PREFEITO DE ESPERANTINÓPOLIS ATRASA FOLHA DE PAGAMENTO E SUSPENDE PAGAMENTO DE VERBAS FEDERAIS

Chega a ser impressionante o volume de dinheiro que entrou nas contas da prefeitura de Esperantinópolis do dia 01 de dezembro até hoje. São mais de 6 milhões de reais, mas o prefeito mantém folhas de pagamento atrasadas e deu férias forçadas a programas federais que devem ser mantidos os 12 meses do ano.

Aluisinho do Posto, como chefe do poder executivo, não pagou os salários do mês de dezembro dos contratados, bem como o décimo terceiro, direito constitucional de todo trabalhador. O prefeito também deixou de pagar o abano anual dos professores, classe que vem sendo massacrado pelo prefeito desde sua posse. O prefeito também deu férias forçadas às equipes do Estratégia Saúde da Família (ESF), e os profissionais receberam tão somente metade do salário referente ao mês de dezembro. As equipes só voltarão ao trabalho em fevereiro. Ou seja, esse programa federal importantíssimo cujas verbas vêm religiosamente todo mês, não serão repassadas aos profissionais a metade de dezembro, o mês de janeiro e fevereiro, já que só voltarão a receber em março. Para onde e quem irá receber os dois meses e meio dos salários que deveriam ser dos profissionais?

Segundo o site do Banco do Brasil, em transferências constitucionais, o município de Esperantinópolis recebeu de recursos mais de 6 milhões de reais. Só do dinheiro arrecadado do leilão do pré-sal, a chamada cessão onerosa, representou quase 800 mil reais nas contas do município. É um volume grandioso e o prefeito não paga as despesas básicas do município, principalmente o funcionalismo.

O mês de dezembro, desde quando São Roberto e São Raimundo foram desmembrados de Esperantinópolis, que o município não recebia uma quantia tão expressiva. É o maior repasse da história desde então. O prefeito segue sem pagar quem trabalha, deixa de cumprir as obrigações de manter na integralidade o funcionamento dos programas federais e não concede abono aos professores. O Ministério Público não pode ficar inerte diante deste absurdo cometido pelo prefeito.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *