VEREADOR DOMINGOS REIS, O ÚNICO SOBREVIVENTE DO BLOCO “INDEPENDENTE” DE CODÓ

O BLOG DO DE SÁ já fez algumas matérias tecendo críticas  ao vereador Codoense Domingos Reis, algo extremamente comum para quem exerce um cargo público, mas também não faltaram matérias enaltecendo, quando merecido, o trabalho do vereador. Eis uma delas.

O SOBREVIVENTE

Com sua postura de homem de uma só palavra, o vereador Domingos Reis mostrou que não está na Câmara para seguir os caprichos do prefeito de Codó Francisco Nagib. Após deixar a base aliada do governo e ter se unido a um grupinho falido de vereadores que se diziam independentes na cidade, o vereador Domingos Reis começou a mostrar as mazelas até então não vistas por ele no governo Nagib.  Para muitos, eram alguns parlamentares mostrando suas garras, a exemplo do próprio Domingos Reis, mas com o passar dos dias Domingos Reis mostrou que de fato não comunga com as ideias do atual prefeito. Com essa atitude, o vereador Domingos Reis foi o único sobrevivente daquele grupo que outrora dizia ser independente, mas para ser independente de fato é preciso ter palavra e pulso firme, coisa que os demais não têm, apenas Dominguinhos demonstrou isso até o momento, a não ser que possa mudar de ideia nos próximos dias.

E OS DEMAIS “INDEPENDENTES”?

Os demais “INDEPENDENTES” vereadores de Codó andam muito distante de serem de fato independentes. Os nobres: Leonel Filho, Júnior Oliveira e Maria Paz, resolveram voltar aos braços do prefeito Francisco Nagib, de onde nunca saíram realmente. Com isso caíram no descredito e passaram a ser chamados de vereadores “IÔ-IÔ” (brinquedo antigo e constituído de dois discos que serve para crianças usarem como passatempo vai e volta).

FALTOU CORAGEM E DIGNIDADE

Faltou muita coisa para que os vereadores Leonel Filho, Maria Paz e Júnior Oliveira, permanecessem na oposição, porém entre essas coisas faltou inclusive coragem e dignidade para bater de frente com o prefeito, coisa que nem todo político tem.

ENQUANTO ISSO….

Enquanto isso, os nobres vereadores: Domingos Reis, Maria Paz, Júnior Oliveira e Leonel Filho, resolveram entrar com uma ação contra alguns blogueiros de Codó inclusive contra o BLOG DO DE SÁ a respeito de uma matéria onde nosso blog perguntou: quanto custava um vereador em Codó. Mas isso é assunto para uma outra postagem,  onde estamos levantando mais algumas provas que demonstram de fato quanto custa um vereador em Codó. AGUARDEM-ME.

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTÁ DE OLHO NA PREFEITURA DE MIRANDA DO NORTE POR CAUSA DE SHOW DE CHICABANA

O Ministério  Público do Maranhão, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Itapecuru-Mirim, ingressou, em 20 de março, com uma Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra o prefeito de Miranda do Norte, Carlos Eduardo Fonseca Belfort; o presidente da Comissão de Licitação do Município, Antônio Ricardo Bezerra Serra; a empresa ALB Produções e Eventos Ltda-ME e seu sócio, Antônio Luciano Borges da Silva. Miranda do Norte é termo judiciário da Comarca de Itapecuru-Mirim.

Irregularidades

O MPMA apurou que a Prefeitura de Miranda do Norte contratou diretamente, por inexigibilidade de licitação, a empresa ALB Produções e Eventos para viabilizar o show da banda Chicabana durante a festa de aniversário da cidade, em 15 de março de 2017. Foi pago um valor de R$ 58.500,00 no contrato.

A lei requer a contratação direta das bandas ou por meio de empresários exclusivos, mas não consta nos autos qualquer documento que caracterize que o representante da banda Chicabana assinou contrato de empresariamento exclusivo com a empresa ALB Produções e Eventos.

Segundo o promotor de justiça Igor Adriano Trinta Marques, que ajuizou a ACP, a contratação da ALB Produções e Eventos, sem qualquer concorrência, deixou “patente o intuito da administração municipal de beneficiar dita empresa como vencedora da licitação”.

Pedidos

Além da condenação por improbidade administrativa de todos os requeridos, o Ministério Público pede o bloqueio das contas bancárias do prefeito de Miranda do Norte, Carlos Eduardo Fonseca Belfort, da empresa ALB Produções e Eventos LTDA-ME e do seu sócio, Antônio Luciano Borges da Silva, exceto as contas-salário dos que sejam funcionários públicos, até o valor de R$ 58.500,00 para cada. Além disso, foi requisitado ao Banco Central todos os extratos bancários das respectivas contas a partir do dia 1º de fevereiro de 2017 até o dia 30 de abril de 2017.

A condenação por improbidade administrativa pode resultar na perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais, direta ou indiretamente, pelo prazo de cinco anos.

Fonte: Antonio Martins

CÉSAR PIRES QUESTIONA PROJETO DO GOVERNO FLÁVIO DINO PARA CONTRAIR EMPRÉSTIMO DE R$ 623 MILHÕES

O deputado César Pires (PV) criticou o projeto de lei 129/2019 em que o Governo do Estado pede autorização à Assembleia Legislativa para contrair um empréstimo no valor de R$ 623 milhões. Para o parlamentar, falta transparência na proposta que, se aprovada, vai gerar mais uma dívida milionária para a população maranhense.

No projeto, em nenhum momento o governo informa qual será a instituição credora, qual o tipo de operação de crédito e sequer a taxa de juros que será paga pelos maranhenses. Apenas informa que vai pedir emprestado R$ 623 milhões para pagar precatórios, porque o Estado não está reservando mensalmente os recursos que deveria destinar ao pagamento desses débitos com organizações e pessoal”, destacou o deputado.

César Pires também questionou se, legalmente, o governo pode contrair empréstimo para pagar precatórios a pessoas. “Essa operação é vedada pela Lei de Responsabilidade Fiscal. E não há maiores informações sobre essa operação de crédito. Falta transparência do governo, e o Legislativo não pode dar uma carta branca para aumentar o endividamento do Estado”, enfatizou.

O deputado lembrou que o Fundo Estadual de Pensões e Aposentadorias (FEPA) já está deficitário, e que o atual governo também retirou R$ 150 milhões do Fundo de Benefícios (Funben) do servidor estadual. “O governo já utilizou o dinheiro do FEPA e do FUNBEN, e também da EMARP. E agora está querendo pagar precatório com empréstimo, quando deveria ter recolhido um doze avos da receita corrente líquida para esse fim, e não o fez. Operação de crédito não vai resolver uma dívida que só cresce. Não podemos simplesmente aceitar essa situação”, finalizou ele.

CODOENSE É PRESO EM VARGEM GRANDE ACUSADO DE ESTELIONATO

Policia Civil de Vargem Grande prende homem acusado de  estelionato e recupera carga subtraída.  A equipe da polícia civil de Vargem Grande,  na data de hoje 28/03/2019, conseguiu efetuar a prisão de Sebastião da Silva Gomes, suspeito de aplicar golpes em comerciantes da cidade. A carga fruto dos golpes foi recuperada na cidade de Codó e levada para vargem Grande para ser devolvida ao proprietário denunciante. O trabalho minucioso foi feito pela polícia de Vargem Grande. Veja o vídeo abaixo mostrando o momento que a polícia chega na casa dele na cidade de Codó.

Com Informações, Polícia de Vargem Grande 

POLÍCIA DE CAXIAS DESARTICULA PONTO DE COMERCIALIZAÇÃO DE DROGAS

A Polícia Civil de Caxias, por meio  do 2º Distrito Policial, com apoio da Delegacia Regional de Caxias, desarticulou, nesta quinta-feira (28) um ponto de  distribuição de drogas no Parque da Cidade.

De acordo com informações da polícia, no local foi preso Juscelino Sobral Moura, de 31 anos.

Juscelino já vinha sendo investigado pela Polícia Civil, sendo que hoje foi cumprido mandado de busca e apreensão expedido pela 2ª Vara Criminal de Caxias”, explica o delegado regional, Jair Paiva.

ÍNDIOS PROTESTAM E VOLTAM A BLOQUEAR BR 316 EM BOM JARDIM

Um grupo de índios voltou a bloquear na manhã desta quinta-feira (28) um trecho da BR-316, no km 250, em Bom Jardim, a 275 km de São Luís. Os indígenas bloquearam a rodovia federal com galhos de árvores em manifestação a favor da permanência da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) e contra a municipalização da saúde indígena.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o protesto é nacional e segundo um ofício encaminhado por um dos caciques da região, a manifestação não tem previsão de horário para terminar. O bloqueio foi o início de uma série de mobilizações que os índios estão fazendo em todo o país contra mudanças no atendimento de saúde nas aldeias.

Na quarta-feira (27) indígenas da etnia Guajajara fizeram um protesto e bloquearam também o km 250 da BR-316. Na ocasião, eles interditaram a rodovia e atearam fogo em pedaços de árvores impedindo a passagem dos veículos.

Fonte: G1 Maranhão

VEREADOR DELEGADO RÔMULO LEVARÁ REQUERIMENTO POR MAIS DELEGADOS E INVESTIMENTOS PARA CODÓ

Em entrevista a mídia digital, o vereador Delegado Rômulo falou sobre a grave situação da segurança pública em Codó. O edil informou que chamará os colegas vereadores para assinarem um requerimento que será encaminhado ao deputado estadual Zito Rolim, para que o parlamentar peça ao governador Flávio Dino e ao secretário de Estado de Segurança Pública mais delegados e investigadores de Polícia Civil para Codó.

Junto ao ofício, o vereador Delegado Rômulo fará chegar ao governador e ao secretário de segurança os dados estatísticos que mostram a situação crítica do efetivo da polícia civil em Codó. De acordo com dados mostrados pelo vereador, Codó tem quase a mesma população de Caxias e Timon, mas um quadro efetivo de Polícia Civil muito deficitário em relação aos municípios vizinhos.

Hoje Codó conta com três delegados, mas vai perder um porque o delegado Zilmar irá para Caxias. Timon é uma cidade que tem população um pouco maior que Codó, cerca de 150 mil habitantes, e tem 17 delegados e 49 investigadores. Caxias, tem apenas 300 habitantes a mais que Timon, tem 7 delegados e 17 investigadores. Então notamos que essa diferença em relação a Codó é desproporcional, que tem 118 mil habitantes e tem apenas 3 delegados e 6 investigadores. Com esses números o município está muito vulnerável e exposto e a sociedade precisa participar dessa luta”.

O edil ainda alertou que a demanda é urgente e que a sociedade precisa ter uma resposta. “Em Codó é um delegado pra trinta e nove mil habitantes. Isso é um assunto muito sério. Segurança pública é qualidade de vida. Não adianta ter hospital e escolas de primeiro mundo e não ter segurança suficiente. E não adianta fazer concurso público pra cinco mil homens da PM e a policia civil não têm profissionais atuando. Precisamos enviar esse ofício e fazer com que ele chegue ao conhecimento do governador, para ele entender a situação crítica de Codó. Essa situação é humanamente impossível e insustentável”

O vereador Rômulo também informou que outro oficio será encaminhado, solicitando a contratação de um médico perito e a estruturação do IML de Codó.

Ascom

DEPUTADO ZITO ROLIM RECEBE REIVINDICAÇÕES POR CONCLUSÃO DE OBRA E MELHORIAS EM ESCOLA DE CODÓ


Esta semana o deputado estadual Zito Rolim recebeu o Superintendente da Juventude de Codó, Valdeci Calixto. No encontro, Valdeci protocolou junto ao deputado a conclusão da obra da quadra poliesportiva do Centro de Ensino Luzenir Matta Roma, maior unidade da regional de Codó, bem como a reforma da unidade de ensino.

Com 1503 alunos, o Centro de Ensino Luzenir Matta Roma foi contemplado com uma quadra poliesportiva no início de 2016, porém a obra não foi concluída. “Precisamos da conclusão desta obra e das reformas na unidade, pois é um espaço propício para atividades físicas e eventos da comunidade e fortalecer o trabalho social e educacional feito coma nossa juventude. Por isso viemos recorrer ao deputado Zito Rolim, que com certeza poderá encaminhar bem esta demanda”, afirmou Valdeci.

O Centro de Ensino Luzenir Matta Roma é uma das maiores e mais importantes unidades de ensino de Codó, atendendo um grande número de estudantes. Um espaço que precisa ser revitalizado e ter seu centro de esporte e lazer. Desta forma encaminharemos esta demanda ao Estado para que as reformas necessárias comecem em beneficio da comunidade estudantil”, comentou o deputado Zito Rolim.