MAX TONY REPELE HOSTILIDADE DE CARRIN,MAS FOCA SEU DISCURSO NA EDUCAÇÃO E JUVENTUDE

images (1)

Max Tony

O Vereador Max Tony (PT do B) abriu seu pronunciamento agradecendo aos membros da Comissão Permanente de Educação, Cultura, Saúde e Meio Ambiente da Câmara Municipal de Codó, especialmente ao Vereador Gracinaldo, Vereador Chaguinha da Câmara, por o escolherem como presidente.

Gostaria de dizer também senhor presidente, que buscarei juntamente com meus colegas de parlamento, uma atuação propositiva deste Colegiado, não só no campo legislativo, mas, igualmente, na realização de debates que interessam nossa sociedade, bem como na interlocução com os principais atores públicos e privados que lidam com as questões de todas as áreas temáticas que integram nossa comissão”. Declarou.

Refutando agressões desnecessárias

Mesmo que de maneira diplomática e educada, Pastor Max não deixou de lamentar o comportamento indecoroso de um colega de parlamento e repelir a linguagem vil de veículos de comunicação que insistem em fazer o desserviço da informação distorcida e pessoal, a debater os temas importantes do município de maneira madura

Senhor presidente, peço que me perdoe a ironia, mas só gostaria de deixar registrado o prazer de mais uma vez iniciar o ano com meu rosto e fala estampados numa importante TV codoense. Já está virando tradição. Pena que a intenção é somente de ridicularizar e descaracterizar nossos discursos, numa tentativa desesperadora de jogar a opinião pública contra nós”. Disparou

Voltando aos temas pertinentes a Casa do Povo, Pastor Max expôs que os maiores índices de violência e de morte estão entre os jovens, que os homicídios são a principal causa de morte de jovens de 15 a 24 anos no Brasil e que atingem especialmente jovens negros do sexo masculino, moradores das periferias, panorama no qual a cidade de Codó se enquadra.

Preconizando sempre a educação, os valores familiares e os ensinamentos pela Palavra de Deus (A Bíblia Sagrada), o parlamentar levou ao plenário o resgate da Lei n.º 1.255 de 27 de dezembro de 2001, que estimula uma juventude alicerçada também nos ensinamentos bíblicos e cobrou aos edis sobre o Projeto de Lei que cria o Conselho Municipal da Juventude e também o fundo municipal da juventude.

Indicações

Pela indicação de Nº 07/14, Pastor Max solicita ao executivo municipal a criação de um Centro de Apoio e Casa de Abrigo a Mulheres Vítimas de Violência, onde mulheres ameaçadas possam encontrar proteção e amparo. Nas indicações Nº 26/14 e 27/14, o parlamentar reivindicou recapeamento da massa asfáltica para a Rua da Estrela, 1º de Maio e de uma estrutura coberta para a Praça da Bíblia.

Ascom/Vereador Max Tony

 

EX-PRESIDENTE LULA VISITA SENADOR JOSÉ SARNEY

Sarney

Sarney e Lula

O ex–presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitou, nesta segunda-feira (17), Dona Marly Sarney e o ex-presidente e senador José Sarney (PMDB), em São Paulo, onde a ex-primeira-dama da República se recupera de uma cirurgia no joelho, a que se submeteu, na semana passada, no Hospital Alberto Einstein.

A visita do ex-mandatário ocorreu no apartamento da família, em Cerqueira César, na capital paulista. Lula e Sarney, bem como Dona Marly e Dona Mariza, cultivam sólida amizade.

Lula chegou ao apartamento no final da manhã, onde foi recebido pelo senador Sarney. No primeiro momento, Lula esteve com Dona Marly, com quem conversou descontraidamente sobre assuntos relacionados com a saúde e desejou-lhe pronta recuperação. Depois, os dois ex-presidentes conversaram por mais de uma hora sobre assuntos diversos, como bons amigos pessoais e aliados políticos.

“O presidente Lula é um grande amigo. Sua visita a Marly é um gesto nobre de solidariedade, que comove a mim e à milha família”, declarou o ex-presidente José Sarney, tão logo o seu colega ex-presidente da República deixou o apartamento no final da manhã.

Dona Marly foi operada na semana passada pelo cirurgião Moisés Cohen, e recebeu liberação médica no início da tarde de sábado, para se recuperar em casa.

Fonte O estadão

VEREADOR GRACINALDO PARABENIZA AS BOAS RESPOSTAS DO GOVERNO ÀS SUAS INDICAÇÕES E AÇÕES DE SEGURANÇA NO TRÂNSITO

images

Ver. Gracinaldo

O vereador Gracinaldo (PSL) expressou sua satisfação em ter conseguido boas e rápidas respostas do executivo municipal à suas indicações durante a terceira sessão ordinária do ano na câmara municipal de Codó. O edil citou algumas indicações que foram atendidas com celeridade pela administração pública municipal, como a requeria a recuperação de pavimentação da Rua Rio Grande do Norte.

“Fico satisfeito pela consideração e preocupação do poder público em atender prontamente as indicações que encaminhamos. A via em questão estava, em certo trecho, cheia de buracos. Isso estava prejudicando o já intenso tráfego na região, devido a construção das mil casas do novo residencial. E graças ao trabalho de nosso secretário de infraestrutura e ao prefeito Zito Rolim em atender nossas indicações, esse e outros logradouros entraram no cronograma de recuperação de vias”.

O parlamentar também destacou as ações para segurança no trânsito em Codó, iniciadas na manhã segunda-feira pelo DMTRANS, GM e Polícia Militar. Gracinaldo elogiou a iniciativa da Secretaria Municipal de Governo e fez um apelo para que as ações de controle do tráfego e segurança do trânsito em Codó não se limitassem apenas ao período anterior e durante o carnaval, mas sim se tornasse uma constante. “Foi preciso coragem para tratar de forma consistente desse assunto, mas é preciso que o trabalho continue, mesmo após o carnaval e principalmente durante o período eleitoral”. Advertiu.

Indicações

Com a indicação 20/14 o Vereador Gracinaldo solicitou a Secretaria de Serviços Públicos que resolvesse os problemas de iluminação pública nas ruas 19 de Abril e Nossa Senhora de Fátima, bem como a reposição dos bicos de luz nos postes ociosos das referidas ruas. Reivindicou ainda o concerto de um poste de luz que permanece inclinado entre as ruas Nossa Senhora de Fátima e Osmarino Medeiros, no Bairro Nova Jerusalém.

Na indicação Nº 21/14, solicita uma passagem para escoamento de água para Rua 19 de Abril, devido ao grande volume trazido com as chuvas do período. O parlamentar também pediu às secretarias de infraestrutura e a de educação, por meio da indicação Nº 22/14, que fosse feito em caráter de urgência, os reparos necessários na Escola da Localidade Tucunaré, devido ao mau estado de conservação da unidade e a proximidade do início das aulas.

Ascom/Vereador Gracinaldo   

 

 

 

SECRETÁRIO DE INFRAESTRUTURA DO MARANHÃO LUIS FERNANDO ESTARÁ AMANHÃ EM CODÓ

images (1)

Luis Fernando

O Prefeito de Codó, Zito Roim, convida toda população para participar da cerimônia de inauguração da Pavimentação asfáltica da estrada que liga a cidade ao campus do Instituto Técnico do Maranhão (IFMA). O evento contará com a presença de autoridades municipais, estaduais e a visita do Secretário de Estado de Infraestrutura, Luís Fernando. A inauguração será a partir das 10hs, na Rua do Puraquê, em frente a escola Presidente Lula, no Bairro Codó Novo.

Nota Ascom 

” VOCÊS QUEREM LEITE OU CERVEJA” PERGUNTA DEPUTADO EM PARTIDA DE FUTEBOL EM CODÓ

imagesCAVEAAVU1211

Imagem Ilustrativa

Na região dos cocais existe um deputado que adora tomar umas canas. Até ai não vejo problema nenhum. Pois tomar uma bebida com os colegas não faz mal a ninguém. Mas o problema não é esse. Acontece que no último final de semana, esse deputado estava em uma partida de futebol com algumas pessoas, e lá o nobre parlamentar fez seguinte pergunta aos desportistas que estavam no local: “Vocês querem tomar cerveja ou leite”? Referindo-se aos presentes em tom de deboche. Coisa que já peculiar do parlamentar. Esse nobre deputado estava querendo contestar sobre alguns comentários que algumas pessoas fazem na região sobre seu comportamento perante a sociedade, que o mesmo não apresenta projetos e sim dar um enorme valor as bancas de sinuca e mesas rodeadas de asseclas conversando coisas que não tem interesse para Codó.

OPINIÃO.

Não vejo problema nenhum em uma pessoa tomar sua bebida, até porque isso às vezes até nos ajuda a esquecer um pouco os problemas que nos afrontam com freqüência. Mas usar isso com deboche com as pessoas é falta, no mínimo, de respeito ao próximo. O ato com um cidadão que foi eleito pelo voto direto para defender o próprio povo e criar projetos. Fazer a tal pergunta “vocês querem leite ou cerveja?” é achar que o povo é besta e que não sabe discernir o certo do errado. Mas se tratando dos amigos próximos desse parlamentar talvez eles tenham entendido como uma grade brincadeira do nobre deputado. Até porque dificilmente eles iriam entender que tamanho deboche que o mesmo fez perante aos seus acompanhantes seria um desrespeito. Para entender esse tipo de atitude precisamos ter bom senso, coisa que algumas pessoas que acompanham esse parlamentar talvez nem saibam o que significa.

 

POLÍCIA CIVIL PRENDE DONOS DA ELETROMIL SUSPEITA DE GOLPE DE 30 MILHÕES

935167_681470815229680_243741165_n

Um dos acusados

A Polícia Civil do Pará apresentou nesta segunda-feira (17) dois homens acusados de estelionato. Eduardo Fernandes Facunde e Eduardo Fernandes Facunde Júnior eram donos da loja Eletromil, que oferecia produtos na modalidade “compra premiada” – um sistema semelhante ao consórcio – mas, segundo os clientes, não entregava as mercadorias para os sorteados, mesmo mediante o pagamento das parcelas.

De acordo com a polícia, pelo menos cinco mil pessoas teriam sido enganadas nos municípios de Belém, Capanema, Castanhal e Ananindeua, totalizando uma fraude estimada em R$ 30 milhões.

Segundo a polícia, os dois suspeitos tinham prisão preventiva decretada desde 2012 e estavam foragidos. Na última segunda-feira a Divisão de Investigação e Operações Especiais(DIOE) da Polícia Civil recebeu a informação de que pai e filho estavam em Juazeiro do Norte, no Ceará.

Enquanto se deslocavam para o nordeste, os policiais foram avisados de que os procurados haviam se mudado para Teresina. Eduardo Facunde foi preso em uma loja de conveniência, enquanto o filho dele foi localizado na casa da sogra, horas depois.

Durante o funcionamento da loja Eletromil, a polícia chegou a receber 800 denúncias contra a empresa. Eduardo Facunde e Eduardo Filho também eram procurados no Maranhão, e devem responder pelos crimes de estelionato e fraude, além de crimes contra o consumidor como propaganda enganosa e induzir o consumidor ao erro. Os dois serão recolhidos para uma unidade do sistema penitenciário do Pará.

Fonte Blog do Luis Pablo

“PIRATA DA LITORÂNEA” JÁ DEU INÍCIO AO PROCESSO DE LIBERAÇÃO DO FUSCA

1904038_603312459748927_1411736361_n

Pirata da litorânea

A Prefeitura de São Luís está prestando total assistência ao senhor Antônio Carlos Silva, “Pitara da Litorânea”, conforme determinação do prefeito Edivaldo Holanda Júnior. O proprietário do veículo retirado da Litorânea foi recebido pelo secretário adjunto de Trânsito e Transportes (SMTT), Israel Pethrus, para dar início ao processo de liberação do automóvel.

Na SMTT, Antônio Carlos deu entrada no pedido de liberação do automóvel Fusca que se encontra custodiado no pátio da Secretaria. Segundo Israel Pethrus, o pedido vai ser apreciado e, no primeiro momento, está sendo feito um levantamento junto ao Detran da Paraíba (local  de licenciamento do automóvel) para verificar a situação documental do veículo.

Ainda de acordo com Israel Pethrus, o veículo será liberado para conserto em oficina mecânica e deverá voltar à Secretaria assim que estiver em condições de ser vistoriado pelo Detran do Maranhão. Tão logo sejam regularizadas as pendências documentais, o automóvel será liberado para Antônio Carlos Silva.

O proprietário do veículo estava acompanhado do advogado da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), João Moraes. Antes de comparecer à SMTT, esteve providenciando a segunda via de vários documentos pessoais. De posse apenas da Carteira de Trabalho, Antônio Carlos solicitou RG, CPF, e segunda via e renovação da Carteira Nacional de Habilitação.

Fonte Blog do Domingos Costa

ARTIGO DE CARLOS MAGNO DIAS: PRESÍDIOS, UMA ESTUFA PARA A CRIMINALIDADE

HOMEM DO LEANDRO

Carlos Magno Dias

É sempre assim: você liga a tv em um noticiário, seja local ou nacional, e novamente se depara com mais uma revolta de detentos, que do ponto de vista de boa parte da sociedade, é infundada e totalmente sem causa. Então você se pergunta: O que é mesmo que eles estão querendo, afinal de contas não se deve esperar maiores comodidades de uma instalação destinada a indivíduos que trocaram voluntariamente a liberdade pelo encarceramento. Às vezes pensamentos como esse  até parecem que fazer algum sentido afinal de contas a prisão é um lugar de cumprimento de pena e não um retiro espiritual de fim de semana. Sem dúvida alguma todo crime é passivo de punição e assim o deve ser pois os cidadãos e as cidadãs têm direito à segurança do ponto de vista legal e também como justificativa para a quantidade de impostos pagos ao governo.

Do ponto de vista exterior parece ser aceitável que os detentos sejam amontoados em cubículos úmidos e fétidos, que sejam espancados como forma de expiação pelos seus pecados contra a sociedade. Porém há duas questões a serem levantadas: A primeira é que o código penal brasileiro não prevê nenhum castigo físico exceto a própria reclusão do infrator. Segundo, a privação da liberdade já é a punição máxima para qualquer tipo de crime, não havendo portanto nenhuma previsão legal para que sejam aplicadas penas extras a quem já se encontra recluso. Seria hipocrisia dizer que a sociedade não tem o direito de ficar indignada contra a impunidade que reina nesse país, que de tão absurda, chega a ser imoral. Desnecessário é lembrar que é perfeitamente natural que o cidadão e a cidadã se sintam horrorizados ao ver presidiários que cometeram crimes dolosos contra inocentes desfilem em frente às câmaras de tv fazendo churrasco e falando ao celular. É compreensível do ponto de vista emocional, principalmente dos parentes e amigos dessas vítimas, que se deseje medidas extremas contra tais infratores. Porém o mais apavorante é saber que um indivíduo que tanto causou temor à sociedade logo estará de volta às ruas para dar continuidade ao seu reinado de terror. Entretanto há que se ter cautela quanto ao caso pois quanto maior o envolvimento emocional mais racional se deve ser. E é exatamente esse o ponto em que devemos tocar: O que acontece depois que o indivíduo ganha sua liberdade? Ou melhor, o que acontece com o detento ainda lá no presídio, que ao invés de redirecionar seu comportamento, pelo contrário, o torna um criminoso ainda mais astuto?

A verdade é que a nossa visão sobre o conceito de punição deveria ser reformulada.  Os centros de detenção bem como todo o sistema carcerário no Brasil e acredito que na maior parte do mundo, nada mais são do que verdadeirasestufas humanas para se cultivar o crime. Por enquanto as opiniões a respeito estão divididas pois enquanto uns acham que os detentos têm vida boa pelo simples fato de tomarem sol diariamente, outros enxergam os presídios como fábricas de criminosos devido às péssimas condições a que os detentos são submetidos. Os primeiros pensam que do ponto de vista do recluso, a prisão é um hotel portanto não se importam em retornar às celas após um breve período de liberdade.Os últimos porém atribuem aos traumas psicológicos sofridos pelos reclusos, o agravamento de seus estados psicossociais que os levam a cometer ainda mais crimes. O fato é que um centro de detenção não deve ser nem um hotel cinco estrelas nemum centro de tortura. Primeiro por que como diz o provérbio: mente vazia é oficina do diabo. O detento que passa o dia na inatividade, que não lê um livro, não faz um curso ou qualquer coisa de realmente produtivo, tende a continuar maquinando o crime pois não há um redirecionamento psicológico e social. Por outro lado, tá mais do que provado que violência gera violência, consistindo portanto em um terrível engano pensar que submetendo o detento a torturas e maus tratos vai fazê-lo refletir e mudar de comportamento. Tais atos nada trazem de útil a não ser permitir que a sociedade vá à forra e sacie seu desejo de vingança contra o criminoso mas não produzem resultados práticos ou benéficos a médio e a longo prazo para quem está aqui fora pois logo o infrator estará de volta ao convívio social sem que tenha passado por nenhuma mudança comportamental significativa. Violência nunca produziu e nunca produzirá efeitos benéficos à ninguém por que se produzisse já teria dado certo há muito tempo. A coisa simplesmente não funciona assim. Um centro de detenção deveria ser um lugar de trabalho, de produtividade pois o trabalho não só dignifica o homem e a mulher como também constrói a sociedade. Centro de detenção deveria ser sinônimo de reabilitação onde o recluso e a reclusa exercessem uma atividade que os levassem a refletir sobre seu atos bem como a confrontarem-se com outro universo diferente do seu. E depois o trabalho interno permitiria ao detento garantir o próprio sustento ao invés de fazê-lo às custas do estado, ou melhor do povo.

Ao observar o mundo à nossa volta percebemos que cada grupo de indivíduos vive em um mundo diferente, com uma rede social diferente, um linguajar próprio e um conjunto de hábitos diferentes embora interligado com mundos de outros grupos. Na natureza percebemos que cada ser, cada animal tem seu nicho ecológico que nada mais é quetodo um conjunto de hábitos que envolve sua alimentação, ciclo reprodutivo, hábitat e etc.  Enfim, é um pacote de elementos interrelacionados que compõe seu universo. Basta alterar o ambiente de um indivíduo, seja ele racional ou não, e seu mundo inteiro vai junto. É uma verdade axiomática, não tem como ser diferente. Um infrator precisa reaprender a viver pois na maioria das vezes seus valores são deturpados e sua percepção e visão do mundo são completamente distorcidas. Se avaliar-mos individualmente a situação de cada um perceberemos que por trás de cada infrator existe um histórico familiar de desintegração e de um ambiente degradado. Não se trata de passar a mão na cabeça de criminoso pois muitos convivem em condições socioambientais semelhantes e não optaram pelo caminho errado. Porém deve se chamar os infratores à responsabilidade para que se sintam  também co-construtores da sociedade em ao invés de emprrá-los ainda mais para as margens, de onde ele deveria sair. Sem isso, não digo que seja impossível, mas é pouco provável que ocorra uma alteração substancial. É imperativo que redirecionemos nossa concepção sobre o cárcere pois ainda atribuímos a este uma conotação apenas punitiva quando deveria ser também reabilitativa. Não que isso seja o maior dos equívocos, afinal toda a culpa deve ser castigada. O equívoco maior é pensar que simplesmente deixando o detento lámornando vai resolver o problema da criminalidade. Na verdade o problema está apenas sendo adiado pois no Brasil não há prisão perpétua. Isso quer dizer que ainda que um criminoso leve 30 anos,ele pode ganhar sua liberdade por bom comportamento em um terço desse tempo.  Ora, se cedo ou tarde um infrator será posto em liberdade já é hora de se pensar em mecanismos que se não garantirem, pelo menos ofereçam a este uma chance de adquirir novo comportamento. Não estamos falando de nenhum tipo de lavagem cerebral ou qualquer plano mirabolante para mascarar as coisas, mas de um mecanismo legal e viável que possa conceder-lhe uma chance de se redimir literalmente, de reintegrá-lo à sociedade de forma mais efetiva. Falo de um aprendizado que comece ainda no interior da prisão e que seja posto em prática enquanto ele ainda está recluso para que ao sair, o ex-detento possa agir diferente.

Ora, reconheço que para a sociedade é difícil conceber tal ideia pois soa como tratar um detento a pão e vinho enquanto a maior parte do povo vive a pão e água. Porém devemos pensar a longo prazo para que a sociedade tenha a chance de colher os frutos uma vez que uma parte significativa daqueles infratores não voltaria a reincidência. Da forma como está é o mesmo reutilizar uma água que sobrou da lavagem de roupa sem submetê-la a um tratamento de purificação, falando grosseiramente.

Um indivíduo só muda quando é confrontado com outro universo, com pessoas diferentes, que pensam, agem e vivem de maneira diferente. Seria sonhar alto demais pensar que todos os criminosos iriam se redimir pois existem aqueles com tendências psicopáticas que são até capazes de simular bom comportamento apenas para ganhar a liberdade mais cedo porém continuam com uma mente criminosa. Entretanto sonhar é preciso poisé de sonhos que se vive a vida  e como diz o ditado:mire nas estrelas e atingirá pelo menos a lua.

Por: Carlos Magno Dias.