VEREADOR GRACINALDO ALERTA SOBRE OS PROBLEMAS DO RECADASTRAMENTO BIOMÉTRICO EM CODÓ

Índice

Ver. Gracinaldo

Essa semana o Vereador Gracinaldo alertou a sociedade para os problemas que os eleitores codoenses estão passando no processo de recadastramento biométrico. De acordo com o edil, o recadastramento biométrico em Codó esta sendo ineficiente frente à demanda de eleitores. “Codó é uma cidade grande, importante, com 120 mil habitantes e um eleitorado na casa dos 80 mil votos. Por isso precisamos estar atentos a várias questões acerca deste assunto e está Casa precisa discutir esses problemas”, alertou.
Segundo o vereador, são apenas 120 fichas que estão sendo distribuídas, o que é insuficiente diante do grande número de eleitores que estão se dirigindo ao Cartório Eleitoral, principalmente os eleitores da zona rural que ao chegarem na cidade não encontram mais fichas. Outro ponto negativo que o parlamentar destacou foi o fato das pessoas estarem chegando as quatro horas da manhã para poder pegar uma ficha, o que seria um sacrifício para muitos eleitores.

CERCA DE 50 MIL ELEITORES SEM SE REGULARIZAR

O parlamentar fez os cálculos e concluiu que 120 fichas por dia são insuficientes para recadastrar os mais de 80 mil eleitores de Codó, sem citar os jovens que estão completando 16 anos e estão tirando seu título pela primeira vez. “Distribuindo 120 fichas por dia, teremos 600 recadastramentos por semana, 2400 por mês. Temos quatorze meses até o prazo dado pelo cartório para a regularização de todo o nosso eleitorado. Isso significa que só conseguiremos regularizar 33.600 pessoas cadastradas no novo sistema biométrico. Portanto, teremos um déficit absurdo de 49 mil pessoas que não terão condições de se regularizarem”, declarou.
Gracinaldo preconizou que o caso é grave e o Poder Legislativo precisa tomar uma providência urgente e se possível convocar a juíza eleitoral para uma audiência publica. “Os números falam por si. Não podemos deixar as coisas como estão e tentar resolver faltando apenas alguns meses. Precisamos descobrir uma maneira de poder regularizar todo o nosso eleitorado. Temos que trabalhar com antecedência a fazer com que a justiça se mobilize”, finalizou.
Ascom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *