PENSANDO QUE OS MARANHENSES SÃO BESTAS: FLÁVIO DINO TERIA 70% DE APROVAÇÃO?

723_flavio

Flávio Dino

Nesta quarta-feira (9), o Portal Brasil247, publicou uma matéria intitulada por: Dino ao 247: ‘o gênio do fascismo saiu da garrafa’, que trouxe um dado curioso, a da popularidade do governo Flávio Dino, beirando os 70%. Não sei ao certo qual a fundamentação para esta aceitação exagerada, por conta da crise financeira que os estados e municípios do pais passam, o que impossibilita a implantação de políticas públicas que atendam às necessidades da sociedade maranhense e a ausência de investimentos, que também contribui com a desconfiança da suposta aceitação de qualquer governo, onde não há visibilidade de obras e serviços em andamento.

Codó e Coroatá são exemplos mais clássicos da distância do governo estadual com o povo, cada uma cidade possui suas particularidades. Por exemplo:

1 – na cidade de Coroatá está um dos maiores inimigos políticos do governador, que se chama Ricardo Murad, e para a infelicidade dos coroataenses a gestora  da cidade é simplesmente a esposa do principal algoz do governador;

2 – em Codó, o problema é outro, o atual prefeito Zito Rolim, está filiado no Partido Verde-PV, liderado no Maranhão pelo Deputado Federal Sarney Filho, filho do maior oligarca do estado e acusado por Dino, por ser o maior responsável pelo atraso de todos os índices sociais. Zito, acabou apoiando o candidato Edinho Lobão nas últimas eleições, o que fez com que o governo estadual desse as costas para a cidade, apesar de pessoas ligadas ao governador dizer que o prefeito de Codó tem todas as portas abertas do governo para o diálogo. Imagine só, se as portas estivessem fechadas! Já a cidade de Caxias tem um carinho especial e recebe praticamente todas as políticas governamentais do executivo.

Em Codó, nem mesmo um simples posto de expedição de documentos gratuitos chegou, apesar de todas as lideranças políticas, eclesiásticas e todos os super heróis terem se mobilizado.

Aí fica a pergunta quando será a redenção e o fim da espera?

Fonte: Blog do Bezerra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *