POLÊMICA:PROSTITUTAS PODEM GANHAR R$ 2.000.00 ( DOIS MIL REAIS) DO GOVERNO PARA RODAR A BOLSINHA

10274144_714395111937250_854536155089570620_n

Imagem ilustrativa

Uma proposta polêmica, de autoria da senadora Maria Rita, do Partido dos Trabalhadores.

Foi aprovada na semana passada, por maioria de votos: trata-se do pagamento de uma bolsa mensal no valor de R$ 2.000,00 (Dois Mil Reais) para garotas de programa em todo país.

“O objetivo da bolsa é dar a essas mulheres a possibilidade de terem uma vida mais digna, pois o dinheiro deve ser prioritariamente utilizado com prevenção de doenças”, explicou a senadora. Segundo ela, o projeto tem interesse público, pois também tem o
objetivo de “disponibilizar pra clientela um serviço de melhor qualidade, já que as meninas poderão se cuidar melhor, pagar tratamentos estéticos, frequentar academias etc.”

O projeto de lei vai ser submetido à sanção da presidente Dilma e deve entrar em vigor até o início da copa de 2014. É isso aí pessoal. Enquanto um *professor da rede pública ganha R$898,00
para formar cidadãos dignos, uma prostituta ganhará R$ 2.000,00 para rodar bolsinha com qualidade que Pais é esse que incentiva o errado e desqualifica o certo. Meu Deus!!

Fonte: Portal Leste Maranhense

4 comentários em: “POLÊMICA:PROSTITUTAS PODEM GANHAR R$ 2.000.00 ( DOIS MIL REAIS) DO GOVERNO PARA RODAR A BOLSINHA

  1. para sustento da familia e cuidar de filhos e hedeiros acho muito viavel sim, desde que a profissional do sexo comprove a veracidade dos gastos com coisas uteis e nao com drogas, bebidas, gigolos, homens que querem so abusar e gastaro dinheiro delas e fazer sexo de graça. E que a mesma prove que esta se martirizando para sustentar a familia ter uma vida digna e ganhar a bols, mesmo tendo um trabalho assalariado nao dapra sustentar ao certo os familiares sejam filhos que ainda estudam e nao tem uma profissao de regime clt pois esta muito dificil e ajudar a sustentar herdeiros e crianças e recem nascidos que sao sustentados pelas avos paternas e maternas da crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *