POR FERNANDO HAUXI: O VALOR DE UM VEREADOR EM TIMBIRAS

IMG-20150101-WA0034

Vereadores de Timbiras

Acostumados a receber dinheiro dos ex-prefeitos, para deixarem de ser oposição, uma bancada da Câmara dos Vereadores de Timbiras agora tentam extorquir o atual prefeito da cidade sem sucesso. O vereador Nezim Barros, Josemar Magalhães e Gilson Canuto, que se cuidem, pois há um suposto vídeo que esta sendo encaminhado ao Ministério Público em que eles aparecem aceitando dinheiro de um ex-prefeito da cidade.

Enquanto uns querem barganhar suas empresas para a licitação do transporte escolar no município, outros mandam ameaças no microfone: “Como vocês são sabedores, eles não nos obedece. Nós somos vereadores e ele devia ouvir a opinião de cada vereador, mas ele não ouve. E é por isso que a gente não esta lá. Porque ele quer administrar sozinho. Nos já estamos cansados de dizer irregularidades, jogar os vereadores na situação e eles não estão nem aí. A posição deles é ficar calado!”

O pronunciamento é do vereador Josemar Magalhães, durante a sessão do dia 22 de outubro de 2014, na Câmara de Vereadores de Timbiras. Para bom entendedor, as palavras do nobre vereador, proferidas no pupilo são bem claras: Sem dinheiro na mão não tem conversa. E assim tem sido a pobre situação da cidade de Timbiras, uma velha política que trabalha pelos interesses de uma minoria, atrapalhando os que lutam pelos interesses públicos, de grandes benefícios à população.

Os vereadores da oposição protagonizaram uma encenada denuncia de descaso com as escolas públicas na Zona Rural, exibindo um vídeo documentário em praça pública para a população de timbiras. Sendo que muitos deles também são responsáveis por esse descaso, pois quando eram vereadores na gestão do prefeito Nonato Pessoa, não denunciaram a falta de prestação de conta do gestor da época na construção de três escolas na Zona Rural, de três creches, assim como a ampliação de três postos de saúde, impedindo o cancelamento do convênio com o Governo Federal. As obras foram liberadas somente agora, em dezembro de 2014, com a reativação dos convênios por meio da atual gestão.

Essa prática da velha politica em Timbiras, em tirar vantagem em tudo, retira também à noção da qual um membro da Câmara de Vereadores de Timbiras tem como obrigação na função de parlamentar, que foi eleito pelo povo para representá-lo. Esse princípio, o recém-eleito presidente da Câmara, Nezin Barros, nunca entendeu.

Preso por desacato a autoridade no dia 24 de maio de 2014, o vereador Nezim Barros mandou um policial “Tomar no c…” no momento em que a equipe do Sargento Fontes estava fazendo um patrulhamento na cidade. Sem nem ao menos ter sido abordado pela patrulha, o vereado insultou os policiais que ficaram surpresos com atitude do parlamentar.  Segundo o artigo nº 331 do Código Penal é crime um desacato e agressão verbal a um servidor em exercício regular da profissão. Será se o jovem e embriagado vereador sabia disso ao assumir seu cargo, agora com representante do órgão?

Por Fernando Hauxi 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *