PREFEITO PADRE JOSIAS DE PERITORÓ ABANDONA ESCOLA DO MUNICÍPIO

convenção-peritoró-199

Padre Josias, prefeito de Peritoró

A educação brasileira está sucumbindo diante do descaso do Poder Público. Crianças e adolescentes estão sendo submetidos a um ensino de péssima qualidade, a escolas precárias, degradantes, sem qualquer estrutura física digna.
A escola municipal Mendonça, localizada na zona rural da cidade Peritoró, é um exemplo concreto do abandono e da falta de sensibilidade por parte da Prefeitura. O local, feito de taipa, é totalmente impróprio para ministrar uma aula e para os alunos estudarem. Não há banheiro, cozinha, quadro, salas que diferenciam as séries, e carteiras.
Indignados com a atual situação em que se encontra a escola, os estudantes resolveram fazer um manifesto clamando por socorro. “Estamos precisando de carteira, de um banheiro, de uma escola. A gente está estudando em um casebre” afirma um aluno revoltado no vídeo gravado dentro da escola.
Outra aluna fala das péssimas condições físicas do local e diz que outro estudante machucou a boca em uma das carteiras quebradas.

O depoimento dessas crianças é revoltante. É necessário uma ação de urgência por parte do Ministério Público no município de Peritoró, uma vez que o prefeito Jozias Lima Oliveira não tem arcado com o seu compromisso, enquanto gestor público, de garantir uma educação de qualidade para crianças e adolescentes, assim ferindo o Art. 53 da Lei 8.069/90, onde afirma que a criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho.

Diante de tais informações, fica um questionamento: se os Governos Federal e Estadual repassam verbas para os municípios com o objetivo de custear demandas da educação, então porquê a gestão municipal não aplica, proporcionando, assim, um ensino digno aos cidadãos de Peritoró?

Confira o vídeo abaixo:

IMG-20160308-WA0012-768x576

Abandono

IMG-20160308-WA0016-768x576

Abandono

Fonte: Neto Ferreira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *