PROFESSOR DE SÃO DOMINGOS DO MARANHÃO ESCREVE CARTA REVOLTADO COM O GOVERNO FLÁVIO DINO E O PRESIDENTE DO SINPROESEMMA

IMG-20160229-WA0334

Júlio Pinheiro, presidente do Sinproesemma

Eu, professor Washington, lotado no C.E. Horácio Alves de Andre, em São Domingos do Maranhão, me sinto lesado pelo estado quando do não cumprimento da lei do piso. E o meu sentimento encontra eco em diversos colegas com os quais tenho falado nesses dias. E nós recebemos com estranheza a declaração do sindicato de que houve avanços na negociação com o governo.

Nós estamos em Março e o reajuste não veio. Nesse sentido, começo a acreditar que o sindicato não tem me representado e não defende os interesses da classe. Muitos colegas estão insatisfeitos com a atitude covarde dessa diretoria que, inescrupulosamente, desafia a inteligência dos profissionais da educação da rede pública estadual.

Acredito que devemos tomar providências e conclamo os colegas professores a utilizar as redes sociais para convocar os professores a irem à luta. Acredito que podemos iniciar com uma paralisação de 24 horas, em data a ser definida. Podemos também convocar a imprensa para dar conhecimento de nossa indignação diante dessa atitude covarde do SINPROESEMMA.

Em são Domingos do Maranhão pretendemos mobilizar a classe, e acredito que essa mensagem poderá ser “viralizada” e chegar a todos os municípios do Estado.Se não tomarmos uma atitude agora, pode acabar ficando tarde demais.
Por isso eu insisto, caros colegas, vamos compartilhar esta mensagem, formar grupos nas redes sociais e enviar por outros canais. Acho que podemos tomar atitudes legais contra essa diretoria inoperante e assim, garantirmos nossos direitos.
Mas eu acredito na democracia e, nesse sentido, e acharem que está bom demais, que o sindicato está agindo corretamente e que não devemos tomar atitude nenhuma, respeitarei a opinião da classe.

Um comentário em: “PROFESSOR DE SÃO DOMINGOS DO MARANHÃO ESCREVE CARTA REVOLTADO COM O GOVERNO FLÁVIO DINO E O PRESIDENTE DO SINPROESEMMA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *