ZITO ROLIM: O HOMEM QUE ENSINOU OS POLÍTICOS DE CODÓ A “CARREGAR ANDOR”

IMG_20151004_190726

Carregando o andor

É do próprio Zito Rolim, prefeito de Codó, gostar de andar em procissões, em velórios e dançar forró por onde anda com sua equipe. Como conheço a carreira política de Zito Rolim sei que o mesmo não faz isso apenas em período de campanha e principalmente pelo fato de ser político. Ele o faz por questão de ser próprio de seu jeito e sua personalidade, e isso ninguém tira dele. É uma coisa de homem de povo, que gosta de gente etc. Mas uma coisa nos faz pensar sobre outros políticos da cidade de Codó, que querem carregar consigo um “jeito de povo” do prefeito Zito Rolim.

CARREGANDO O ANDOR

No último domingo (04) aconteceu a procissão de São Francisco na cidade de Codó, que reúne todos os anos milhares de pessoas. E nesses encontros é justamente onde qualquer político gostaria de estar para dali tentar arrancar algo que posa lhe render alguma coisa: uma fotografia, uma imagem, um abraço de alguém e por ai vai.

Mas uma coisa nos chamou a atenção. Foi justamente o grande número de pré-candidatos a prefeito de Codó querendo carregar o andor de São Francisco. Será que todos eles querem copiar o atual prefeito Zito Rolim? Que por conta desse jeito de ser tem uma grande popularidade? Bom, a meu ver isso tem que ser uma coisa espontânea, uma coisa que vem de dentro, algo que o cidadão faça porque de fato gosta e não porque se aproxima o período eleitoral, ou alguém já viu alguns desses pré-candidatos a prefeito andar com frequência em procissão em Codó? Alguém já viu algum deles em cavalgada, em velórios, em terreiros de umbanda?
Na procissão de Francisco era um Deus nos acuda sobre quem carregava o andor pelo menos alguns minutos. Era um puxa dali, puxa acolá,agora é minha vez, por favor, agora deixa eu levar um pouquinho. E nesse ritmo a imagem de São Francisco agradecia por tanta generosidade.

QUE SÃO FRANCISCO INTERCEDA NA HORA DO VOTO

Vamos torcer para que nosso glorioso São Francisco possa interceder na hora do voto desses nossos amáveis pré-candidatos a prefeito, e que na próxima procissão que houver em Codó nossos amados pré-candidatos possam ser mais discretos na hora de carregar o andor. Afinal, nem sempre carregar andor pode render voto. Se bem que tem alguns que nem na procissão pisam. Será que eles perderam a fé minha gente?

15 comentários em: “ZITO ROLIM: O HOMEM QUE ENSINOU OS POLÍTICOS DE CODÓ A “CARREGAR ANDOR”

  1. AO ANÔNIMO “”AMÉRICO SILVA”” E OUTROS DA MESMA ESPECIE. A POPULAÇÃO CODOENSE NÃO QUER SABER NADA SOBRE A BÉLGICA, NEM SOBRE MURILO SALEM. O QUE INTERESSA, SABERMOS COMO O TEU PREFEITO E OS ORDENADORES DE DESPESAS DO ATUAL GOVERNO, ABOCANHARAM, SEM CERIMÔNIA, QUASE HUM MILHÃO DE REAIS DA SAÚDE. ISSO SIM, É MANCHETE PARA A “”FOLHA””, ASSUNTO PARA POLÍCIA FEDERAL, UM ARSENAL DE DESCAMINHOS FAVORÁVEIS PARA CONDENAÇÕES. “”AMÉRICO SILVA””, NÃO SEI SE É HOMEM OU MULHER, ENQUANTO A TUA PREOCUPAÇÃO É MURILO SALEM, O TEU PREFEITO VEM “”COMENDO”” AS GAROUPAS COMO O GAÚCHO COME PAPA QUENTE, PELAS BORDAS DO PRATO. TCHÊ, TE MANCA.

  2. É IMPRESSIONANTE,DEMASIADAMENTE IMPRESSIONANTE COMO O MURILO SALEM DESPERTA A “”IRA”” NOS “”SUGADORES”” DAS TETAS DA VIÚVA. É REALMENTE IMPRESSIONANTE, COMO ESSES SUGADORES SOMENTE FICAM NO MUDISMO QUANDO COMEÇAM A APARECER AS FALCATRUAS PERPETRADAS PELO ATUAL GESTOR E OS SEUS SUBORDINADOS. DEMASIADAMENTE IMPRESSIONANTE, DESDE O ANO DE 2009 QUE VENHO MOSTRANDO À POPULAÇÃO CODOENSE A “”FARRA”” DA TURMA QUE CUIDA DA SUA GENTE. AGORA, ESTÁ COMEÇANDO AS DIVULGAÇÕES DAS MAZELAS, DOS DESVIOS DOS RECURSOS PÚBLICOS, DOS ENRIQUECIMENTOS ILÍCITOS.
    ESSA É A VERDADEIRA FACE DO ZITO “”O GRANDE””. O GRANDE NAS MENTIRAS, O GRANDE MISTIFICADOR, O GRANDE EM COLOCAR OUTRAS PESSOAS COMO ORDENADORES DE DESPESAS, LIVRANDO-SE, PARCIALMENTE, DAS RESPONSABILIDADES. ISSO FOI O COMEÇO.

  3. Ser honesto. Por aí começam as características básicas que são imprescindíveis para um candidato a prefeito que resulte em um administrador eficaz numa futura gestão.

    Além de honestidade, muitas outras características podem ser alinhavadas. Em tempo de escolha de futuros gestores municipais seria bom que o eleitorado começasse a prestar atenção para que a lida pública de futuro próximo não fracasse.
    As características de bom gestor público coincidem em muito com a forma como o cidadão administra também a sua vida pessoal. Claro que pode ser diferente! Alguém pode ter administrado bem sua vida e fracassar na vida pública. Mas se não saiu-se bem na sua gestão pessoal, fica difícil acreditar que será eficaz para tratar de questões do interesse coletivo.
    Um bom prefeito é também aquele que busca ser auxiliado por pessoas de bem. Como a estrutura administrativa é grande, ele sozinho não saberá se informar sobre tudo. Se for mal assessorado, com secretários desonestos ou mal intencionados, ou ainda sem uma qualificação para cada área, a gestão estará fadada ao fracasso.
    Nesse item de composição de secretariado muitos fracassam por razões de fator político. É que, ao serem eleitos, ao invés de buscar na comunidade local as pessoas mais qualificadas para cada cargo, acabam tendo que satisfazer compromissos com companheiros políticos. Em razão disso nomeiam pessoas que, em muitas vezes, deixam a desejar. Um perfil técnico para secretário é muito importante para a solução dos problemas da comunidade. E destes nomeados é preciso que o gestor cobre sempre resultados.
    Outra característica imprescindível para um prefeito é que tenha sintonia com a legislação vigente, hoje ampla e exigente, e que este gestor tenha até obsessão por cumpri-la. Sem esse zelo de estar bem assessorado e de fazer cumprir todas as leis irá ter grandes problemas, podendo nem terminar o mandato, conforme a gravidade de seus erros cometidos. Prefeitos que, diante de situações complexas, tomam decisões precipitadas, às vezes até no meio da rua, sem antes fazer uma consulta jurídica, podem ter problemas na sua gestão.
    Ter força de vontade. Isso é muito importante para o êxito de um mandato. Ele, prefeito, e seus auxiliares precisam de dedicação exclusiva aos cargos. E se não houver o empenho, muito empenho, não se chegará a um melhor resultado.
    É sempre dito que um gestor precisa ter espírito público. Isto é, precisa ter uma conduta de estar sempre sensível para os clamores da comunidade. A sensibilidade e o senso de humanidade de um administrador vai fazer com que estabeleça suas prioridades. Nem tudo será possível fazer, daí vem o uso da sensibilidade para enumerar o que é mais urgente para aplicação dos recursos públicos que são sempre insuficientes para tantas necessidades.
    Alguém com perfil positivo para ser um futuro prefeito é democrático. Isto significa ouvir as pessoas (secretariado, lideranças da comunidade, segmentos sociais, etc…) e compartilhar as decisões, fazendo prevalecer as questões técnicas de cada caso e as enquadrando dentro da permissão legal para executá-las.
    O planejamento é algo importante para a vida pessoal e para a lida pública. Sem planejamento não se consegue bons resultados. Em qualquer início de gestão é preciso de um planejamento estratégico. Este leva em conta as prioridades, estabelecem-se cronogramas. Leva-se em conta o volume de receitas e foca-se nos resultados possíveis.
    Tem-se exemplos de bons prefeitos que foram aqueles que souberam trabalhar o aumento das receitas locais. Nessa atitude, comumente, amarga-se impopularidade de primeiro momento, mas criam-se as condições para melhores serviços públicos e até obras. No ato de contar com mais recursos públicos vale muito a habilidade do gestor em ter expressivos apoios políticos externos, de governos e deputados que possam transferir recursos de convênios por meio de emendas parlamentares. A falta de representatividade política pesa negativamente.
    É conveniente dizer que o fracasso de uma gestão municipal tem início muitas vezes em uma campanha eleitoral quando o então candidato vende ilusões a respeito do que faria. Desinformado do que é possível, promete o que não poderá cumprir. Quando empossado, chegam as cobranças e o desgaste. Neste caso o prefeito, às vezes, até que fez bastante, mas ainda fica faltando muito, já que as promessas foram excessivas e o gestor acaba colhendo um saldo político negativo.

  4. 1° Colocar gente honesta e competente nos cargos de responsabilidade, se possível sem vínculo político.

    2° Tornar as contas e atos da administração transparentes.

    3° Cancelar o concurso público sob suspeita.

    4° Parar de nomear apaniguados para comporem os Conselhos Municipais.

    5° Não dar sequência a contratos milionários que são contestados judicialmente ou pelo tribunal de contas, a fim de poupar que o patrimônio do Município seja transferido para particulares.

    6° Dar o exemplo pessoal como autoridade do Município, ou seja, não beber á ponto de ficar embriagado, não ser mentiroso, não ser promíscuo, respeitar a família sob todos os aspectos, não ser desonesto e achar que ninguém vai ficar sabendo dos trambiques, não fazer acertos em detrimento do Município, não pagar veículos de comunicação para se livrar de críticas, enfim, que seja um homem de verdade. Que a dignidade seja o caminho escolhido.

    7° Dar prioridades para a Educação e a Saúde – Valorizar a figura do professor e Profissionais da Saúde, sobretudo valorizando seu salário. O professor precisa se sentir reconhecido pela administração pública, não se pode cobrar de uma classe trabalhadora sendo que seu salário mal dar para as necessidades básicas do dia-a-dia e deixar de ser hipócrita.

    8° Excluir qualquer ato ou atitude que lembre alguma coisa como perseguição política. O prefeito que persegue, maltrata e até mesmo demite, aquele servidor humilde, honesto, simplesmente porque este tem opinião, pensamento diferente da sua. A liberdade de expressão há de ser respeitada dentro daquilo que chamo de respeito mutuo.

    9° Um bom prefeito é aquele que é administrador, empreendedor e buscar soluções para o desemprego é uma meta não a ser buscada, mais sim alcançada. Busca permanente por parcerias empresariais e todos aqueles que podem e tem capacidade financeira de investir no município.

    10° E por ultimo um bom prefeito não é aquele adorado, idolatrado, e sim aquele respeitado. O bom prefeito é aquele que têm consciência de seu poder perante a opinião do povo; o bom prefeito é aquele que se esforça para ser honesto, sem que para isto tenha que ser humilde; o bom prefeito sabe ouvir, observar, para somente daí tomar as decisões importantes, há de ser esperto muito mais que inteligente, é aceitável admitir erros de um bom prefeito, mais a burrice vem de burro, jumento, esta ninguém aceita. O bom prefeito, principalmente os de cidades pequenas, é aquele que anda sempre sem dinheiro no bolso, o bom prefeito é aquele que é bom sem ser idiota, sem ser pateta, o bom prefeito é raro, sua existência incomoda, ou será que ele não existe?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.