, ele mesmo defendendo injustiças, tinha medo de polícia desde criança, se ele fez vídeos defendendo o crime não tenho conhecimento, e isso não justificaria o que aconteceu”, comentou a tia do rapaz.

O corpo de Hamilton foi enterrado na sexta-feira (18) no povoado Calumbi. No sábado (19), moradores fizeram manifestação pedindo justiça.

Fonte: imirante

DEP. JÚNIOR LOURENÇO É DENUNCIADO POR DESVIO DE R$ 22 MILHÕES, EM MIRANDA DO NORTE

O Ministério Público do Maranhão ofereceu, na última sexta-feira, 18, denúncia contra o deputado federal José Lourenço Bomfim Júnior, conhecido como Júnior Lourenço, um dos alvos da Operação Laços de Família, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) no dia 15 de abril. Na ocasião, foram cumpridos 32 mandados de busca e apreensão em São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Miranda do Norte e Bom Jardim.

Com base nos elementos e provas coletados, o Ministério Público do Maranhão requer que seja autuada a denúncia e proferida sentença condenatória pelos crimes de fraude em procedimento licitatório, peculato e organização criminosa, com perda de cargo ou mandado eletivo dos denunciados, além de pagamento do valor de R$ 22.061.477,53 como forma de reparação dos danos ao erário.

Além de Júnior Lourenço, também foram denunciados Carlos Eduardo Fonseca Belfort, conhecido como Negão, ex-prefeito de Miranda do Norte; os empresários Tiago Val Quintan Pinto Frazão, Bruno Val Quintan de Menezes, Paulo Ricardo Nogueira Ayres Val Quintan e mais 20 pessoas, inclusive pessoas que ocupavam cargos na prefeitura até o período atual e que foram afastadas do exercício de suas funções por deferimento de medida cautelar.

Segundo as investigações, iniciadas a partir de denúncia do Tribunal de Contas da União (TCU), foram identificados desvios de recursos na Prefeitura de Miranda do Norte, no período de 2017 a 2020, durante a gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo Fonseca Belfort. O mesmo esquema teria sido usado pelo também ex-prefeito e atual deputado federal Júnior Lourenço, que esteve à frente da gestão do município no período de 2009 a 2016, apontando para a existência de uma organização criminosa.

A denúncia foi assinada pelos promotores de justiça Luís Samarone Batalha Carvalho, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Itapecuru-Mirim; Ana Carolina Cordeiro de Mendonça Leite e Fernando Antonio Berniz Aragão, integrantes do Gaeco; e Marco Aurélio Ramos Fonseca, que responde atualmente pelas 1ª e 2ª Promotorias Criminais do Termo Judiciário de São Luís.

De acordo com o documento, encaminhado ao titular da 1ª Vara Criminal do Termo Judiciário de São Luís, as investigações apontam a existência de três núcleos de agentes classificados com base na atuação de cada um: político, composto pelos ex-gestores Carlos Eduardo Fonseca Belfort e Júnior Lourenço; empresarial, comandado por Tiago Val Quintan Pinto Frazão, que está presente no município de Miranda do Norte desde a gestão de Júnior Lourenço; e administrativo, formado pelos secretários municipais Antônio da Conceição Sanches, Alysson Rogério Mesquita de Oliveira – atualmente vice-prefeito do município – e Adson Mendonça Mendes, além de outros servidores da prefeitura de Miranda do Norte, inclusive membros da Comissão Permanente de Licitação (CPL).

Ainda segundo a denúncia, desde 2009, primeiro ano do mandato do ex-prefeito Júnior Lourenço, foi constituída, de modo permanente e ordenado, uma organização criminosa com ramificações dentro do município de Miranda do Norte com o objetivo de obter, direta e indiretamente, vantagens indevidas por meio das práticas de crimes licitatórios e crimes contra a Administração Pública.

Fonte: Neto Ferreira

VEREADORES DE CODÓ GASTARAM R$ 6 MIL DE DINHEIRO PÚBLICO NA POSSE DE NAGIB NO DETRAN

A participação de cinco vereadores codoenses na festa de posse do novo diretor-geral do DETRAN/MA custou R$ 6 mil aos cofres públicos.

Em março deste ano, o ex-prefeito de Codó, Francisco Nagib, foi nomeado como novo diretor-geral do DETRAN/MA. A festa (solenidade) de posse ocorreu em São Luís, e contou com a participação dos vereadores Araújo Neto, Leonel Filho, Evimar Barbosa, Valdeci Calixto e Iltamar Muniz.

Cada vereador solicitou 02 (duas) diárias, sendo R$ 600,00 o valor de cada diária, como ressarcimento das despesas de viagem para São Luís para tratar de assunto do interesse do município de Codó, além de prestigiar a posse do novo diretor-geral do DETRAN/MA.

O QUE DIZ A LEI?

No início de 2021, a Câmara de Vereadores de Codó publicou a Resolução nº 01, de 28 de janeiro de 2021, definindo os critérios para pagamento das diárias.

O artigo 30 define que diárias serão pagas quando as mesmas ocorrerem para tratar de interesses do Poder Legislativo Municipal ou da comunidade de Codó. No caso dos Vereadores, quando em missão de representação do legislativo, no exercício de atividades ligadas diretamente a esfera de atuação parlamentar ou para participação em conferências, seminários, palestras, cursos e eventos de interesse da Câmara ou voltados ao exercício do múnus público.

Já o artigo 34, da mesma resolução, define que os vereadores e/ou servidores beneficiados pela concessão de diárias deverão comprovar a efetividade das viagens, apresentando documentos hábeis a este fim, tais como comprovante de passagens, recibo de inscrição em cursos, certificados de conclusão dos cursos, ou dependo do caso especifico, recibo de abastecimento e hospedagem, no prazo de 15 (quinze) dias após a realização, dispensada a comprovação no caso de viagem de urgência ante a natureza especifica do trabalho, restringindo-se à apresentação das passagens e/ou recibos de abastecimento e hospedagem.

E para finalizar, caso o vereador e/ou servidor não apresentar os documentos das despesas no prazo mencionado no artigo anterior, autoriza que o valor das diárias adiantadas seja descontado dos seus subsídios/vencimentos (artigo 35).

“Falhas” na prestação de contas

De acordo com os documentos apresentados pelos vereadores, é possível identificar “falhas” na prestação de contas.

A principal seria a comprovação dos gastos durante a viagem, pois não constam na prestação de contas os comprovantes de passagens e/ou recibos de abastecimento e hospedagem, mas somente uma declaração da Assembleia Legislativa.

A legitimidade das justificativas também é questionável, pois os “supostos” assuntos tratados pelos vereadores durante a viagem não foram divulgados ao público.

Para ter acesso aos documentos, CLIQUE AQUI e procure pela aba DIÁRIAS > Relação das diárias, dentro e fora Estado, e fora do País. O BLOG DO DE SÁ a disposição dos referidos vereadores, caso queiram se pronunciar sobre a matéria.

Fonte: Giovanni Graciliano

POR DISPENSA DE LICITAÇÃO,PREFEITO DE DOM PEDRO FIRMA VÁRIOS CONTRATOS COM IRMÁ DE VEREADOR ALIADO

A Prefeitura de Dom Pedro-MA realizou diversos contratos por dispensa de licitação que deixou sob suspeita a administração do prefeito Ailton Mota dos Santos, mais conhecido como Galego Mota (SOLIDARIEDADE).

Foram realizados contratações diretas por meio das Secretarias Municipais de Saúde e de Educação com a empresa Rammyres de Sousa Andrelino, cujo nome fantasia é R1 Estética Automotiva.

No extrato do contrato consta que a empresa irá prestar serviço de lavagem nos veículos das secretarias, com prazo de vigência até o final do ano.

O site do companheiro Luís Pablo apurou que a dona da empresa é irmã do vereador Ronaldo Amâncio, que faz parte da base aliado do prefeito na Câmara.

O curioso é que a empresa foi criada no dia 1 de fevereiro deste ano, justamente no ano em que Galego Mota assumiu o mandato.

O Ministério Público precisa investigar se houve favorecimento do prefeito com a irmã do seu aliado político e se a contratação será realmente para lavar carros e não dinheiro público.

Fonte: Luís Pablo

CONFUSÃO EM BAR, TERMINA COM UM HOMEM MORTO EM CAXIAS

Uma confusão em um bar, localizado na Travessa Aniceto Cruz próximo a Casa Bonfim, na tarde deste domingo (20) terminou com um homem morto.

Segundo informações do Repórter Puliça a confusão teria sido motivada por ciúmes envolvendo uma mulher. A vitima, ainda não identificada, levou uma facada e morreu enquanto recebia atendimento médico dentro de uma ambulância do SAMU.

O autor da facada fugiu a pé deixando sua motocicleta no local do crime, que logo depois foi recolhida pela Policia Militar chamada para atender a ocorrência.

Fonte: Irmão Inaldo