POR PROF. CARLOS GOMES: CODÓ ANIVERSARIA

images-3Mais uma data festiva que o povo codoense vê passar. São os 121 anos decorridos do 16 de abril de 1896, quando foi sancionada a Lei de Nº133, elevando a vila Codó à categoria de Cidade.

E que cidade! Uma das mais bonitas, encravada no Leste dos Cocais Maranhenses, com o privilégio de ser banhada pelo Rio Itapecurú, ornamentado pelas palmeiras onde gorjeia o sabiá de Gonçalves Dias.

Nestes 121 anos de existência registram-se vários fatos e personagens que dignificam sua história, lembrando-se que, mesmo antes do 16 de abril de 1896, acontecimentos e inúmeras pessoas já haviam feito notoriedade na trajetória da existência deste rincão maranhense, chamado Codó, como ensina João Batista Machado (in memoriam), em seu livro “Codó – histórias do fundo do baú”.

Anualmente, redijo uma breve mensagem pelo aniversário desta boa terra, que me acolhe desde 1949, ainda, nos seus verdes anos de emancipada. Por vezes, acho até que me plagio pela repetição de frases, mesmo assim, continuarei escrevendo, devido ao acendrado amor que tenho por esta terra, como bem afirmou o ínsigne Professor Fernando Carvalho, no soneto:

, CODÓ.

“Quem do água fria bebe, é tradição:

                                          viverá em teu seio, entre magia,

     nunca mais volta ao seu natal torrão”

Esta Cidade majestosa, com a dimensão territorial de quase 4.400 km², abriga no seu seio 120 mil habitantes. Falar-se de suas riquezas e de todo seu potencial econômico, não comportaria neste breve escrito, sem mencionar seu povo generoso e bom, que contribui significativamente para sua grandeza e prosperidade.

Codó-MA, 16 de abril de 2017

Parabéns Codó!

Professor: Carlos Gomes

Um comentário em: “POR PROF. CARLOS GOMES: CODÓ ANIVERSARIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *