VEREADOR GRACINALDO DECLARA QUE AGORA É A HORA DO POVO ACREDITAR EM AÉCIO NEVES

unnamed (1)

Ver. Gracinaldo

Assim como outros colegas de parlamento, o Vereador Gracinaldo (PSL) abordou o tema do segundo turno das próximas eleições. O Edil falou sobre como o pleito de 2014 representa uma das mais disputadas eleições da história brasileira. “Voto não pode ser movido só pelo momento e pelo calor das emoções. Temos que votar com consciência, pois são 4 anos. Não podemos votar por votar. As pesquisas eleitorais já dizem que as campanhas estão cada vez mais acirradas, voto a voto”.

Decisão tomada

Gracinaldo declarou que seu candidato a presidência da república seria Aécio Neves. “Ainda permanecia pensativo sobre a decisão, mas tive a oportunidade de assistir a dois debates e acho que o candidato Aécio Neves está mais preparado para nos representar como presidente da república. Quando ainda estava indeciso, assisti os debates e tive a certeza e convicção de que já tinha minha direção e hoje, o voto do vereador Gracinaldo será de Aécio Neves”, afirmou.

Resposta merecida

Discordando de um colega de parlamento, Gracinaldo argumentou que não houve desrespeito algum do candidato Aécio em relação a atual presidente. “O debate aconteceu entre dois candidatos. Em momento algum testemunhei falta de respeito em relação a presidente, mas vi um debate veemente entre os dois. E em determinados momentos a candidata apenas recebeu a resposta adequada, para declarações indevidas e inverdades colocadas por ela. Por isso peço aos indecisos que analisem bem e votem nas melhores propostas para os brasileiros”.

Dilma atrapalhou emancipação de Cajazeiras

O Vereador Gracinaldo fez uma rápida retrospectiva da trajetória política do candidato petista Luis Inácio Lula da Silva, sua luta para chegar a presidência e a sua hora de mostrar seu trabalho. “O candidato Lula e a esquerda brasileira esperou muitos anos até fosse dada a oportunidade. Finalmente quando o povo brasileiro decidiu dar essa oportunidade a Lula, pode descobrir um grande estadista. Mas agora é a hora do povo ter a coragem de apostar e mudar”, alertou.

Finalizando seu pronunciamento, o vereador fez uma brincadeira com as palavras para demonstrar sua crítica a posição do governo Dilma em relação a emancipação política do povoado Cajazeiras. “Vocês sabem de quantas pessoas seriam necessárias para a NÂO emancipação de Cajazeiras? De uma (Dil Ma)

Ascom/Vereador Gracinaldo  

2 comentários em: “VEREADOR GRACINALDO DECLARA QUE AGORA É A HORA DO POVO ACREDITAR EM AÉCIO NEVES

  1. Vereador FRACO e INOPERANTE. Isso é o dá eleger uns semianalfabeto que NÃO conhece LEI,Orçamento e estrutura administrativa. Nunca LEu e nem sabe o que é LRF-Lei de Responsabilidade Fiscal. Cada povoado ou distrito que se emancipa,GERA UM GASTO A CIDADE MÃE(codó) e ainda PERDA DE RECEITA(dinheiro),pois Codó ficaria ENCURRALADA entre Timbiras e KM-17(cidade de Moisés reis). Seria o fim de Codó. Pois só restaria os SALOES DE UMBANDA,terreiros,tambor de criola,as Igrejas Evangélicas e as católicas. E uma linha de TREM,sem estação. Ou seja Codó,realmente seria o CÚ do Maranhão. A fabrica de cimento irá ser subodinada a MOISES REIS(JÁ IMAGINARAM A FESTA QUE ERA A CHEGADA DOS RECURSOS NO COFRE DOS REIS – DOMINGUI,LUCIA,RICARDO,MOISEIZIN,REBECA,enfim,os reis. Eles Já SE ACHAM COM UM VEREADOR,imagina com uma PREFEITURA e a cidade com o nome do PAI deles. Iria achar que era uma HERANÇA de familia. Vereador Grancinaldo,pelo AMOR DE DEUS vá estudar homem. Ainda dá tempo.

  2. ‘Eu sou o negro, o pardo, o pobre, tingindo de pluralidade as brancas classes do nível superior.
    Eu sou a esperança clara da reforma política.
    Eu sou a primeira conversa, do primeiro contato, do invisível social com um médico.
    Eu sou a comida na boca de um povo que, pela primeira vez na história, saiu do linha da fome.
    Mas não saiu nos jornais.
    Eu sou a assinatura na carteira de trabalho da empregada doméstica. E dos milhões de novos trabalhadores formais.
    Eu sou a mãe que recebe auxílio para alimentar o filho. E garantir o mínimo de cidadania e dignidade.
    Eu sou a inflação controlada e a economia firme, durante um terremoto econômico mundial.
    Eu sou a desigualdade atingindo os menores índices da história do Brasil.
    Eu sou os cofres públicos revigorados, depois de uma desenfreada e desastrosa abertura para o capital estrangeiro.
    Eu sou a memória olhando de frente para o passado.
    Eu sou a justiça com poder e autonomia para punir e investigar qualquer corrupção. Independente da origem.
    Eu sou o real como moeda forte e em proporção realista com o euro e o dólar.
    Eu sou a inclusão de uma nova classe média, que frequenta shoppings, compra carros e exerce pela primeira vez o poder de escolha.
    Eu sou o salário mínimo em nível recorde, garantindo a dignidade do trabalhador.
    Eu sou o sono da primeira criança da família a dormir num quarto de verdade.
    Eu sou o churrasco de domingo com os vizinhos, que agora também puderam financiar a sua casa e ter um lar.
    Eu sou a viagem ao exterior do pesquisador sem fronteiras.
    Eu sou o primeiro diploma da minha família, que nunca antes sequer tinha pisado em uma universidade.
    Eu sou o pré-sal e a perspectiva de um futuro ainda melhor para o nosso país.
    Eu sou a cultura recebendo investimentos em toda a cadeia produtiva. E sendo vista como bem simbólico e não apenas material.
    Eu sou as estatais fortes, garantindo emprego e crescimento para o país.
    Eu sou o jovem que pode optar por uma ampla oferta de formação técnica.
    Eu sou o Estado presente e solidário.
    Eu sou a travesti, funcionária pública, que pela primeira vez recebe seu ordenado pelo seu nome social.
    Eu sou o paí e a mãe de família que puderam ter uma casa, através do maior programa habitacional do país.
    Eu sou 13 por essas e por muitas outras razões.
    Eu sou o meu voto. E o meu voto não é só pra mim. O meu voto é para o outro. O meu voto é para todos’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *